2020_07_15-projeto_desafios_idear(foto-nappy)

Foto: Nappy

Uma proposta cada vez mais presente nas universidades, pensando na preparação para o mercado de trabalho, é o incentivo a pensar e criar soluções para problemas do cotidiano. Em parceria com as empresas ThoughtWorks e Hardfun, localizadas no Tecnopuc, a disciplina Projeto Desafios do Laboratório Interdisciplinar de Empreendedorismo e Inovação da PUCRS (Idear) desafiou os/as alunos a criar novas abordagens a partir de suas capacidades técnicas.

Respectivamente, com as provocações sobre “Como reduzir a desigualdade e promover a inclusão e a diversidade na área de TI?” (ThoughtWorks) e “Como provocar transformações efetivas na educação por meio da mobilização digital?” (Hardfun), os/as estudantes foram inspirados a colocar as ideias em práticas ao longo do semestre.

Um laboratório interdisciplinar

Para que novas soluções sejam criadas, os/as alunos são estimulados a pensar em possibilidades, construindo novas perspectivas de maneira colaborativa. Com o acompanhamento das empresas, contando com a curadoria e direcionamento metodológico proposto pelo Idear, são trabalhadas ferramentas como canvas, mapa de empatia, pitches e design thinking.

Para Valentina Silva Alvorcem Pinto, aluna da Escola de Direito da PUCRS, participar da disciplina foi uma vivência diferente. “Me mostrou como é importante planejar e pensar em todas as características do produto para o seu sucesso”. A solução proposta pelo grupo de Valentina, denominada TechAluno, busca utilizar conceitos de jogos para criar uma plataforma de ensino formal, respondendo ao desafio proposto pela Hardfun. Também participaram do projeto os colegas Carlos Roth, do curso de Serviço Social; Eduardo Soares, do Design; William Mocellin Candaten; da Educação Física; Lorenzo Antinolfi e Kevin Kopper, da Administração.

Os desafios da educação

Alunos da disciplina Projeto Desafio constroem soluções com empresas - ThoughtWorks e Hardfun, do Tecnopuc, propuseram desafios para os estudantes ao longo do semestre

Redi | Rede de Diversidade

Felipe Zanini, aluno do curso de Escrita Criativa da Escola de Humanidades, propôs uma plataforma de apoio às escolas públicas com a ideia de fomentar parcerias entre o setor público e o setor privado, o Nó direito. “A instituição precisa se cadastrar, explicar a sua necessidade, e depois disso o parceiro escolhe como ajudar. Podem ser doados bens materiais ou a prestação de serviços”, pontua Felipe. Para ele, o ponto alto da disciplina foi a capacidade de gerar aspectos práticos. “Não é só montar o projeto, tem que passar por diferentes etapas para criar algo que seja realmente viável”, destaca.

Em relação ao desafio de diversidade proposto pela ThoughWorks, o aluno Ramiro Araujo Gonçalves de Lima, do curso de Engenharia de Software da Escola Politécnica, desenvolveu o conceito de ferramenta que conecta a educação com a diversidade. “A Redi tem o objetivo de ser uma plataforma que oferece cursos e serve como uma rede onde as minorias se sintam incluídas e possam trocar informações, conhecimento”, destaca Ramiro. Para Francine Ferreira, representante da ThoughWorks na disciplina, a solução em rede tem potencial. “Acredito que todas as empresas tenham o desafio da diversidade, mas precisamos unir esforços a fim de transformar socialmente o ecossistema e a área como um todo”, comenta.

A inclusão é uma pauta de todos e todas

Outra solução proposta busca promover a educação e a inclusão de mulheres no mercado de Tecnologia da Informação. Segundo a pesquisa realizada por Bruna de Abreu Soares, aluna do curso de Psicologia da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da PUCRS, é muito comum que as mulheres se sintam intimidadas em ambientes educacionais: “Elas não são incentivadas a estudar ciências exatas de maneira geral. Fizemos pesquisas, entrevistas e existe uma evasão muito grande. Normalmente são 30 ou 40 homens na sala e às vezes só uma mulher, isso não é um ambiente favorável”, destaca.

Além da Bruna, o grupo também foi composto por Júlio Gabriel Moreira Roch, do curso de Engenharia Civil; e Marco Aurélio Schröder Pfeifer, do curso de Engenharia de Computação, ambos da Escola Politécnica.

O futuro é empreendedor

Alunos da disciplina Projeto Desafio constroem soluções com empresas - ThoughtWorks e Hardfun, do Tecnopuc, propuseram desafios para os estudantes ao longo do semestre

Bruna de Abreu Soares, Felipe Zanini e Ramiro Araujo Gonçalves de Lima / Foto: Arquivo pessoal

Francine avalia que o cenário tende a ficar ainda mais complexo depois da pandemia. “Essa nova estruturação da educação demanda uma série de recursos online e estamos em um País onde 25% da população não tem acesso a internet”, enfatiza.

