Iniciativa integra o Tecnopuc Business e aprimora o ecossistema de inovação da Universidade

Inauguração da nova sede do Grupo Band na PUCRS ocorreu nesta segunda-feira (18)/ Foto: Giordano Toldo

Na noite desta segunda-feira (18) foi realizada a inauguração oficial da nova sede do Grupo Bandeirantes RS, localizada no Prédio 50, da Escola de Negócios da PUCRS. A iniciativa integra o Tecnopuc Business, projeto que une o Parque Científico e Tecnológico e a Escola para potencializar o ecossistema de inovação e empreendedorismo da Universidade e o ensino nesta área do conhecimento.    

“A Band será para nós um catalizador a potencializar o ecossistema de inovação e empreendedorismo da PUCRS, além das conexões no ensino, cultura e tantas outras possibilidades que essa parceria certamente provocará”, destacou o Reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, ao dar as boas-vindas à Band RS. 

Em um espaço de 780 m², a Band construiu dois estúdios de rádio (Band News FM e Rádio Bandeirantes), três estúdios de TV, de onde diariamente serão transmitidos três programas ao vivo (Donos da Bola, Boa Tarde RS e Band Cidade), e uma redação integrada, além de espaço para toda a equipe administrativa.  A mudança vinha sendo planejada desde maio de 2023, quando a PUCRS foi definida como a nova casa da Band RS. 

“Sentimos que era o momento de mudar e encontramos a PUCRS, uma Universidade renovada e inquieta. Agradecemos ao Irmão Evilázio por acreditar no projeto. Somos a primeira emissora brasileira a estar integralmente em uma universidade”, afirmou Lisiane Russo, diretora comercial do Grupo Band RS. 

A cerimônia de inauguração contou com a presença do prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, o presidente do Grupo Bandeirantes, Johnny Saad, além de colaboradores da emissora e da Universidade. A condução ficou por conta da apresentadora Renata Fan e do jornalista Joel Datena, que ressaltaram a importância da presença do Grupo Band no campus da PUCRS. 

Em seguida, Renata chamou ao palco o presidente do grupo, João Carlos Saad, que agradeceu a presença de todos e a honra de poder celebrar em conjunto a “nova Bandeirantes”. Por fim, Sebastião Melo discursou afirmando a democracia e pluralidade da Rede Bandeirantes e a importância dessas qualidades em uma empresa de comunicação, seguido por Eduardo Leite, que encerrou a cerimônia declarando a decisão de unir a Band à PUCRS reforça o compromisso com a inovação, a ousadia e a construção de um futuro vibrante – e que estar na PUCRS é estar na melhor universidade privada do Brasil.  

A Band é o terceiro veículo de comunicação presente no Tecnopuc, que conta, ainda, com uma operação da Globo e com a Box Brazil. 

“A chegada fortalece a clusterização de players de imprensa e mostra como, em um ecossistema de inovação, a lógica da abundância beneficia todos os atores”, afirma Flavia Fiorin, gerente de operações e empreendedorismo do Tecnopuc.  

Sobre a Band RS  

O Grupo Bandeirantes de Comunicação RS está em operação em Porto Alegre desde 1969. Ele faz parte do sistema de veículos de comunicação brasileiro fundado em 1937, a partir da Rádio Bandeirantes, pelo empresário João Jorge Saad. A mudança da antiga sede para Porto Alegre está sendo planejada desde maio do ano passado, quando o contrato foi assinado.   

Disciplina Empreendedorismo Digita é ofertada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, da Escola Politécnica. / Foto: Divulgação Tecnopuc

De que forma as pesquisas desenvolvidas nos programas de pós-graduação da PUCRS podem gerar mais impacto na sociedade?  Essa é a provocação central da disciplina Empreendedorismo Digital: Transformando Conhecimento em Desenvolvimento, ofertada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC), da Escola Politécnica, mas que pode ser cursada por estudantes de todos os programas de pós-graduação da Universidade.     

Luiz Gustavo Leao Fernandes, diretor de Pós-Graduação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESQ) explica que acompanhando tendências dos cenários nacional e internacional, os cursos de mestrado e doutorado da PUCRS vêm cada vez mais apresentando oportunidades formativas que aproximem a pesquisa acadêmica da inovação e do empreendedorismo.

“Iniciativas como a disciplina de Empreendedorismo Digital do PPGCC são belas oportunidades de aproximação de diferentes áreas do conhecimento e lançamento de projetos interdisciplinares de empreendedorismo. Juntam-se a esta disciplina outras iniciativas, como o lançamento, em 2023, da possibilidade de os alunos de pós-graduação obterem créditos por atividades de inovação e empreendedorismo durante seus cursos e o Programa Hangar, que oferece a oportunidade para estudantes da pós-graduação stricto sensu aprenderem a transformar suas pesquisas em negócios”, destaca. 

Realizada ao longo de duas semanas durante o mês de janeiro, na modalidade intensiva, a edição de 2024 reuniu mestrandos e doutorandos de quatro programas: Ciência da Computação, Direito, Engenharia e Tecnologia de Materiais e Psicologia. Ministrada pelos professores Jorge Audy e Rafael Prikladnicki, superintendente de inovação e desenvolvimento e assessor da superintendência de inovação e desenvolvimento do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), respectivamente, a disciplina contou, ainda, com convidados para abordar tópicos específicos.     

Milene Selbach Silveira, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação destaca que oferecer oportunidades de formação sobre inovação e empreendedorismo permite tanto estimular a criação de novos negócios, quanto fomentar atitudes inovadoras e empreendedoras no dia a dia de mestrandos/as e doutorandos/as.

“Além deste foco, que é o cerne da disciplina, as trocas possibilitadas entre estudantes de diferentes áreas do conhecimento são outro fator fundamental. Cada vez mais temos estudantes de outros cursos em nossas disciplinas, trazendo suas vivências sobre o assunto, o que tem proporcionado discussões riquíssimas em sala de aula e oportunidades de realização de trabalhos conjuntos incorporando estes diferentes saberes e perspectivas”, declara.   

Foto: Divulgação Tecnopuc

Longe de ser uma proposta isolada, a disciplina é exemplo das oportunidades que os estudantes da PUCRS têm de vivenciar uma trajetória de inovação e empreendedorismo na Universidade, bem como de transformar seu conhecimento em impacto social positivo. Dentro dessa perspectiva, estão o Track Startup, que integra as sete Escolas da Universidade, o Laboratório Interdisciplinar de Empreendedorismo e Inovação da PUCRS (Idear) e o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) com o objetivo de fortalecer o ecossistema de inovação.

