O curso de especialização na PUCRS ensina a lógica organizacional das instituições públicas. / Foto: Pexels

A PUCRS irá realizar mais uma edição do Master of Public Administration (MPA), voltado à temática Inovação e o Novo Setor Público. O curso foi idealizado pelo Tesouro do Estado do Rio Grande do Sul em parceria com a iniciativa Pacto Alegre, que também é constituída pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e pela Universidade do Rio dos Sinos (Unisinos). O objetivo da pós-graduação é trabalhar temas direcionados à gestão pública, de forma a promover a geração e a consolidação de habilidades para fazer frente às novas necessidades dos cidadãos.  

Para Edimara Mezzomo Luciano, professora da PUCRS e coordenadora do MPA, o curso pode ser considerado um marco por partir de três grandes inovações: é desenvolvido por quatro instituições de forma colaborativa, surge no diálogo de saberes e conta com professores estrangeiros. A docente aponta que o MPA é ideal para quem já atua na área, já que as aulas envolvem bastante discussão de problemas reais, propostas de solução desses problemas e ideias de como gerar inovação em contexto local. 

“Um dos grandes diferenciais do curso são os learning labs, ou laboratórios de aprendizagem, que basicamente são espaços de discussão e mobilização de saberes para criar mudanças internas no serviço público, e mudanças consistentes e sustentáveis”, explica Edimara. “Nestes espaços, os estudantes têm a oportunidade de discutir os conhecimentos relacionados às disciplinas utilizando a aprendizagem autônoma, por exemplo”.  

Leia mais: 6 livros para colocar na sua lista de leituras de 2024

A primeira turma do MPA aconteceu em 2021. Agora, os/as primeiros estudantes a ingressarem já estão próximos da conclusão. Para Adriana Oliveira da Silva, diretora de Administração da Secretaria da Fazendo do Estado do RS e Auditora-fiscal da Receita Estadual, o MPA foi um divisor de águas. 

“Realizar uma especialização focada numa demanda tão complexa e sistêmica, que é a necessidade do Serviço Público ser respeitado, compreendido e ainda encontrar caminhos seguros de desenvolvimento, se torna um momento e uma oportunidade de disseminar, compartilhar e construir juntos”, destaca. 

O que é um MPA? Como ele funciona?   

O curso conta com professores internacionais. / Foto: Pexels

Essa modalidade de curso de especialização é nova na PUCRS. O Master of Public Administration (MPA) ensina a lógica organizacional das instituições públicas, como recursos humanos, administração financeira e questões legais. Com ele, será possível aprender teorias e desenvolver estudos destinados a melhorar a máquina pública estatal e o terceiro setor, além de empresas ligadas ao governo por meio de concessões ou parcerias público-privadas. O foco é no interesse coletivo e no bem-estar social. 

Além de ser destinado a gestores públicos, é realizado na modalidade online e presencial, tendo duração de dez meses. O currículo do MPA Inovação e o Novo Setor Público conta com um corpo docente qualificado, composto por professores nacionais e internacionais, referências em suas áreas de atuação. Além disso, as disciplinas a serem cursadas foram organizadas visando aprimorar competências técnicas, de gestão e de governança.  

Para isso, foram levadas em consideração as novas tecnologias e as tendências da gestão pública, fazendo com que sejam abordados, ao longo da especialização, temas contemporâneos como inovação, empreendedorismo, governo aberto, governo digital, transparência, governança pública, governança colaborativa e políticas públicas baseadas em dados.   

SAIBA MAIS SOBRE O CURSO

Sobre o Pacto Alegre  

A iniciativa Pacto Alegre surgiu a partir da articulação da Aliança para Inovação, formada pelas instituições de ensino PUCRS, UFRGS e Unisinos, em conjunto com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e as entidades representativas da Capital.   

Lançado oficialmente em novembro de 2018, o Pacto Alegre reúne 85 entidades dos segmentos acadêmico, empresarial, de governo e da sociedade em busca de articulação e eficiência na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade. Seu objetivo é criar condições para que a capital gaúcha se transforme em um polo de inovação, atração de investimentos e empreendedorismo, com o compartilhamento de recursos e parcerias com o poder público e a iniciativa privada. 