A ministrante Katine Basso Fasolo, professora da Escola de Negócios, comenta que a disciplina “foi uma experiência de aprendizado, divertida e super enriquecedora para todos os envolvidos. A participação das empresas motivou os alunos e isso fez toda a diferença no resultado”.

Para a ministrante Gabriela Cardozo Ferreira, também da Escola de Negócios, complementa que “a disciplina proporciona que aluno/as aprendam por meio da experiência, desenvolvendo uma solução inovadora com impacto social. Neste semestre houve um componente extra de realidade, já que partiu de desafios que as empresas enfrentam”.

Ao final do semestre os alunos receberam sugestões e encaminhamentos com participação do Track Startup, com o objetivo de incentivar que os projetos saiam do papel. Para o próximo semestre, as matrículas estão previstas entre os dias 27 e 30 de julho e, em caso de dúvidas, você encontra mais sobre a disciplina aqui.

Quer desenvolver o seu perfil empreendedor? Estude na PUCRS! Inscrições abertas!

livro_tecnopuc_aceleradoraCom o propósito de desconstruir o padrão dominante e mudar a cara do mercado de Tecnologia da Informação (TI), ThoughtWorks e PUCRS se uniram no projeto da Aceleradora Ágil e da Aceleradora Inclusiva. Há 10 anos, a multinacional de Chicago (EUA) iniciou sua operação no Brasil, e comemora a década no território brasileiro com o lançamento da obra: Aceleradora Ágil e Inclusiva, unindo conhecimento, projetos e pessoas para construir um futuro tecnológico justo. O livro foi escrito por Nelice Heck, gerente-geral do escritório da ThoughtWorks Porto Alegre, Rafael Prikladnicki, diretor do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), e Patrícia Knebel, jornalista e estrategista digital de diversas empresas e fundadora do Estúdio Editorial – content innovation lab.  O livro está disponível neste link.

Para Nelice, a história da ThoughtWorks é fortemente conectada com a do Tecnopuc. “Foi aqui no Parque que nasceu a primeira semente da ThoughtWorks no Brasil, e ver projetos como o da Aceleradora é muito gratificante, pois mostra a união forte entre empresa, universidade e sociedade. E ver todas essas histórias concentradas em um livro que pode inspirar ideias a outras empresas e pessoas nos enche de alegria”, celebra a gerente-geral de Porto Alegre.

Prikladnicki afirma que “a ThoughtWorks é uma empresa bastante admirada por todos. Uma das primeiras organizações que apoiamos a vinda para o Brasil, em um processo de softlanding. Nos orgulhamos muito não apenas por terem optado pelo Tecnopuc como o local para o primeiro escritório do Brasil, mas também pelas ações que desenvolvem conosco desde então, em projetos que envolvem diretamente o Centro de Inovação e a Escola Politécnica da PUCRS”.

Aceleradora Ágil

Programa com duração de 16 semanas no qual um grupo de jovens tem a oportunidade de vivenciar uma imersão temporária em um ambiente controlado e com o auxílio de profissionais experientes, entre eles consultores da ThoughtWorks, alunos de pós-graduação da PUCRS e mentores parceiros, que ajudam a desenvolver competências técnicas, comportamentais, de negócios e de governança necessárias para atuar em equipes de alto desempenho de desenvolvimento de software. Tudo tendo como base as metodologias ágeis. Cada participante recebe uma bolsa de R$ 1 mil por mês para se dedicar à iniciativa.

Aceleradora Inclusiva

A Aceleradora Inclusiva nasceu como um spin-off da Aceleradora Ágil e, além de ensinar os primeiros passos na programação e metodologias ágeis a jovens, busca acelerar o processo de inserção de pessoas, especialmente as mais vulneráveis socialmente, dentro da área da tecnologia. Cada participante recebe uma bolsa de R$ 700,00.

10 anos da ThoughtWorks no Brasil e no Parque

No Brasil desde 2009, a organização reúne no país mais de 600 profissionais, que estão divididos em quatro escritórios. O primeiro a ser inaugurado foi no Tecnopuc, o que marcou a entrada da multinacional na América do Sul.

Em trecho do livro, o Reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, destaca que a estratégia de negócios e a visão de mundo da ThoughtWorks é muito semelhante com a da PUCRS, e isso explica os dez anos de êxito da relação. “Precisamos cada vez mais criar um ciclo virtuoso em que a PUCRS e o Tecnopuc possam oferecer o que tem de melhor, que são os nossos professores, pesquisadores e estudantes, e as empresas que interagem conosco apoiem essa busca constante por projetos inovadores e geração de riqueza”.