A iniciativa envolve disciplinas nos diferentes cursos; eventos – como a Maratona de Inovação e o Tecnopuc Experience; programas, como o Startup Garage; e atendimentos individualizados pelas equipes do IDEAR e do Tecnopuc Startups. Na pós-graduação, destaca-se o Programa Hangar – direcionado a apoiar estudantes na transformação de seus projetos de pesquisa em negócios.      

Sobre as aulas 

Organizada em oito encontros e com carga horária total de 30 horas-aula, a disciplina Empreendedorismo Digital oferece uma imersão no ecossistema de inovação da Universidade. Mesclando aulas teóricas e práticas, os alunos aprendem sobre inovação e conhecem recursos para explorar suas pesquisas sob a ótica do empreendedorismo e do impacto.   

Na aula com a equipe do Tecnopuc Startups, por exemplo, o grupo aprendeu a montar um Lean Canvas – ferramenta de gerenciamento estratégico adaptada do Business Model Canvas para a realidade de startups, e a fazer um pitch – modelo objetivo e rápido de apresentação de negócios, projetos e ideias. Além da abordagem desses assuntos, realizada por Vinícius Becker e Pedro Lunelli, do Tecnopuc Startups, os estudantes tiveram um bate-papo com representantes de duas startups que integram o Tecnopuc: Débora Engelmann, da Whispers, e Julia Couto, da NoHarmAI. Em comum, ambos os negócios foram originados de pesquisas realizadas na Pós-Graduação.   

Também houve uma visita pelo Tecnopuc, guiada por Daniel Laguna, líder de prospecção, na qual o grupo pode conhecer mais a estrutura do Parque, bem como os programas nele desenvolvidos e as empresas integrantes do ecossistema – de startups a corporates. Já no último encontro, os alunos apresentaram seus projetos de pesquisa em um pitch de até cinco minutos, preparado a partir do Lean Canvas por eles preenchido. Uma banca composta por Pedro Lunelli, Gabriele Jeffman e Jéssica Rodrigues, do Tecnopuc Startups, avaliou as apresentações e destacou as conexões que os estudantes conseguiram fazer entre suas pesquisas científicas e a adaptação delas como propostas para o mercado.   

“Criamos essa disciplina após uma provocação e um convite do então coordenador do PPGCC, professor Luiz Gustavo – atual diretor de pós-graduação na PROPESQ. Desde então, sempre nos surpreendemos com a repercussão e o interesse genuíno dos alunos em conectar cada vez mais sua pesquisa com o impacto que ela pode gerar na sociedade. O fato de a cada ano aumentar o número de alunos de diversos programas de pós-graduação da Universidade que se matriculam demonstra o quanto esse tema é importante e necessário. E isso só aumenta a nossa responsabilidade de continuar discutindo inovação, desenvolvimento e impacto na sociedade em todos os níveis de ensino na PUCRS”, avalia Prikladnicki.   

Foto: Giordano Toldo

A avaliação feita pelo grupo de estudantes ao final das aulas vai ao encontro da fala do professor Rafael.

“A disciplina foi extremamente importante para mim, principalmente porque estou no primeiro semestre, ainda definindo o que pesquisarei. Entrei com muitas dúvidas e saio dela com muitas outras perguntas, mas são perguntas muito mais assertivas, que vão me direcionar para o lugar que quero ir. Isso já me ajudou muito. Fora a questão de toda essa mentalidade, desse ecossistema de inovação que a gente vivencia ao longo dessas duas semanas. Isso realmente é enriquecedor e motiva muito para criar coisas novas”, avalia Neverson Santos, que está no início do mestrado em Ciência da Computação.     

Gabriel Hamester, bacharel e mestre em Direito pela PUCRS e doutorando do segundo ano de Direito, compartilha da opinião do colega e destaca a possibilidade que a disciplina deu para os alunos testarem seus problemas de pesquisa de forma aplicável e de se relacionar com estudantes de outras áreas para criar soluções com base em suas descobertas acadêmicas: “Essa disciplina me trouxe certeza daquilo que quero pesquisar e, principalmente, aplicar. E o próprio Parque me dá a oportunidades de construir essa trilha e buscar efetivar esse problema. No meu caso, é um problema que envolve a sociedade e eu preciso buscar parceiros em outras áreas que vão contribuir”, enfatiza.   

Para além da disciplina   

Oferecida desde 2020, a disciplina já teve diferentes formatos: vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação e aberta a todos os pós-graduandos da PUCRS, bem como adaptada para necessidades específicas dos programas das escolas de Negócios, Direito e Medicina. Seus resultados têm sido observados para além dos créditos e desempenhos acadêmicos.   

Júnior César Alves, CEO e founder da Aidron, fez a disciplina enquanto estava no Mestrado em Ciência da Computação. Ele conta que já tinha começado a empreender, mas que as aulas abriram uma série de visões sobre como estruturar o modelo de negócios. Hoje, a startup do Júnior é integrante do Tecnopuc e vinculada ao NAVI – Hub de AI e Ciência de Dados liderado pelo Tecnopuc e pela Wisidea Ventures: “O principal diferencial é o networking que o Tecnopuc proporciona. São iniciativas de fomento nas startups, transcendendo de apenas um local onde me reúno com outros empreendedores. Fora as seções de mentoria que estão sempre dispostos a fazer”, declara o empreendedor.  

FAÇA MESTRADO OU DOUTORADO NA PUCRS

Jorge Audy faz oarte da nova diretoria da Associação Internacional dos Parques Científicos e Áreas de Inovação (Iasp). / Foto: Divulgação

O Brasil está representado pelo superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc e membro do Conselho Editorial da RBS, Jorge Audy, na nova diretoria da Associação Internacional dos Parques Científicos e Áreas de Inovação (Iasp), que se reuniu pela primeira vez entre 12 e 14 de fevereiro em Málaga, na Espanha, onde fica a sede mundial da Iasp. 

Na ocasião, o grupo, composto por especialistas de diversos países, discutiu a estratégia futura da associação e delineou o caminho a seguir neste ano. Além dos diretores-executivos, estiveram presentes os presidentes das seis divisões da Iasp: América Latina, América do Norte, Europa, Oriente Médio, África e Ásia. 