Leia também: Antropólogo colombiano Santiago Uribe fala sobre a importância do Pacto Alegre para a sociedade gaúcha

Agência Experiencial promove a articulação entre ensino e mercado de trabalho/ Foto: Giordano Toldo

Em um cenário de negócios que passa por inúmeras e constantes transformações, a intersecção entre o mundo acadêmico e o mundo do trabalho torna-se ainda mais essencial para a formação de novos profissionais. Quando conectada ao empreendedorismo e suas possibilidades de aprendizagem, essa união se torna ainda mais produtiva, tanto para alunos quanto para profissionais. Essa é a proposta da Agência Experiencial da Escola de Negócios da PUCRS, núcleo que articula estudantes, empresas e sociedade, com o propósito de promover um ensino baseado na prática da gestão de negócios.  

A agência oportuna uma imersão dos alunos/as no ecossistema de inovação e empreendedorismo da PUCRS e da cidade de Porto Alegre, fortalecendo o desenvolvimento de competências e a formação de seus portfólios. Por meio de disciplinas extensionistas, os estudantes atendem as empresas participantes, realizando entregas de projetos com soluções práticas para essas organizações.  

A iniciativa, que passou a operar no segundo semestre de 2022, ao todo conta com quase 600 pessoas envolvidas, entre alunos/as, professores e técnicos/as administrativos/as, e 34 empresas participantes já beneficiadas. Além da participação em disciplinas extensionistas, estudantes de graduação também são incentivados a participar da ação inscrevendo suas empresas, de amigos ou familiares para serem atendidas pela agência. Já os alunos/as de pós-graduação, podem atuar como monitores, apoiando nos projetos.  

Aprender num dos maiores ecossistemas da América Latina 

A professora Ana Cristina Schneider – uma das coordenadoras da agência – destaca que para os alunos/as a participação acaba sendo um grande diferencial na composição da trajetória de aprendizagem. Afinal, promove sua efetiva imersão em ambientes reais, o contato com diferentes realidades, trabalhando desde microempreendimentos, em comunidades, até o que há de mais atual no ecossistema de inovação e empreendedorismo do País. “Temos o papel de nos aproximarmos das empresas e da comunidade e trazê-las para sala de aula, para que consigamos cumprir o desafio do impulsionamento de aprendizagem na prática”, ressalta a docente. 

Com o reposicionamento do modelo de ensino da Escola de Negócios, bem como a fusão com o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), a Agência Experiencial tem como principal papel compilar o acervo de possibilidades e de serviços ofertados pelas diferentes estruturas da Universidade de forma que sejam facilmente compreendidas e acessadas. A conexão direta com o ecossistema do Tecnopuc é uma importante oportunidade para estudantes que desejam mergulhar na prática profissional. Por meio da conexão com diferentes empresas nacionais e internacionais e áreas do mundo dos negócios, a PUCRS conecta seus estudantes da Escola de Negócios com tudo o que eles podem aproveitar no Campus para alavancar suas trajetórias no mercado.  

A Agência Experiencial também exerce papel complementar a outros laboratórios e espaços da Escola de Negócios como o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) e o Escritório de Finanças, com o objetivo de articular todas essas diferentes estruturas e promover o aprendizado conectado entre alunos/as e ambientes de negócios.  

Agência Experiencial exerce um importante papel de impacto social/ Foto: Divulgação

“A agência é o elo entre o mercado e os alunos/as. No sentido de inovação de educação em negócios, ela tem o papel de captar empresas e organizações para os desafios de aprendizagem propostos, de maneira a permitir que este modelo inovador seja implementado”, pontua Ana Cristina. 

O trabalho realizado pela agência também se mostra um importante mecanismo de impacto social em Porto Alegre, dando às empresas públicas e privadas a oportunidade de conexão com o ambiente acadêmico de inovação. Além disso, a atuação junto a empresas privadas e órgãos públicos potencializa tal impacto, demonstrando mais um diferencial da Escola de Negócios da PUCRS: a formação de cidadãos protagonistas de mudança emergentes na sociedade. “A partir do processo de aprendizagem dos alunos são propostas ideias, projetos, realizados questionamentos, discutidos seus mercados, produtos, serviços, propostas de valor, frente ao mercado atual e todos os padrões mais elevados de competitividade”, explica a coordenadora.  

