processo seletivo para mestrado e doutorado

Cada Programa de Pós-Graduação possui regras próprias, lembre-se de ler o edital atentamente. / Foto: Giordano Toldo

Prova, documentos, entrevista… às vezes parece que o edital de mestrado e doutorado tem tantos itens que assusta. Mas, na verdade, o processo é muito mais simples do que parece. Cada Programa de Pós-Graduação da PUCRS (PPGs) tem especificidades na seleção de candidatos e candidatas, conforme a sua área de atuação. Para ajudar você a se organizar e não perder o prazo de inscrição, preparamos um passo a passo de como funcionam os processos seletivos. 

Dependendo do curso que escolher, você não precisará realizar todas as etapas abaixo. Alguns PPGs fazem a avaliação dos documentos entregues e uma entrevista, outros exigem uma prova de proficiência, etc. Confira os cursos com vagas disponíveis para acessar o edital e, no tópico do processo seletivo, confira quais são os critérios utilizados no seu curso de preferência. 

Precisa de prova? 

Nem todos os PPGs aplicam prova como critério de eliminação ou classificação. Se necessário, ela será dissertativa, com base nas leituras indicadas previamente. Não é permitido consultar as obras ou qualquer outro material durante a prova. 

Documentação necessária 

No ato da inscrição online você deverá anexar os documentos solicitados, que podem ser gerais, como carteira de identidade, Cadastro de Pessoa Física (CPF), título de eleitor, comprovante de quitação com o serviço militar, link do currículo Lattes e diploma de graduação; ou até mesmo algum comprovante específico da sua área. 

Em alguns casos também é solicitado o memorial, um documento com resumo biográfico sobre a sua formação universitária e atividades técnicas, didáticas e científicas, por exemplo; ou um plano de trabalho, envolvendo atividades de ensino, orientação e pesquisa. 

Leia também: Como escolher a linha de pesquisa para mestrado e doutorado

Entrevista de seleção e defesa do projeto 

É um momento para você poder falar brevemente sobre a sua trajetória acadêmica, defender o seu projeto ou pré-projeto e explicar como ele se adequa à área e à linha de pesquisa escolhidas, como a pesquisa seria realizada, etc. Caso o seu PPG exija proficiência em outro idioma, poderá ser requisitada a leitura, com tradução livre, de um texto nesse idioma. 

Testando a proficiência em idiomas 

Livros, idiomas, processo seletivo para mestrado e doutorado

Não é exigida fluência no idioma e este não é principal critério de eliminação. / Foto: Camila Cunha

Nos casos dos PPGs que exigem a proficiência em outra língua, a comprovação poderá ser realizada com uma prova ou teste de escolha da Escola. Mas calma, o objetivo é identificar se você entende o idioma indicado no momento da inscrição. Não é exigida fluência no idioma, além de este não ser o principal critério de eliminação. 

Preparando o currículo Lattes 

Ele faz parte da Plataforma Lattes, que é um ambiente virtual criado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para integrar em um único sistema as bases de dados de currículos, grupos de pesquisas e instituições de todo o País. Se você ainda não tem um, preparamos um passo a passo descomplicado de como fazer o seu.

Leia também: Como escolher quem vai te orientar no mestrado ou doutorado?

A banca avaliadora 

Os critérios de avaliação são definidos pelas comissões de seleção, formadas por docentes de cada PPG. Elas são responsáveis por preparar as provas e as entrevistas individuais; analisar a documentação apresentada; avaliar o projeto e o Lattes e divulgar o resultado do processo seletivo. 

A classificação final do processo seletivo para mestrado e doutorado

Cada PPG tem uma forma diferente de avaliar os candidatos e as candidatas. Alguns utilizam pontuações para cada etapa, outros priorizam a adequação do projeto à linha de pesquisa escolhida, entre outros critérios. Os projetos homologados serão divulgados no site e no prazo indicados no cronograma do edital. Boa sorte, estamos torcendo por você! 

Não passei… e agora? 

