Institucional

Uma nova universidade, para um novo futuro

segunda-feira, 09 de agosto | 2021

Ir. Evilázio Teixeira, reitor da PUCRS

Ir. Evilázio Teixeira, reitor da PUCRS./Foto: Camila Cunha

A Universidade é uma instituição milenar, que só envelhece quando os que nela atuam acham que o que fazem é perfeito e que basta reproduzir o passado. Crença que ficou ainda mais evidente no cenário de pandemia que vivemos. Novas respostas estão sendo dadas, pois mudaram as perguntas.

O grande desafio para o futuro de uma universidade como a PUCRS continua sendo aquele de preparar pessoas para que sejam melhores seres humanos e bons profissionais, e promover docência e pesquisa que tenham como premissa o comprometimento da busca do saber e do constante aprender como o melhor serviço que se pode prestar à humanidade.

Um novo futuro exige algo mais. Exige rupturas, ineditismo, protagonismo em fazer o que ainda não foi feito. Uma nova Universidade para um novo futuro depende diretamente da capacidade de romper com paradigmas atuais e constituir novas abordagens, novos modelos de pensamento em busca de soluções adequadas. O futuro não chegará pronto, ele está sendo construído.

As agruras de 2020 e 2021, mais do que nunca, amplificaram desafios e fragilidades antes já existentes, acelerando a busca por soluções. Nos conduziram rumo à necessidade de revisitar nossas fortalezas e fragilidades, para construirmos uma visão estratégica que nos impulsione na direção de um novo modelo. A posição almejada para Instituições de Ensino Superior será uma construção cada vez mais dependente da sua capacidade de se desenvolver e prosperar em meio às incertezas, adaptando-se de forma ágil e rápida. Então como será o dia de amanhã? Quando tudo voltará ao normal?

Estamos fazendo uma travessia inédita. Nestes tempos que, de algum modo marcarão nossas vidas para sempre, temos, contudo, uma oportunidade: fazer com que as nossas experiências sejam transformadas na mudança que queremos para a nossa sociedade. Se todas as seguranças emudeceram, que possamos aprender que, no interior de cada um de nós, encontra-se também a força mais poderosa do universo. Se me perguntassem onde habita essa força mais poderosa do universo, eu diria: dentro de todo aquele que busca, por meio da educação, do pensamento, da ciência, da solidariedade, ser uma pessoa melhor e gerar impacto positivo nas suas relações e na comunidade que o rodeia.

*Artigo publicado originalmente no Jornal Zero Hora. .

Mais recentes