Disciplinas, serviços e intercâmbio 

Atualmente, a agência está trabalhando por meio de três disciplinas extensionistas, cada uma com seu portfólio de serviços desenvolvidos. São elas: 

Ao todo, no primeiro semestre de 2023, foram atendidas 34 empresas/organizações, tendo havido envolvimento de 17 turmas, com um total de 581 alunos – além da participação de um mestrando, um doutorando e 12 professores da Escola.  

Também foi realizado um projeto piloto em parceria com a Universidade de Medellín (EAFIT), com o objetivo de facilitar o intercâmbio intercultural entre estudantes das duas instituições e internacionalização das trajetórias. Esse intercâmbio se deu no contexto da disciplina de Marketing Digital da EAFIT, que teve como convidados estudantes da Escola de Negócios e da Escola de Comunicação, Artes e Design (Famecos) da PUCRS, como atividade extracurricular. A atividade durou três semanas e teve a participação de quatro alunos da Escola de Negócios, da disciplina de Marketing Global e Inteligência de Mercado, que atenderam duas empresas colombianas. “Foi um primeiro ensaio cujos alunos entregaram uma análise do site e das redes sociais, propondo melhorias”, conta Ana Cristina. 

A Agência Experiencial funciona diariamente das 10 às 20h, está localizada no 10º andar da Escola de Negócios – prédio 50 – junto à Secretaria da Escola. O e-mail é [email protected] e o telefone (51) 3335.6222. 

Parceria com a Prefeitura de Porto Alegre promove impacto social 

Parceria com a Prefeitura Municipal girou em torno do engajamento com o Pacto Alegre/ Foto: Bruno Todeschini

Segundo a coordenadora, uma das parcerias mais importantes formadas no semestre foi com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre. O trabalho, proposto na disciplina de Inovação e Desenvolvimento, girou em torno da possibilidade de um maior engajamento dos jovens universitários nos projetos bancados pelo Gabinete de Inovação da Prefeitura, referente ao Pacto Alegre.  

“Os alunos estudaram as propostas elaboradas pela sociedade organizada em torno do Pacto (universidades, empresas, governo e sociedade civil organizada), desdobradas em projetos executivos, com a finalidade de encontrar formas de contribuir com sua execução, podendo ampliar seu escopo e, sobretudo, sugerindo formas de engajamento”, explica Ana. 

Os temas foram definidos pelos alunos, entre eles: educação, mobilidade, atividades indutoras de novos negócios e marca da cidade. As propostas dos estudantes são preliminares e garantem alinhamento com o objetivo de tornar essas temáticas mais conhecidas e fazê-las mobilizar um envolvimento efetivo, indo de encontro ao chamado protagonismo cidadão. 

A coordenadora destaca, entre as propostas apresentadas pelos alunos/as, uma apontada pelo secretário Luiz Carlos Pinto da Silva Filho como sendo de grande valor e potencial para implementação: um olhar para as redes sociais da Prefeitura de Porto Alegre e uma série de recomendações estratégicas para incrementar a divulgação e o engajamento do público 

“Segundo o secretário, a Prefeitura precisa cada vez mais contar com o olhar dessa faixa etária jovem, a fim de cumprir seu papel e inovar. A partir desta oportunidade de continuidade, o professor da disciplina, Luís Humberto Villwock, o Núcleo de Inovação Pedagógica (NIP) e a Agência Experiencial já estão trabalhando em mecanismos para que esta proposta avance em implementação, com o apoio necessário à Prefeitura e aos alunos.” 

A professora Ionara Rech, coordenadora do curso de Administração da Escola de Negócios, destaca a importância da Agência para a formação de seus alunos. 

“A oportunidade de ter em sala de aula uma empresa real, participando e interagindo com os estudantes nos aspectos de gestão de seus negócios, tem se tornado o diferencial do curso de Administração. Estamos proporcionando aos alunos uma aprendizagem que realmente conecta teoria e prática e a Agência Experiencial é a estrutura da Escola de Negócios que tem apoiado de sobremaneira no planejamento e operacionalização do nosso relacionamento com as empresas”, pontua. 