Não desanime! Passar pelo processo seletivo em si já é uma forma de aprendizado e você estará mais preparado/a para apresentar o seu projeto novamente na próxima oportunidade. Uma dica é conversar com a coordenação do PPG de seu interesse para entender quais pontos podem ser melhor desenvolvidos e ficar de olho nos canais da PUCRS para saber das novidades. 

Leia também:

CONFIRA OS CURSOS COM VAGAS DISPONÍVEIS

Edital funciona com um guia completo para a seleção. / Foto: Envato Elements

Ao decidir fazer um curso de mestrado ou doutorado, após escolher a área em que deseja realizar a pós-graduação, um dos primeiros e principais passos é ler o edital. Ele serve como um guia completo sobre o processo seletivo, apresentando todas as informações necessárias sobre as diferentes etapas e orientando como proceder desde a inscrição até a divulgação dos resultados.  

Para garantir que tudo saia conforme o esperado durante a seleção, é importante ler o edital com atenção. Além disso, não perca o prazo: os programas de Mestrado e Doutorado da PUCRS estão com inscrições abertas até o dia 1º de dezembro 

Informações importantes que você encontra no edital:  

Leia também: Currículo Lattes: passo a passo para aprender a utilizar a plataforma 

Etapas do processo seletivo variam  

Cada edital é específico do seu curso. Como as etapas do processo seletivo variam – por exemplo, algumas seleções incluem uma prova, outras não -, os editais também diferem entre si. Para acessar o edital do curso escolhido, acesse a página de Mestrado e Doutorado no site Estude na PUCRS e selecione o Programa de Pós-Graduação do seu interesse. Você o encontra no item Ingresso e Processo Seletivo.  

Se ainda ficar com dúvidas, entre em contato com a secretaria do PPG, pelo e-mail indicado no menu, em Fale Conosco.  

Quero me inscrever

Confira os pré-requisitos e se inscreva par ao programa de Iniciação Científica Junior

Foto: divulgação

Estão abertas até o dia 20 de agosto as inscrições para o Programa Institucional de Bolsa/Pesquisa para alunos do Ensino Médio – IC Jr., organizado pela Coordenadoria de Iniciação Científica (CIC). O programa de Iniciação Científica Júnior é voltado a estudantes de Ensino Médio que desejam ingressar no universo da pesquisa, possibilitando a sua inserção em um processo de reflexão e de inovação no âmbito da Ciência e da Tecnologia, além de promover o primeiro contato com o ambiente acadêmico.

As inscrições serão realizadas exclusivamente por meio do formulário eletrônico disponível no site da Iniciação Científica Júnior. É necessário anexar uma Carta de Recomendação da escola e informar o link de acesso ao seu vídeo de apresentação, que deve ter até 2 minutos de duração, e responder as seguintes questões:

Foto: Pexels

Fundação Botín está com inscrições abertas para a 12ª Edição do Programa para o Fortalecimento da Função Pública na América Latina. A iniciativa tem como objetivo proporcionar que alunos desenvolvam e consolidem sua vocação de serviço por meio de uma experiência formativa que proporcione conhecimentos, competências, valores e princípios fundamentais para o bom exercício da função pública. As inscrições para o processo de pré-seleção da PUCRS vão até às 12h do dia 22 de abril de 2021. 

Ao todo, serão selecionados 32 alunos latino-americanos que tenham uma ótima trajetória acadêmica, comprometidos com a melhora do seu ambiente social e com vocação de servir a seus países a partir da esfera pública.  O programa começará de forma presencial no dia 24 de outubro de 2021, na Universidad de los Andes (Bogotá, Colômbia), seguindo para uma etapa formativa na Espanha (Madri, Santander, Caminho de Santiago e Salamanca) e, posteriormente, uma última fase na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, onde está previsto o encerramento no dia 2 de dezembro de 2021. No edital de pré-seleção, o candidato encontra todos os requisitos necessários para participar do programa. 

A partir do edital de pré-seleção, a PUCRS indicará candidatos aptos mediante carta assinada pelo Reitor ou seu representante. Caberá à Fundação Botín a seleção final dos participantes da América Latina.  