Leia também: 4 tendências de tecnologia para ficar de olho em 2024

A associação planeja eventos regionais em Nairobi, Brasil, Canadá, Reino Unido e Emirados Árabes Unidos em 2024, e o primeiro deles é no Tecnopuc, em Porto Alegre. Será a Conferência Iasp América Latina 2024, em março, que debaterá sobre o tema “Alianças para Inovação – Conectando a América Latina para Impacto” e será realizado pouco antes do South Summit Brasil. A importância desses encontros regionais é concentrar os membros nas questões mais relevantes em diferentes partes do mundo. 

Este ano, a associação também lançará a Pesquisa Global 2024 para identificar as últimas tendências e explorar dados sobre parques científicos, áreas de inovação, distritos de inovação e outros espaços de inovação. 

Diretoria Executiva da Iasp para os próximos três anos:

Presidente: Lena Miranda (Linköping Science Park, Suécia)
Diretora-geral: Ebba Lund (Dinamarca)
Vice-presidente: Salvatore Majorana (Kilometro Rosso, Itália)
Financeiro: Jorge Audy (Tecnopuc, Brasil) 

Sobre a Iasp

A associação lançará a Pesquisa Global 2024 para explorar dados sobre parques científicos, áreas de inovação, distritos de inovação e outros espaços de inovação. / Foto: Divulgação

A Iasp é a principal associação de espaços de inovação em todo o mundo. A sua missão é ser a rede global para parques científicos, distritos de inovação, áreas de inovação e outras comunidades de inovação, impulsionando o crescimento, a internacionalização e a eficácia dos seus membros. 

A associação coordena uma rede ativa de profissionais de inovação, apoiando a sua missão de promover o desenvolvimento econômico sustentável nas suas cidades e regiões. Também ajuda a melhorar as novas oportunidades de negócios para os membros e suas empresas, aumentando sua visibilidade e multiplicando suas conexões globais, além de representar parques e áreas de inovação em fóruns e instituições internacionais e auxiliar no desenvolvimento de novos STPs e AOIs. 

Sobre a Conferência Iasp no Tecnopuc  

Entre os dias 18 e 20 de março, representantes de parques científicos e tecnológicos e de áreas de inovação do mundo todo se encontrarão na capital gaúcha durante a Conferência Iasp América Latina 2024 (https://www.pucrs.br/iasp/). Com o tema “Aliança para Inovação – Conectando a América Latina para o Impacto”, a programação de três dias contempla painéis, day pass no South Summit Brazil 2024 e visitas técnicas a quatro ambientes de inovação do Rio Grande do Sul: Tecnopuc, Tecnosinos, Zenit e Instituto Caldeira.   

O encontro é organizado pela Iasp e pela Aliança para Inovação UFRGS, PUCRS e Unisinos, através de seus parques científicos e tecnológicos, com apoio da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul e do South Summit Brazil 2024. No evento, especialistas envolvidos na transformação de Porto Alegre e de outras cidades do mundo compartilharão experiências e desafios dos ecossistemas regionais, dividindo painéis com palestrantes de localidades diferentes para discutir como avançar na conexão da América Latina e gerar impacto local por meio da inovação. 

Sobre o Tecnopuc 

O Tecnopuc – Parque Científico e Tecnológico da PUCRS – é um ecossistema de inovação global cuja missão é ajudar a transformar a sociedade por meio do conhecimento aplicado em negócios inovadores e de impacto ambiental, social e econômico, desenvolvendo e conectando talentos e organizações anywhere a partir da ciência e da tecnologia. 

A atuação do Tecnopuc se baseia em quatro áreas: indústria criativa, tecnologia da informação e comunicação, ciências da vida e energia e meio ambiente. Esse ecossistema abriga 250 organizações e 6,5 mil pessoas, conectadas a mais de 150 ambientes de inovação espalhados pelo mundo. Em 10 anos, a meta é desenvolver mil negócios inovadores nesse ambiente. 

Algumas das organizações globais expoentes ligadas ao Tecnopuc são Apple Developer Academy, HP, Huawei, KPMG, Marcopolo e Junior Achievement, enquanto as nacionais e startups incluem Globo, Sebrae UOL Edtech, 4all, Getnet, entre muitas outras. 

Leia também: PUCRS tem presença confirmada no SXSW 2024

O Campus possui diversos espaços de descanso e descontração/ Foto: Giordano Toldo

Nem só de aulas, estudo e avaliações é feita a vida universitária: momentos para descontrair, se divertir e relaxar, sozinho ou com os amigos, também fazem parte dessa trajetória. E, para os alunos da PUCRS, não seria diferente – o Campus tem espaços relaxantes para ajudar a cuidar da mente, do corpo e da alma. Confira algumas dicas sobre os melhores cantinhos para relaxar no campus: 

Espreguiçadeiras 

As espreguiçadeiras nos gramados são uma ótima opção para curtir a vista, estar perto da natureza e relaxar lendo um bom livro ou escutando música, por exemplo. Você pode encontrá-las em frente ao Living 360° (prédio 15) e perto do prédio 30. 

Sala de meditação 

Para que gosta de meditar, a dica é a sala de meditação, que fica localizada no terceiro andar do Living 360° (prédio 15). Vale a pena reservar um horário do dia para ir lá e ter esse momento de calmaria e tranquilidade, que traz grandes benefícios para o bem-estar e a saúde de forma geral. 

Leia também: 5 dicas práticas para quem quer começar a meditar   

Térreo do Living 360°  

O Living também possui um espaço especialmente para os momentos de descontração: balanços, sofás, pufes, mesas de sinuca, pebolim e ping-pong e um quiosque da Casa Bauducco estão à disposição dos alunos no térreo do prédio 15. Além, é claro, do restaurante Fifteen Sports Bar. 

ATL House 

A casa da Rádio Atlântida na PUCRS é o lugar ideal para quem busca um espaço de descontração. Além dos sofás e pufes, a ATL House também conta com mesas de sinuca, um jogo de fliperama e uma TV com console de videogame – e sempre tem música tocando. Há ainda um estúdio de rádio onde são gravados programas da Rádio Atlântida, permitindo que os estuantes, em especial os de comunicação, tenham acesso ao processo de produção desses programas em tempo real. O espaço também abriga os restaurantes Rafa Sushi, Canal Café e Severo Garage, para quando bater a fome. 