INGRESSE NA ESCOLA DE NEGÓCIOS

A cidade de Porto Alegre tem uma nova marca, em campanha que está em desenvolvimento e será veiculada para marcar o aniversário de 250 anos da Capital. Após escuta pública realizada nos últimos três meses, a proposta Horizontes venceu com 60% da preferência do público. O anúncio foi realizado no dia 17 de fevereiro, nas redes sociais do Pacto Alegre.

As marcas finalistas – Horizontes, Formas e Caminhos – são fruto de um trabalho colaborativo que ouve os porto-alegrenses desde o início. Interrompido durante a pandemia, o projeto começou em 2018, iniciando com pesquisas e um workshop onde compareceram 120 moradores de 40 bairros – envolvendo diferentes idades, gêneros e classes sociais. A partir de suas percepções sobre a cidade, 40 escritórios de design de Porto Alegre desenvolveram as marcas que foram para avaliação da população.

A proposta vencedora, Horizontes, evidencia a Capital gaúcha como um porto para se encontrar, lugar para se conectar e um horizonte para se reinventar. Assim, transmite a conexão com o meio ambiente, a cultura e a pluralidade de ideias que reforçam a identidade acolhedora da cidade. Além disso, destaca o futuro de uma cidade mais plural, justa e inovadora, tendo a colaboração como um norte para a criação e transformação social.

Uma decisão que contemplou o público

Foto: Luan Furtado

A escuta pública contou com a participação do público de praticamente todos os bairros de Porto Alegre. Com o total de 10.574 votos, mais de 1.600 participações foram feitas por pessoas de fora da cidade, sendo 200 de fora do País. A participação popular foi crucial para a escolha da marca. “Fizemos questão de consultar a comunidade, desde o desenvolvimento até a escolha final das opções desenvolvidas. É a construção de uma marca de todos para todos, de uma forma democrática e representativa”, explica Daniela Lompa Nunes, diretora da Purpous Marcas com Alma e uma das líderes deste projeto.

Para Luiz Carlos Pinto da Silva, Secretário Municipal de Inovação e coordenador do Pacto Alegre, “a construção do projeto Marca de Porto Alegre foi sedimentada a partir dos valores mais importantes que norteiam o Pacto: o fazer compartilhado, a possibilidade de engajamento múltiplo e a validação coletiva”. A escolha da marca a partir da participação popular é um dos diferenciais do projeto da Capital.

Ao longo dos próximos meses, vários pontos de contato com a marca estão previstos e sendo viabilizados através de parcerias público-privadas:

Foto: Luan Furtado

“É possível, com a marca, dar destaque e visibilidade a tudo isto através de uma identidade alinhada aplicada nestes espaços. A marca poderá falar pela cidade através de sites, aplicativos e guias que valorizem e contém as histórias dos lugares e eventos. O mobiliário urbano poderá ser repensado criando relação com a identidade. A identidade visual poderá sinalizar estes espaços especiais e permitir que as pessoas os identifiquem mais facilmente”, destaca o superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy.

 

Cidades como Amsterdam (I Am sterdam) e Nova York (I Love NY), até países como Israel (Startup Nation), são referências positivas de uso de marca ou place branding, como é conhecido entre os profissionais da área de design. Na Capital gaúcha, esse trabalho começou em 2018 como um dos projetos escolhidos pela Mesa do Pacto Alegre, entidade criada com o objetivo de melhorar a imagem da cidade e autoestima dos cidadãos para atrair e promover investimentos, reter talentos através de diferentes ações e a promover num mundo globalizado.

Confira artigo do superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge audy, junto da designer, especialista em branding e CEO da Purpous Marcas com Alma, Daniela Nunes, para a GZH.

Sobre o Pacto Alegre

O Pacto Alegre é um movimento que reúne empresários, Instituições de Ensino e a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, que tem como objetivo transformar Porto Alegre em um ecossistema de inovação de classe mundial para a criação de um futuro melhor para todas as pessoas. Tendo origem na sociedade civil, envolvem empresários, acadêmicos, cidadãos e atores públicos inquietos com o futuro. Tem como alicerce a criatividade, nas novas tecnologias e na inovação, tendo as pessoas como agentes de transformação da sociedade, com alto impacto social e ambiental, e dos negócios, das startups às grandes empresas.