A programação acontecerá mediante o cumprimento obrigatório das normas e medidas sócio-sanitárias estabelecidas pelas autoridades competentes, podendo sofrer modificações que serão comunicadas de imediato a todos os envolvidos no processo de seleção. Dúvidas e mais informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (51) 3320-3660. 

Programa Pesquisa para o SUS irá apoiar iniciativas que promovam a melhoria da atenção à saúde no Estado

Programa contribui para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no contexto do SUS / Foto: Gustavo Fring/Pexels

Seis projetos de pesquisa desenvolvidos por pesquisadores da PUCRS foram selecionados em resultado preliminar do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS). O objetivo do Edital 08/2020, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), é apoiar iniciativas que promovam a melhoria da qualidade da atenção à saúde em temas prioritários para o estado do Rio Grande do Sul. O programa representa uma significativa contribuição para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CT&IS) no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS).

Ao todo, foram 195 propostas submetidas ao edital, sendo que, na seleção final, apenas 60 das 80 iniciativas foram aprovadas. O valor total disponibilizado por meio desta chamada é de R$ 7,5 milhões e os projetos deverão ser executados no prazo máximo de 24 meses, contados a partir da assinatura do Termo de Outorga.

Conforme o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da PUCRS, professor Carlos Eduardo Lobo e Silva, o Programa Pesquisa para o SUS é uma importante iniciativa da Fapergs para fomentar o desenvolvimento científico e tecnológico aplicado à saúde no Rio Grande do Sul. “Os projetos contemplados nesta chamada são exemplos da excelência do trabalho de nossos pesquisadores na constante busca por soluções que sejam capazes de resolver diversos problemas que desafiam a saúde de nossa sociedade”, aponta.

Conheça os pesquisadores e projetos selecionados no Programa Pesquisa para o SUS

Ana Maria Marques da Silva: Padronização e harmonização dos procedimentos de diagnóstico por imagem em PET/CT com FDG

Angelo Brandelli CostaDesenvolvimento de uma intervenção autoguiada para redução de desfechos negativos de saúde mental em pessoas LGBT na Saúde Pública do Rio Grande do Sul: treinamento de profissionais evidências de eficácia e efetividade

Douglas Kazutoshi SatoMarcadores sociodemográficos comportamentais clínicos e moleculares para identificação de idosos com risco de infecções graves pela Covid-19

Kátia Bones RochaSaúde de mulheres que fazem sexo com mulheres (MSM): uma questão para o Sistema Único de Saúde (SUS)

Régis Gemerasca MestrinerUtilidade da medida da suavidade da mobilidade funcional por meio do comprimento do arco espectral (SPARC) para a predição de quedas da própria altura em idosos

Thiago Wendt ViolaAnálise de incidência prevalência e impacto clínico da exposição a violência sexual em mulheres usuárias de cocaína-crack em tratamento para desintoxicação no SUS

Anúncio para edital de Mobilidade Virtual na Universidade de Maputo, em MoçambiqueJá pensou estudar ao mesmo tempo em dois continentes? Para alunos da graduação da PUCRS essa já é uma realidade. O novo edital de mobilidade virtual com a Universidade Pedagógica de Maputo, em Moçambique, está com inscrições abertas até o dia 11 de janeiro de 2021 e oferece 30 opções de disciplinas conduzidas em língua portuguesa. 

O novo acordo de mobilidade acadêmica entre as duas instituições permite que estudantes interessados em temáticas relacionadas às humanidades cursem disciplinas remotas em Maputo e aproveitem os créditos cursados em sua grade regular na PUCRS. Para conferir a relação de disciplinas disponíveis para 2021/1, acesse o site. 

Todas as disciplinas são ministradas em língua portuguesa. Além disso, a mobilidade virtual permite uma experiência intercultural, onde o aluno terá contato com novas culturas e perspectivas diferentes.  