Redes do Tecnopuc 

O Tecnopuc não fica de fora: as áreas externas do lugar possuem várias redes para quem quer relaxar ao ar livre. Seja para ficar deitado, descansando, organizando as ideias e esperando a inspiração chegar ou para juntar os amigos e colocar a conversa em dia, as redes do Tecnopuc são uma boa pedida. 

Leia também: Visitando a PUCRS: o que fazer no Campus durante as férias 

Conheça organizações e empresas do Parque Tecnológico da PUCRS que estão atuando nessa causa. / Foto: Envato

O câncer é o segundo tipo de doença que mais causa óbito no Brasil, perdendo apenas paras doenças cardiovasculares. No entanto, o número de fatalidades causadas pela doença tende a aumentar: de acordo com Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (Incra) as mortes por câncer no Brasil terão um aumento de quase 99% até 2050. A estimativa da entidade é que é de que até metade da década existam 1,15 milhão de diagnósticos da doença e 554 mil óbitos (98,6% a mais em relação aos ocorridos em 2022).  

A alta nos números alerta para a necessidade de uma atuação conjunta da sociedade em prol da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento dessa doença. Startups e organizações que integram o Parque Tecnológico da PUCRS têm atuado no combate ao câncer. Conheça algumas das iniciativas.  

WebMed  

A WebMed, startup responsável pela ShortMed (plataforma de suporte ao diagnóstico precoce e conexão entre paciente e serviço de saúde em diferentes patologias), firmou uma parceria com o Hospital Ernesto Dornelles (HED) para auxiliar no diagnóstico e tratamento do câncer de mama. Na prática, qualquer pessoa pode preencher um questionário online que identificará se ela apresenta risco para a doença e, em caso positivo, a conectará de maneira rápida a um profissional de saúde da rede pública ou privada. Essa conexão irá de acordo com os dados fornecidos pelo usuário.     

A solução ShortMed foi criada em 2020 para identificar casos de burnout em profissionais da saúde durante a pandemia de Covid-19, devido ao fundador e CEO, Luciano Lorenz, ter entrado em burnout. Desde então, tem sido utilizada para rastreio de outras 16 patologias / áreas terapêuticas, com diferentes parceiros, e já encurtou o caminho entre diagnóstico e início de tratamento de 40 mil pessoas em 3 anos, período em que a plataforma teve 1,5 milhão de acessos.    

Thummi  

A Thummi é uma plataforma de monitoramento remoto para pacientes oncológicos que busca oferecer maior assertividade no tratamento. O paciente utiliza o aplicativo para registrar e organizar os eventos do dia a dia, como sintomas, sentimentos, efeitos colaterais e consultas. Todos esses registros são reportados em tempo real para a equipe médica – conforme a autorização do paciente. Além disso, o próprio algoritmo do aplicativo alerta sobre a necessidade de ir a uma emergência ou consultar a equipe médica imediatamente, em caso de o paciente relatar sintomas que necessitem dessa atenção. Esse acompanhamento permite ao paciente se sentir mais seguro e à equipe médica ter mapeada toda a jornada, o que torna o tratamento mais assertivo.   

Criado em 2018 pelos médicos oncologistas Alessandra Morelle e Carlos Barrios, pelo pneumologista Carlos Eurico Pereira e pelo engenheiro de software Ronaldo Aloise Júnior, o aplicativo é gratuito aos pacientes e já ajudou no acompanhamento de mais de 5 mil pessoas em tratamento.   

Alora  

A Alora é uma startup especializada em cosméticos para pacientes oncológicos. Seus produtos previnem e minimizam os efeitos indesejáveis causados na pele e mucosa oral em decorrência da quimioterapia e radioterapia. A composição dos produtos é vegana e livre de substâncias tóxicas.  

A startup foi fundada pelos farmacêuticos Patrícia Benvenutti e Luciano Marques Borges, após perceberem que a maioria dos pacientes relatava problemas relacionados à pele, entre eles ressecamento, coceira, descamação, sensibilidade, inchaço e dor nas mãos e pés durante o tratamento oncológico – o que, em muitos casos, resultava na interrupção do tratamento em função dessas reações.    

Instituto de Governança e Controle do Câncer (IGCC)  

O IGCC é uma organização sem fins lucrativos criada a partir da experiência do City Cancer Challenge Foundation em Porto Alegre. Com atuação nacional, o instituto tem como missão apoiar cidades e parceiros na elaboração e implementação de políticas públicas, projetos e pesquisas que ajudem a diminuir a brecha existente com relação ao acesso aos melhores tratamentos de câncer.  

Leia também:

A missão na Colômbia contou com a presença de lideranças da Universidade e do Tecnopuc. / Foto: Divulgação

Conhecer as ações e estabelecer parcerias com algumas das melhores universidades colombianas nas áreas de impacto social e extensão solidária, especialmente na atuação dessas instituições no contexto da Terceira Missão das universidades  – relacionada ao compromisso social. Esse é o objetivo da missão de trabalho à Colômbia, realizada entre os dias 13 e 20 de janeiro. Liderada pelo Ir. Evilázio Teixeira, Reitor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), participam também da comitiva da PUCRS Jorge Audy, superintendente de inovação e desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc, e o Ir. Donavan Machado.  

A Colômbia é a principal referência latino-americana na área de inovação social, com projetos reconhecidos internacionalmente pela transformação social gerada pela atuação das universidades junto às comunidades. Além desse foco na atuação institucional como vetor do processo de desenvolvimento social e econômico, a missão reforça uma estratégia de aproximação com os países latino-americanos (cooperação sul-sul), iniciando estrategicamente com as universidades colombianas, que apresentam os melhores indicadores e ações de impacto social na região, em especial nos Parques Científicos e Tecnológicos e na pesquisa aplicada.   

“Essa missão na Colômbia, visitas a tantas universidades, reuniões com tantas pessoas diferentes, de modo especial, com os colegas Reitores corrobora, para minha alegria, que estamos no caminho certo. A PUCRS, uma vez mais está bem alinhada com as melhores universidades do mundo. Temos cooperação com as melhores instituições de ensino superior do globo, mas insisto que essa maior aproximação com a América Latina, cada vez mais deve fortalecer nossa diretriz estratégica, e isso se faz com projetos bem definidos e concretos. O tema da Inovação Social nos desafia a darmos passos maiores e audaciosos na consolidação de nossa Universidade com uma Instituição reconhecida, e, comprometida com o desenvolvimento da sociedade, melhorando a vida das pessoas, e, para isso, devemos priorizar nosso entorno. Importante dizer também que requer o envolvimento de todos: universidade, poder público constituído, setor produtivo e sociedade civil organizada. Juntos, se nós realmente quisermos, podemos transformar Porto Alegre numa referência para o mundo. Pessoalmente, eu sonho e acredito nisso. Outro começo, aquilo que está por vir nos interpelar. Antecipemos o futuro”, declara o Ir. Evilázio Teixeira. 