Para o Superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, a ThoughtWorks representa muito do que a sociedade de hoje espera de uma empresa do século 21, pois ela se posiciona perante o mundo como uma companhia responsável socialmente e com uma forte preocupação com a diversidade. “Isso faz com que seja uma das mais admiradas do Brasil e um foco de desejo dos profissionais de Tecnologia da Informação (TI). Nesse sentido, é uma empresa muito alinhada com os valores que norteiam o ecossistema de inovação da PUCRS”.

tecnopuc_experience_quarta_edicaoUm dia de imersão no universo da inovação e do empreendedorismo com foco no networking: esse é o propósito do Tecnopuc Experience, que ocorre nesta quinta-feira, 10 de outubro, e está com inscrições abertas no site. A programação conta com mais de 100 atividades, painéis e ativações pelo Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc). Nas últimas três edições, mais de 7 mil pessoas passaram pelo evento. A expectativa desse ano é reunir em torno de 5 mil visitantes. A realização é do Tecnopuc, com patrocínio da Getnet, South System, 4all, DB Server e Thoughtworks.

Inscrição
Para participar, é simples: basta realizar uma única inscrição no site. Depois, conferir a programação e escolher as atividades que mais interessam. Para garantir a presença nos workshops, a indicação é que o participante chegue cedo.

Preparação
A programação está cheia de opções para que o participante curta todo o dia no Tecnopuc. Ficou interessado? Então confere esse kit de sobrevivência:

Caderno e Caneta
Carregador de celular
Adaptador de tomada
R$ para alimentação
Tênis
Boné
Protetor solar
Água

tecnopuc_experience_quarta_edicaoUm dia de imersão no universo da inovação e do empreendedorismo com foco no networking: esse é o propósito do Tecnopuc Experience, que ocorre no dia 10 de outubro e está com inscrições abertas no site. A programação conta com mais de 100 atividades, painéis e ativações pelo Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc). Nas últimas três edições, mais de 7 mil pessoas passaram pelo evento. A expectativa desse ano é reunir em torno de 5 mil visitantes. A realização é do Tecnopuc, com patrocínio da Getnet, South System, 4all, DB Server e Thoughtworks.

Inscrição
Para participar, é simples: basta realizar uma única inscrição no site. Depois, conferir a programação e escolher as atividades que mais interessam. Para garantir a presença nos workshops, a indicação é que o participante chegue cedo.

Preparação
A programação está cheia de opções para que o participante curta todo o dia no Tecnopuc. Ficou interessado? Então confere esse kit de sobrevivência:

  1. Caderno e Caneta
  2. Carregador de celular
  3. Adaptador de tomada
  4. R$ para alimentação
  5. Tênis
  6. Boné
  7. Protetor solar
  8. Água
Pessoas trabalhando em computador

Foto: StartupStockPhotos/pixabay.com

A Aceleradora de Métodos Ágeis, fruto de uma parceria entre o Centro de Inovação Microsoft-PUCRS, Escola Politécnica da PUCRS e ThoughtWorks, está com seleção aberta para envio de projetos até o dia 27 de março. A seleção é aberta ao público e não é necessário ter conhecimentos em tecnologia para enviar sua proposta.

Este é um programa de formação de times ágeis para alunos de graduação e cursos técnicos. Ao longo dos quatro meses de duração, os doze alunos da equipe da Aceleradora atuam com dedicação de seis horas diárias e apoio de mentores do Centro de Inovação e ThoughtWorks. Com formato profissionalizante, a iniciativa permite que estes alunos desenvolvam um produto real para um cliente legítimo (o proponente do projeto selecionado).

Para inscrever um projeto é necessário estar atento aos critérios de seleção. Projetos com maior potencial de impacto social e comunitário, que disponibilizem uma pessoa responsável para dar suporte aos desenvolvedores e acompanhar os processos, que tenham viabilidade de implementação, que sejam motivadores e oportunizem desenvolvimento de conhecimento e aprendizado aos alunos terão melhor classificação na seleção do time da Aceleradora.

As propostas de projetos devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected] utilizando o assunto: Seleção de Projetos Aceleradora TW. Na proposta deve constar um breve parágrafo com a explicação do projeto, sua relevância, situação atual e objetivo. Os projetos pré-selecionados receberão apoio dos mentores para preparação de uma apresentação pitch de cinco minutos que será realizada no dia 29 de março (quinta-feira) para o time da Aceleradora de Métodos Ágeis.