Conheça os requisitos 

  1. Estar regularmente matriculado em curso de graduação da PUCRS; 
  2. Alunos formandos em 2021/1 só poderão se inscrever no programa se não desejarem aproveitar as disciplinas ou cursos da mobilidade virtual na PUCRS; 
  3. Ter coeficiente de rendimento acadêmico igual ou superior a 6,0.

Sobre a instituição

A Universidade Maputo (UniMaputo ou UM) é uma instituição pública de ensino superior, mantida pelo governo de Moçambique. Como universidade, foi a primeira e é a única pública totalmente vocacionada para a formação de professores no país. Atualmente, a UP encontra-se estruturada em cinco faculdades: Ciências da Educação e Psicologia; Ciências da Linguagem, Comunicação e Artes; Ciências Naturais e Matemática; Ciências Sociais e Educação Física e Desportos. Essas unidades orgânicas oferecem não só cursos de formação de professores, mas também, cursos em outras áreas, para a formação de outros profissionais.

Para mais informações sobre a mobilidade virtual ou sobre o processo seletivo entre em contato pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (51) 3320-3660.

Estudantes de pós-graduação se envolvem em projetos de empresas parceiras

Iniciativa promove o envolvimento de estudantes em projetos de interesse do setor empresarial / Foto: Pexels/Anna Shvets

A PUCRS foi contemplada com sete bolsas de mestrado e doutorado e 18 bolsas de Iniciação Tecnológica e Industrial (ITI) no Programa de Mestrado e Doutorado Acadêmico para Inovação (MAI/DAI) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A iniciativa visa fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação nas Instituições Científica, Tecnológica e de Inovação (ICTs), por meio do envolvimento de estudantes de graduação e pós-graduação em projetos de interesse do setor empresarial, mediante parceria com empresas. 

No programa, os bolsistas de mestrado e doutorado desenvolverão projetos de pesquisa como estudantes regulares nos cursos de pós-graduação da PUCRS. Os alunos e alunas terão um orientador acadêmico e um supervisor junto à empresa parceira, à qual o projeto de mestrado/doutorado estará relacionado. 

Para o professor da Escola Politécnica e representante institucional do programa Márcio Pinho, o MAI/DAI faz parte do novo modelo de concessão de bolsas do CNPq com ligação com empresas. “Esse modelo permite fazer com que as empresas se envolvam com projetos de mestrado e doutorado, sendo muito positivo para a academia, pois é uma alternativa para a aplicação da pesquisa a problemas reais que as empresas vivenciam”, comenta. 

Pinho adiciona que essa aproximação entre empresa e pesquisa beneficiará também o mercado, que receberá novos projetos inovadores, pensados para empresas, mas com aporte teórico. “Além disso, o aluno de pós-graduação sairá do programa com uma formação acadêmica e também conhecendo mais a fundo o mercado. Tudo isso o qualificará ainda mais”, completa. 

Conheça as propostas selecionadas 

edital interno coordenado em conjunto pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e pela Superintendência de Inovação e Desenvolvimento organizou uma proposta institucional. Diante do número de bolsas conquistadas, sete propostas foram selecionadas com uma bolsa de pós-graduação cada, além de bolsas ITI (quatro para doutorado e duas para mestrado): 

Doutorado 

Empresa parceira: Tummi Aplicativos  

Proposta: Aplicativo para acompanhamento remoto e orientação nutricional e física de pacientes idosos. 

Empresa parceira: HP Brasil  

Proposta: Desafios da pesquisa neurocientífica voltada para informar políticas públicas de saúde mental. 

Empresa parceira: CCHR – Diagnóstico por Imagem  

Proposta: Comparação da experiência dos pacientes na triagem para neoplasia colo-retal através da colonoscopia virtual com capsular de bário e colonoscopia óptica 

Mestrado 

Empresa parceira: Toth Lifecare  

Proposta: Monitoramento e Gerenciamento de Idosos Usando Técnicas de Aprendizado de Máquina em Dados Obtidos com o Sensoriamento de Wearable 

Empresa parceira: Baldo S.A. Com. Ind. Exp.  