As reuniões desta primeira semana de trabalho envolveram as principais Universidades de Bogotá: Nacional da Colômbia, La Salle, Uniminuto, Javeriana e La Sabana. Além da comitiva da PUCRS e dos representantes das universidades colombianas, Kelly Henao, executiva de projetos cooperativos internacionais da Associação Columbus, com sede na Unesco, Paris, também participou de algumas reuniões – Javeriana, Uniminuto e La Sabana. Todas as universidades visitadas estiveram na PUCRS, durante o Encontro de Reitores sobre Universidades Inovadoras, promovido pela Associação Columbus em novembro de 2023 e que envolveu as universidades internacionais associadas em torno do tema da Inovação nas Universidades no contexto da Terceira Missão. No evento, o Reitor da PUCRS foi reconduzido como membro titular do Conselho Superior da Associação.   

Confira como foi a visita às universidades: 

Universidade Nacional da Colômbia 

Na Universidade Nacional da Colômbia, em Bogotá, a comitiva da PUCRS foi recebida pela Reitora, Profa.  Dolly Montoya Castaño, e pelo Vice-Reitor de Investigação e Inovação, Camilo Yunes, bem como os gestores da área de Inovação, Transferência de Tecnologia e Empreendedorismo da Universidade. Os gestores da Universidade destacaram a visão institucional com relação à terceira missão, de inovação para impacto social, não para geração de receitas. A Universidade Nacional da Colômbia é a maior e mais reconhecida instituição de ensino superior do país, atuando em 9 diferentes departamentos (Estados), com mais de 50 mil alunos de graduação e 7 mil alunos de pós-graduação. A atuação da Universidade é pautada pelo atendimento das demandas sociais das comunidades de toda a Colômbia. 

Durante a visita, os gestores apresentaram os principais projetos nessa área, envolvendo os serviços acadêmicos (consultoria), inovação social (extensão solidária) e projetos de extensão junto às comunidades. Foram detalhados os projetos de geração de spin-offs (startups derivadas das atividades de ensino e pesquisa), áreas de deep techs estratégicas, atuação da Universidade no projeto regional (Brasil, Colômbia e Peru) do Arco Norte (Parque Tecnológico Socioambiental em Tabatinga, na Amazônia), Semilleiros de Inovação, Laboratório de Inovação para a Paz e Projetos de Inovação Social Universidade no Bairro, Hospital no Bairro e projetos conjuntos com as prefeituras locais.

O Vice-Reitor de Pesquisa e o Diretor de Inovação Empreendedorismo, Diego Torres, estarão na PUCRS em março deste ano para a Conferência IASP América Latina e também participarão do South Summit Brazil, realizado em Porto Alegre. 

Universidade La Salle 

PUCRS na Universidade La Salle. / Foto: Divulgação

Na visita à Universidade La Salle, a comitiva da PUCRS foi recebida pelo Reitor Nick Murcia, pela Vice-Reitora de Transferência e Inovação, Ruth Rodrigues Andrade, e pelos Diretores de Filantropia e Projetos de Relações Produtivas. Foi apresentado o Projeto Utopia, com foco na Paz nas regiões amazônicas e rural da Colômbia. Esse projeto de forte impacto social visa fixar os jovens nas suas regiões, com um modelo de educação rural e experiencial, visando ao desenvolvimento do território e à formação de lideranças locais.  

A visão estratégica da Universidade é a ruralidade, a educação e o trabalho no campo, com todos os cursos de graduação e pós-graduação atuando na geração de empreendimentos e startups locais nas cidades do interior do país. O Reitor destacou o papel da Universidade na superação da pobreza no país e o Projeto Utopia como um Laboratório da Paz e geração de oportunidade para os jovens colombianos do campo. Durante o encontro entre os Reitores, foram destacadas as ações conjuntas e parcerias já existente entre Universidades La Salle em Barcelona, com o Prof. Josep Pique, consultor do Tecnopuc e do Pacto Alegre no âmbito da Aliança para Inovação de Porto Alegre (PUCRS, UFRGS e UNISINOS), e com a La Salle de Canoas (RS, Brasil), com a atuação do ex-Reitor e atual membro da Câmara de Educação Superior do CNE, Ir. Paulo Fossatti.   

Universidade Minuto de Dios – Uniminuto 

Na visita à Universidade Minuto de Dios, recebidos pelo Reitor Juan Pacheco Duarte e pelo Vice-Reitor Jairo Alberto Garcia, a comitiva da PUCRS visitou o Parque Científico de Innovación Social, que, vinculado à Uniminuto é o mais reconhecido Parque Tecnológico de Inovação Social da América Latina, alicerçando suas ações em 5 pilares de atuação (moradia, educação, cultura, trabalho e espiritualidade) na comunidade de mais baixa renda em toda a Colômbia. São mais de 100 mil alunos, com diversos campi e reitorados no território colombiano.  Foi apresentada a trajetória da instituição de forte atuação local com populações carentes e os modelos de captação de recursos para apoio dos projetos sociais nos 5 pilares de atuação nas comunidades. A Universidade está organizada por meio de diversos empreendimentos independentes e autônomos nas áreas de comunicação, educação e cultura (museus de arte).  

Também foi realizada uma reunião com a Vice-Reitora General Acadêmica e de Assuntos Estudantis, Stefani Lavaux, que esteve na PUCRS no ano passado, onde foi apresentado o modelo curricular dos cursos da Universidade, com forte ênfase na atuação nas comunidades, no formato service learning. O Reitor e o Vice-Reitor confirmaram presença no evento internacional da IASP na PUCRS em março, sendo que o Reitor Juan Fernando será um dos palestrantes do evento, apresentando o case do Parque de Inovação Social da Uniminuto no painel de Inovação Social do evento. Também participarão do South Summit Brazil em Porto Alegre na mesma semana.  