Pessoas trabalhando em computador

Foto: StartupStockPhotos/pixabay.com

A Aceleradora de Métodos Ágeis, fruto de uma parceria entre o Centro de Inovação Microsoft-PUCRS, a Faculdade de Informática da PUCRS e a ThoughtWorks, está com seleção aberta para envio de projetos até o dia 4 de agosto. A participação é aberta ao público e não é necessário ter conhecimentos em tecnologia.

A Aceleradora é um programa de formação de times ágeis para alunos de graduação e cursos técnicos. Ao longo dos quatro meses de duração, os doze alunos da equipe da Aceleradora atuam com dedicação de seis horas diárias e apoio de mentores do Centro de Inovação e ThoughtWorks. Com formato profissionalizante, a iniciativa permite que estes alunos desenvolvam um produto real para um cliente legítimo (o proponente do projeto selecionado).

Para inscrever um projeto é necessário estar atento aos critérios de seleção. Projetos com maior potencial de impacto social e comunitário, que disponibilizem uma pessoa responsável para dar suporte aos desenvolvedores e acompanhar os processos, que tenham viabilidade de implementação, que sejam motivadores e oportunizem desenvolvimento de conhecimento e aprendizado aos alunos terão melhor classificação na seleção do time da Aceleradora.

As propostas devem ser encaminhadas para o e-mail [email protected], contendo um breve parágrafo com a explicação do projeto, sua relevância, situação atual e objetivo. Os projetos pré-selecionados receberão apoio dos mentores para preparação de uma apresentação pitch de cinco minutos que será realizada no dia 9 de agosto para o time da Aceleradora de Métodos Ágeis.

Alguns projetos desenvolvidos pela Aceleradora foram Hemo Heroes (veja matéria na TV Record e no Correio do Povo), Não me Calo, Comer com Saber, Ongarium, Registro Livre e e-Practice.

Pessoas trabalhando em computador

Foto: StartupStockPhotos/pixabay.com

Estão abertas as inscrições para a segunda turma de estágio de 2017 da Aceleradora de Métodos Ágeis do Centro de Inovação Microsoft PUCRS (CI). Trata-se de uma parceria entre o CI, a Faculdade de Informática (Facin) da PUCRS e a ThoughtWorks, para a formação de times de alto desempenho com a participação de estudantes.

Serão selecionados 9 estudantes com dedicação de 6 horas diárias, de agosto a dezembro de 2017, para atuarem no projeto da Aceleradora. Interessados em participar devem enviar currículo para [email protected] até o dia 26 de julho.

A seleção é para alunos de graduação ou em fase final de curso técnico. A bolsa oferecida é de R$ 1 mil, e o programa proporciona conhecimentos em programação, metodologias ágeis e muito mais. A Aceleradora busca por alunos com perfil proativo, interessados em trabalhar em equipe e vontade de aprender.

Durante o programa, os estudantes desenvolvem um produto e recebem apoio de mentores do Centro de Inovação e da ThoughtWorks. Nas edições anteriores, foram criadas iniciativas como Hemo Heroes Não me CaloComer com SaberOngariumRegistro Livre e e-Practice.

Para mais informações sobre a Aceleradora Ágil acesse http://migre.me/sGDUv .

Centro de Inovação Microsoft-PUCRS

Foto: Bruno Todeschini – Ascom/PUCRS

As inscrições estão abertas para a turma da Aceleradora de Métodos Ágeis do primeiro semestre de 2017. O projeto é uma parceria entre o Centro de Inovação Microsoft-PUCRS, a Faculdade de Informática da Universidade (Facin) e a ThoughtWorks para a formação de times de alto desempenho com alunos de graduação. Durante o programa, que tem duração aproximada de quatro meses, os estudantes desenvolvem um produto. Nas edições anteriores, foram criadas iniciativas como Hemo Heroes, Não me Calo, Comer com Saber, Ongarium, Registro Livre e e-Practice.

Serão 12 alunos selecionados com dedicação de 6 horas diárias, de abril a julho. Eles receberão o apoio de mentores do Centro de Inovação e da ThoughtWorks. A seleção é aberta ao público em geral e não é necessário ter conhecimentos em tecnologia. Para se inscrever é preciso submeter, até o dia 21 de março, um breve parágrafo explicando o projeto, sua relevância, sua situação atual e os objetivos. As propostas ou eventuais dúvidas devem ser enviadas para [email protected]. Os pré-selecionados serão apoiados pelos mentores no processo de preparação de uma apresentação de cinco minutos (pitch), que será realizada no dia 28 de março pela manhã.

 

Critérios para filtragem e seleção dos projetos