Proposta: Extratos de erva-mate: purificação, análise e nanoencapsulação 

Empresa parceira: DB Server  

Proposta: Sistemas de Informação Aplicação da aprendizagem de máquina em dispositivos de borda em sistemas distribuídos (edge-centric networks) para Internet das coisas. 

Empresa parceira: DB Server  

Proposta: Sistemas de Informação Colaboração remota em tarefas de manutenção e inspeção industrial, utilizando recursos de Realidade Aumentada.

Foto: Divulgação

O professor da Escola de Medicina da PUCRS e pesquisador do Instituto do Cérebro (InsCer), Thiago Wendt Viola foi contemplado no edital Grand Challenges Explorations – Brasil: Ciência de Dados para melhorar a Saúde Materno Infantil, Saúde da Mulher e Saúde da Criança no Brasil. A chamada financiará propostas inovadoras que utilizem análises de bancos de dados e técnicas de machine learning para entender os principais fatores que impactam a saúde materno-infantil, a saúde das mulheres e das crianças no Brasil e propor soluções nessas áreas.

O projeto intitulado Fatores preditivos de resposta a tratamento oferecido pelo SUS para mulheres usuárias de cocaína-crack: análise epigenômica e de algoritmos de aprendizagem supervisionada, foi submetido ao tema Saúde da Mulher – Identificação de fatores associados ao consumo abusivo de álcool e outras drogas entre mulheres e seus impactos para desfechos de saúde. Este foi o único projeto gaúcho contemplado.

De acordo com o pesquisador, a pesquisa tem como objetivo identificar fatores clínicos, sociodemográficos, psicossociais, neurocognitivos e epigenômicos que possam predizer a resposta ao tratamento de desintoxicação ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para mulheres usuárias de cocaína-crack. Estes resultados podem diretamente auxiliar a orientação de políticas públicas e o desenvolvimento de métodos de prevenção e intervenção mais eficazes.

Além disso, utilizará da aplicação de métodos de inteligência artificial e aprendizagem supervisionada na análise de dados. Ainda, esta proposta inclui a criação de mecanismos de apoio para profissionais de saúde que trabalhem com a população-alvo estudada.

Conhecimento compartilhado 

Os resultados gerados na pesquisa serão a base para o desenvolvimento de um curso de extensão on-line, que será direcionado para a divulgação dos dados visando aplicabilidade para os profissionais do SUS. “O curso visa multiplicar o conhecimento gerado para profissionais de saúde vinculados a serviços especializados no tratamento da dependência química, contribuindo para a formação e aprimoramento dos mesmos”, adiciona o pesquisador.

O projeto é fruto da colaboração entre serviços de saúde, grupos de pesquisa nacionais e internacionais, que já desenvolvem projetos relacionados a problemas decorrentes do uso de cocaína-crack. Ao longo dos últimos 10 anos, a equipe do Laboratório de Neurociência Cognitiva do Desenvolvimento (DNCL) da PUCRS, coordenado por Viola e pelo Prof. Rodrigo Grassi, realizou um amplo mapeamento e coletaram dados de usuário(a)s de cocaína-crack no Rio Grande do Sul.

Sobre o edital

Esta chamada conjunta do Grand Challenges Explorations, voltada exclusivamente e pela primeira vez a pesquisadores brasileiros, é resultado da parceria entre o Ministério da Saúde (MS), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs) e a Fundação Bill & Melinda Gates (FBMG). Esta chamada é parte da iniciativa criada pela Fundação Gates em 2010 e denominada Integração do Conhecimento em Nascimento, Crescimento e Desenvolvimento Saudáveis (da sigla em inglês HBGDki).

 

Foto: Unsplash

Criar oportunidades que impactam a sociedade: esse é o objetivo da ação conjunta da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (Propesq) e da Superintendência de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, que foi selecionada em edital do Sebrae RS para apoiar a criação e o desenvolvimento de startups. Por meio de negócios inovadores e pesquisas acadêmicas (spin-offs), a ideia é ampliar iniciativas de fomento do empreendedorismo inovador. 