Universidade Javeriana 

O Reitor da PUCRS teve um encontro com o Reitor Luis Fernando Munera, da Universidade Javeriana, uma das mais reconhecidas Universidades Jesuítas da América Latina. Também participou da visita a Vice-Reitora Liliana Sanchez. Em decorrência direta desse encontro, foi alinhado um convênio de soft landing que será implementado entre as duas Universidades no próximo mês, envolvendo o Tecnopuc e o Parque Científico da Javeriana. Durante a reunião, também foram abordadas as relações próximas e colaborativas existentes entre a PUCRS e as Universidades jesuítas PUC Rio e UNISINOS no Brasil. 

UniSabana 

Ainda nesta semana inicial da missão na Colômbia, foi realizada uma imersão na UniSabana, na região de La Sabana, próxima a Bogotá. Na visita, a comitiva da PUCRS foi recebida pelo Reitor Rolando Roncario, pelo Vice-Reitor de Inovação e Desenvolvimento, Juan Carlos Camelo, e pela Diretora de Relações Internacionais, Alejandra Gonzáles. Os Reitores aprofundaram diversas reflexões sobre os desafios e o futuro da educação superior, destacando o novo papel da universidade na sociedade e as novas demandas sociais, que exigem que as instituições tenham um efetivo impacto e relevância nas comunidades, tanto do ponto de vista social como de desenvolvimento econômico dos países.  

O Reitor apresentou as principais instâncias colombianas na área de desenvolvimento, como o Projeto Conect, no âmbito da Quadrupla Hélice, e a Agência Nacional Conecta, onde a Universidade La Sabana atua de forma ativa. Foram abordados os temas das Universidade de Terceira Geração e os desdobramentos da terceira e da quarta missão da Universidade na América Latina. A Universidade atua de forma prioritária, tanto no ensino quanto na pesquisa, nas áreas saúde, agronegócios e mudanças climáticas. Foi apresentado o projeto, em fase de captação recursos da ordem de 60 milhões de dólares, de construção do Parque Científico e Tecnológico de La Sabana (projeto CITIIES), junto ao campus da Universidade, em uma área de 40 hectares. Os gestores da Unisabana já estiveram no Tecnopuc no ano passado e foi assinado um convênio de cooperação entre a PUCRS e a Unisabana, com foco inicial em parcerias no desenvolvimento tecnológico (na área de Inteligência Artificial) e no desenvolvimento do novo Parque Tecnológico da Universidade. O convênio já foi encaminhado pela área de Cooperação Internacional da PUCRS. Um destaque muito especial desta visita foi conhecer o campus da Universidade, de altíssimo nível, em padrão de classe mundial, único no contexto da América Latina.  

Após essas visitas às universidades e reuniões com reitores, a comitiva da PUCRS segue para a segunda etapa da missão, na cidade de Medellin. Nela, o grupo será recebido pelo Prof. Santiago Uribe, da Universidade de Antioquia e consultor do Tecnopuc e do Projeto Territórios Inovadores do Pacto Alegre, para conhecer os projetos de inovação social da cidade de Medellin, o Parque Tecnológico Ruta N e a Universidade de Antioquia. 

Jorge Audy é o representante da PUCRS, COMUNG e da comunidade acadêmica nacional no Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. / Foto: Giordano Toldo

Em nenhum outro tempo na história das nações a Educação e a Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) foram tão importantes para as sociedades, atuando como fatores determinantes do desenvolvimento social, ambiental e econômico. Soberania nacional na contemporaneidade envolve o domínio do ciclo científico e tecnológico bem como sua aplicação nas empresas e na sociedade por meio da inovação. Assim a UNESCO entende o papel da Educação Superior no século XXI. 

Desde o mês de outubro ocorrem diversos encontros regionais preparatórios para a V Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (V CNCTI), lançada pela Presidência da República e sob responsabilidade do Ministério de Ciência e Tecnologia (criado como resultado da I CNCTI em 1985). O tema será a Ciência, Tecnologia e Inovação para um Brasil Justo, Sustentável e Desenvolvido, tendo como objetivo propor ações e recomendações para o Plano Decenal de Ação de CT&I 2025-2035. A Conferência é uma oportunidade única e necessária para aprofundar as questões relativas às áreas de CT&I e buscar os consensos possíveis entre os diversos níveis de governo, as empresas, as universidades e a sociedade civil organizada sobre a importância da inovação para nosso país concretizar seu futuro de protagonista no cenário social, ambiental e econômico mundial. 

Entre as temáticas centrais da Conferência estão as questões referentes aos eixos estruturantes que norteiam a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI 2024-2030):  recuperação, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, ao desenvolvimento social e ambiental, a inovação nas empresas e a priorização dos programas e projetos estratégicos nacionais. Quais serão nossos focos no futuro, seja nas áreas tecnológicas (Inteligência Artificial, Terapias Avançadas, Semicondutores…), seja nas áreas de aplicação (Saúde, Educação, Alimentação, Indústria, …)? A participação de representantes dos diversos segmentos da sociedade é da máxima importância em função da necessidade da geração de consensos, não só sobre a importância da CT&I para o futuro do país como uma nação autônoma e soberana, mas também as formas e modelos de financiamento e investimento nesta área, tanto nos setores públicos como privados. 

A Conferência foi lançada pelo Presidente da República quando da instalação do Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CCT/PR) da Presidência da República em julho deste ano. As reuniões preparatórias começam a ocorrer em novembro deste ano nas diversas regiões do país, seguidas pelas reuniões estaduais e regionais sob responsabilidade do CONFAP (Confederação das Fundações de Apoio à Pesquisa) e do CONSECTI (Confederação das Secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação). Em junho de 2024 a V CNCTI ocorrerá em Brasília, tendo como Secretário Geral o Prof. Sérgio Rezende, ex Ministro de CT&I do Brasil.    

As grandes soluções para os graves problemas e desafios que vivemos estão na CT&I. Somente para usar um exemplo recente, a crise sanitária que vivemos mostrou isso com clareza. A identificação destes problemas e desafios nacionais futuros permitirão a priorização de projetos científicos transdisciplinares nacionais de longo alcance, que induza projetos em rede, interligando pesquisadores e centros de investigação nacionais e internacionais. Análise de cenários e planejamento são ferramentas fundamentais para a identificação dos consensos mínimos para a construção de um futuro melhor para nossa nação, conectando finalmente os planos de desenvolvimento nacional com a CT&I..   

Em tempos onde temas como a paz e as mudanças climáticas dominam os acontecimentos, emerge cada vez a educação e a CT&I como fatores centrais, talvez únicos, que possam nos ajudar a superar os desafios, disseminando uma cultura de respeito à valores globais necessários, como os direitos humanos, a justiça, a paz, sustentabilidade ambiental, o respeito à diversidade e a redução às desigualdades. 

Neste contexto, a V Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação deverá perseguir uma agenda focada na busca dos consensos mínimos necessários para a proposição de políticas e diretrizes que mostrem o caminho para a inserção do Brasil entre os grandes países do mundo, tendo a educação e CT&I como os pilares do processo de desenvolvimento social, ambiental e econômico no próximo decênio. Estaremos prontos para gerar entre consensos?   

Jorge Audy
Superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc; Membro do CCT/PR

*Texto originalmente publicado em GZH

A PUCRS recebeu uma homenagem pela colaboração da Universidade com a inovação. Foto: Giulian Serafim/PMPA

O Tecnopuc participou da 8ª Reunião de Mesa do Pacto Alegre, movimento que busca transformar Porto Alegre em um polo de inovação, atração de investimentos e empreendedorismo, que aconteceu na manhã de 23 de novembro, no Plaza São Rafael Hotel. Os trabalhos foram conduzidos por Jorge Audy, superintendente de inovação e desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc e membro da Aliança pela Inovação – articulação entre UFRGS, PUCRS e UNISINOS para potencializar ações de alto impacto em prol do avanço do ecossistema de inovação e do desenvolvimento; e Luiz Carlos Pinto, secretário de inovação do município e coordenador do Pacto Alegre. 

Na pauta do dia, a apresentação do panorama dos três projetos em andamento: Destino Poa, Cidade Educadora e Territórios Inovadores, palestra do antropólogo colombiano Santiago Uribe, além de falas de autoridades presentes, homenagens a instituições que promovem a inovação na cidade e da submissão de um novo projeto à mesa. 

Homenagem à PUCRS 

No início da reunião, a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) recebeu uma homenagem pela sua colaboração à inovação em Porto Alegre. O reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, recebeu a condecoração do vice-prefeito de Porto Alegre, Ricardo Gomes. O Badesul também foi homenageado. 

“No mês em que a PUCRS completa 75 anos, receber esse reconhecimento do Pacto Alegre, um movimento tão importante para a nossa cidade, é motivo de muita alegria. Faz parte da missão da nossa Universidade preparar pessoas para mudar o mundo para melhor e, nesse contexto, estamos comprometidos com promover e apoiar projetos de inovação e impacto”, declarou o reitor.

Ir. Evilázio, que também representou as três universidades da Aliança pela Inovação na fala de boas-vindas da mesa, levantou dois avanços fundamentais que aconteceram ao longo dos primeiros anos do Pacto Alegre: “[…] primeiro, compreendemos que com um mesmo propósito, podemos somar esforços, superar diferenças e atuar juntos, de maneira colaborativa.  Segundo: os projetos do Pacto Alegre evidenciam que assumimos de fato o compromisso por desenvolver ações concretas que estão transformando Porto Alegre e construindo um inédito ecossistema de inovação em todas as dimensões que irá gerar cada vez mais consequências em diversos âmbitos”. 

Projeto do Green Thinking é acolhido pelo Pacto 

Esta foi a última reunião do ano da mesa do Pacto Alegre, que volta a se encontrar em fevereiro de  2024. / Foto: Giulian Serafim/PMPA

Lucas Fontes e Paula Moletta, da startup Green Thinking, membro do Tecnopuc, apresentaram à mesa o projeto Porto Alegre Sem Lixo, que visa atuar em diferentes frentes para tornar a capital gaúcha uma cidade lixo zero, a partir de uma melhor gestão dos resíduos. A proposta foi aceita por unanimidade pela mesa e passa a integrar o Pacto Alegre. 

“Hoje todo mundo gera resíduo. Então, o nosso principal papel é levar informação de forma correta, melhorando a nossa gestão de resíduos, incentivando as boas práticas, desenvolvendo tecnologias sociais, como a compostagem e a agrofloresta, potencializando a própria reciclagem e as unidades de triagem […]. Nosso sonho é fazer Porto Alegre voltar a ser referência na gestão de resíduos e inspirar mais municípios e capitais a serem lixo zero”, afirmou Paula. 

A iniciativa começa no Tecnopuc, onde o Green Thinking está construindo o Laboratório Lixo Zero. A startup já adotou esse movimento em suas atividades e visa promover ações por todo o Parque, pela Universidade, pelo bairro e, por fim, por Porto Alegre.  

Palestra de Santiago Uribe 

Consultor do Pacto Alegre para o Projeto Territórios Inovadores, o antropólogo colombiano Santiago Uribe falou sobre a experiência de Medelín, que enfrentou um contexto de extrema violência e hoje é referência em inovação.  

“Juntar um número importante de pessoas, instituições e empresas diversas para olhar pra frente com uma visão coletiva de cidade é a semente da verdadeira transformação social”, explicou Uribe. Segundo ele, o Pacto Alegre representa essa visão para Porto Alegre.

O antropólogo fez, ainda, uma analogia entre inovação social e a feijoada brasileira: “A feijoada brasileira não é brasileira. O feijão é da África, a linguiça da Espanha, o arroz é chinês. Mas se tornou brasileira porque vocês, com amor, a transformaram para dar um melhor significado. Tragam o melhor de todos vocês para transformem Porto Alegre. Isso é inovação social, isso é inteligência coletiva”. 

Esta foi a última reunião do ano da mesa do Pacto Alegre, que volta a se encontrar em fevereiro de  2024. 

Foto: Divulgação

A sexta edição do Tecnopuc Experience, principal evento do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS, contará com uma programação especial por meio de quatro trilhas de conhecimento, com participação de nomes e empresas de referência do mercado de inovação, em dezenas de atividades distribuídas em oito palcos. 

Com o conceito “Juntos inspiramos a inovação”, a expectativa deste ano é superar o número de três mil pessoas, público conquistado em 2022. Para isso, a programação foi construída de forma colaborativa, com a participação dos integrantes do Tecnopuc. Empreendedores e colaboradores de empresas e startups conectadas ao Parque abordarão temas relevantes, como inteligência artificial em diferentes segmentos, omnicanalidade, diversidade e inclusão, ESG e mudanças climáticas. Será uma oportunidade para profissionais e estudantes se atualizarem com o que há de mais relevante no âmbito da inovação.  