O projeto aproximará as pesquisas desenvolvidas na Universidade o ecossistema de inovação. “Essa é uma oportunidade de estimular ainda mais o empreendedorismo em nossos alunos e alunas e transformar resultados de pesquisa em desenvolvimento e geração de riquezas”, comenta Carla Bonan, pró-reitora de pesquisa e pós-graduação. 

Impacto social 

A iniciativa está alinhada aos principais órgãos de fomento brasileiros (Capes e CNPq), que buscam ampliar o perfil de atuação de egressos da Pós-Graduação brasileira. “A parceria com o ecossistema de inovação do Tecnopuc oferecerá aos nossos estudantes ferramentas e o apoio necessários para o desenvolvimento de uma cultura de empreendedorismo como meio de transferência de conhecimento para a sociedade”, destaca Luiz Gustavo Leão Fernandes, coordenador dos programas Stricto Sensu da Propesq.  

Leandro Pompermaier, líder do Tecnopuc Startups, conta que um dos principais objetivos é transformar o talento dos/as pesquisadores/as em algo de valor para a sociedade“O edital do Sebrae é um passo extremamente importante e espero que seja o primeiro de uma grande caminhada nessa linha de transformação do conhecimento”, complementa. 

Sobre o edital 

O propósito da Chamada Pública é selecionar projetos junto a incubadoras de empresas e apoiar na criação e/ou desenvolvimento de pequenas ou microempresas. Saiba mais aqui.

rodrigo_coelho_barros

O projeto de Barros é ambicioso no sentido que tenta atacar as principais questões em aberto da área de redes neurais. Crédito: Ascom

O professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Rodrigo Barros foi um dos 23 jovens pesquisadores selecionados pela 3ª chamada pública de apoio à ciência do Instituto Serrapilheira. Os contemplados receberão até R$ 100 mil cada, para investir em seus projetos nas áreas de ciências naturais, ciência da computação e matemática. 

O projeto de Barros, intitulado IA para o bem-estar social: construção de redes neurais justas, explicáveis, resistentes a fatores de confusão e com supervisão limitada foca em uma área específica de Inteligência Artificial (IA): a área de redes neurais (comumente chamada de deep learning, ou aprendizado profundo). 

Redes neurais são sistemas de computação com nós interconectados que funcionam como os neurônios do cérebro humano. Usando algoritmos, elas podem reconhecer padrões escondidos e correlações em dados brutos, agrupá-los e classificá-los, e – com o tempo – aprender e melhorar continuamente.

O objetivo principal do projeto contemplado será verificar a possibilidade de se construir abordagens de redes neurais para problemas ligados ao bem-estar social. Saúde, educação e aquecimento global são temáticas que deverão ser abordadas durante a execução do projeto.

Tecnologia a serviço da sociedade 

O projeto de Barros é ambicioso no sentido que tenta atacar as principais questões em aberto da área de redes neurais. Busca-se saber questões como desenvolver redes neurais robustas, como garantir que o modelo a partir de dados existentes apresente algum grau de fairness (justiça), como aprender como as redes neurais estão de fato aprendendo e como aprender sobre as bases de dados que possuam pouca quantidade de supervisão (anotação) por parte de seres humanos.

De acordo com o pesquisador, o foco central do projeto é o potencial impacto social que pode gerar. “Ao atacar os maiores desafios da área de redes neurais, buscaremos centralizar as soluções desenvolvidas para áreas como análise de imagens médicas de tórax para auxiliar na pandemia da Covid-19, bem como entender e aprender os principais fatores por trás de um dos maiores desafios da história da humanidade, que é o aquecimento global”, adiciona.

Com o valor recebido no edital, Rodrigo Barros conta que investirá em bolsas de doutorado e mestrado, com o objetivo de incentivar jovens talentos de seu grupo de pesquisa a trabalharem com alguns dos maiores desafios enfrentados na área. Além disso, um grupo de pesquisa de IA para o bem-estar social deve ser criado, com o objetivo de tornar a PUCRS uma referência na área.