Uma das programações do evento será a Batalha de Startups, onde os empreendedores participantes irão receber mentorias ao longo dia para se prepararem para os pitchs. Este ano, uma das novidades será a Garagem – um espaço que contará com dezenas de startups que já passaram pelos programas de desenvolvimento do Tecnopuc e apresentarão suas soluções para a geração de negócios. O evento contará ainda com consultores do Sebrae que tirarão dúvidas de quem está pensando em empreender. 

“Este ano também estamos comemorando os 20 anos do Tecnopuc. Por isso, esta edição contará com uma sequência de palestras com representantes de entidades e instituições do ecossistema de inovação gaúcho e nacional. O cenário destes encontros será a Linha do Tempo do Tecnopuc, que foi atualizada com seus principais acontecimentos dos últimos cinco anos. Entre eles, o prêmio Triple E Awards 2023, que concedeu ao Parque o título de quarto melhor ecossistema de inovação global”, destaca Flávia Fiorin, gestora de operações e empreendedorismo do Tecnopuc. 

O Tecnopuc Experience é gratuito e acontecerá no dia 05 de outubro (quinta-feira), das 9h às 19h. A programação também contará com atividades de lazer, lounge com DJ, oficinas tecnológicas, opções de food truck e um um happy hour ao som do DJ Nego Minas. Confirme sua presença pelo site pucrs.br/tecnopucexperience

O evento conta com o patrocínio de Uol Edtech, Coalização pelo Impacto e Apple, e apoio de Finep, Thoughworks, SebraeX, Montanha Filmes, Associação Gaúcha de Startups, Rede Internacional Marista de Educação Superior (RIMES), Eisenbahn e Softsul.  

Serviço

PUCRS firma acordo para ampliação do ecossistema do Tecnopuc e criação de novos hubs/ Foto: Giordano Toldo

A Universidade realizou nesta quinta-feira (14/9) um evento de apresentação – à sociedade e parceiros – do Tecnopuc Business, iniciativa que amplia o ecossistema de inovação e dá início a uma nova proposta de educação em negócios, conectando ainda mais a Escola de Negócios com o Parque Científico e Tecnológico, Tecnopuc. O evento, que contou com autoridades municipais e estaduais, também serviu para celebrar a assinatura de convênios com o BADESUL, agência de fomento vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e as organizações MarCha e S Solutions.  

Em 2023, a PUCRS iniciou um novo ciclo de seu Planejamento Estratégico e, com a liderança da Escola de Negócios e do seu Parque Tecnológico, consolida o Tecnopuc Business, que busca mobilizar de forma colaborativa atores da sociedade, em especial as empresas e os níveis de governo, na criação de um modelo de educação em negócios integrado a novos ambientes do ecossistema de inovação. O propósito central é a transformação do conhecimento gerado na PUCRS em desenvolvimento econômico e social, oferecendo uma formação realmente imersiva com um formato inédito, conectando a Escola ao ecossistema de inovação desde o começo da vida acadêmica até a inserção profissional. 

Na ocasião, o reitor da Universidade, Ir. Evilázio Teixeira, destacou os motivos da criação deste projeto estratégico:  

“Temos muita clareza nesse posicionamento: ser uma instituição de excelência em educação em negócios no Brasil, aliando ensino, pesquisa e serviços ao ecossistema de inovação da PUCRS. O Tecnopuc Business faz justamente essa ponte: integra academia e mercado, produzindo conhecimento, transformando práticas, gerando negócios, gerando e distribuindo riquezas. E aqui se coloca um papel fundamental de uma universidade como a PUCRS, que completa 75 anos de existência em 2023: a geração de valor para a sociedade”, afirmou.  

Leia mais: PUCRS amplia ecossistema de inovação e lança proposta imersiva de ensino conectada ao seu Parque Tecnológico  

Também foi apresentado aos presentes o PUCRS Consulting, portfólio de serviços para empresas e organizações. Neste eixo se destacam a oferta de cursos de educação corporativa totalmente customizados para as empresas e uma unidade de consultoria em negócios especializada em projetos que requeiram alto grau de capacitação técnica, experiência de consultores renomados e estado-da-arte de conhecimentos em gestão, economia e contabilidade e controladoria. 

Novos hubs e a criação de um polo de inovação em fintech 

Gestores da PUCRS, membros da comunidade universitária e autoridades municipais estavam entre os presentes no evento/ Foto: Giordano Toldo

Com o Tecnopuc Business, a atuação do Parque em verticais estratégicas de mercado se amplia para as áreas de varejo e finanças. Nesse contexto, nascem os dois novos hubs de inovação com o DNA do Tecnopuc e da Escola de Negócios: o FINE, focado em soluções financeiras, e o Omni-X em omnicanalidade e experiência do consumidor. Com eles, o Tecnopuc passa a contar com nove Hubs, que atuam de forma colaborativa para promover a interação e a identificação de oportunidades de desenvolvimento e aceleração de negócios nas áreas de educação, agronegócio, alimentos, inteligência artificial, saúde, social e mobilidade. 

Os convênios assinados irão impulsionar a implementação do FINE Hub, iniciativa que busca revolucionar o setor de fintech (tecnologia financeira) na região Sul do País, criando um ecossistema que promova inovação, colaboração e crescimento econômico no setor financeiro. O novo hub irá reunir startups da área financeira, instituições financeiras e de desenvolvimento, investidores, reguladores e universidades.

Leia também: Agência Experiencial da Escola de Negócios combina imersão no mercado de trabalho e impacto social 

Estão previstas a criação um espaço de coworking específico para a área, uma plataforma virtual, serviços de orientação e suporte, além de oportunidades de financiamento e investimento. O projeto também inclui programas educacionais e iniciativas de treinamento, assim como uma estratégia robusta de marketing para a promoção de palestras e eventos. Além do impulso às startups e scale-ups de fintech, o novo espaço na Escola de Negócios da PUCRS irá oportunizar o desenvolvimento de talentos e um ambiente regulatório mais favorável.  

Estiveram presentes, além de gestores da Universidade e membros da comunidade universitária e do Tecnopuc, as seguintes autoridades: o vice-prefeito de Porto Alegre, Ricardo Gomes, o secretário Municipal de Transparência e Controladoria, Gustavo Ferenci, o diretor-presidente do BADESUL, Claudio Gastal, o diretor de Planejamento do BRDE, Leonardo Busatto, o diretor executivo da MarCha, Ernani Costa, a diretora de operações da S Solutions, Aline Figueiredo.  

Saiba mais: Escola de Negócios: conheça os cursos e as possibilidades de atuação