Foto: Rafael Bauer

Um convênio firmado entre o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) e o Instituto Caldeira visa gerar condições para que a Capital gaúcha seja um polo de inovação e empreendedorismo de classe mundial. Firmada na última segunda-feira, 15 de março, a iniciativa prevê a atração de investimentos e a geração de startups. Para que o parque e o Instituto atuem de forma colaborativa, construindo pontes entre os ecossistemas existentes e fomentando o surgimento de novos ambientes na cidade. Dessa forma, serão compartilhados recursos e laboratórios entre parceiros do Tecnopuc e do Instituto Caldeira.  

O Instituto Caldeira é fruto direto do Pacto Alegre. Envolvendo os principais empresários e empresárias da cidade e do Estadofomenta a inovação em Porto Alegre através de parcerias entre os setores público e privado. Sem fins lucrativos, o Instituto busca conectar empresas e startups para estimular o ecossistema de inovação do RS. 

O coordenador do Pacto Alegre, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, diz estar orgulhoso da parceria. Para ele, o convênio é uma iniciativa muito relevante, pois mostra que a iniciativa está funcionando dentro da lógica da generosidade e do colaboracionismo. 

Foto: Rafael Bauer

Para o superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, convênio é motivo de orgulhoEssa primeira parceria formal com o Instituto Caldeira ampliará o leque de possibilidades das startups dos hubs e coworkings do Tecnopuc Startups, conectando a demanda dos laboratórios de inovação de grandes empresas que fazem parte do Caldeira com os empreendimentos de estudantes e pesquisadores/as da PUCRS. Por outro lado, permitirá que as empresas do Caldeira possam acessar a infraestrutura oferecida pelo ecossistema do Tecnopuc, destaca. 

A gestora de operações e empreendedorismo, Flavia Fiorin, e o gestor de negócios e relacionamentosRafael Prikladnickiambos do Tecnopuc, afirmam que essa conexão é um movimento que trará grandes impactos para a sociedade, pois irá possibilitar o nascimento de muitos projetos transformadores. 

Quem participou 

Estiveram presentes na assinatura o diretor do Instituto Caldeira, Pedro Valério; o fundador da AnLab, Frederico Mentz,; o CEO e fundador do Agibank, Marciano Testa; o superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS e do Tecnopuc, Jorge Audy; a gestora de Operações e Empreendedorismo do Tecnopuc, Flavia Fiorin; e o gestor de Negócios e Relacionamento do Tecnopuc, Rafael PrikladnickiDe forma virtual, o evento também contou com a presença do coordenador do Pacto Alegre, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho. Durante a visita e as reuniões na sequência do ato de assinatura do convênio, estavam presentes os gestores do Transforma RS, Ronald Krummenauer, Daniel Randon e Jose Renato Hopf. 

 

A filósofa Djamila Ribeiro, o líder indígena e escritor Ailton Krenak, o teórico norte-americano Richard Florida e o rapper Emicida são alguns dos nomes que estarão discutindo tecnologia, criatividade e inovação nos dias 4 e 5 de dezembro, durante o Festival POA2020 – Exponencialidade para Todos. O evento, totalmente virtual e gratuito, está com as inscrições abertas pelo site.

O Festival tem a realização do Pacto Alegre, movimento de articulação na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade, e da Aliança para Inovação, uma articulação entre UFRGS, PUCRS e Unisinos que tem o objetivo de potencializar ações de alto impacto em prol do avanço do ecossistema de inovação e do desenvolvimento.

Ao todo, serão mais de 40 painéis, palestras e muita música ao longo de dois dias, em um ambiente envolvente que seja capaz de inspirar as mais diferentes pessoas em dimensão exponencial. O conteúdo será estruturado a partir de seis eixos temáticos: Educação em Transformação, Tecnologia e Saúde, Pensamento Criativo e Redes de Cocriação, Empreendedorismo e o Futuro do Trabalho, Renascimento do Humanismo e Cidades Inteligentes.

O Festival tem como propósito debater as transformações causadas pela tecnologia e pelos modelos de inovação. Inspirado em eventos disruptivos das principais cidades do mundo, o evento irá reunir cultura, reflexão, debates e música.

A curadoria do Festival POA2020 conta com representantes da PUCRS: Adriana Kampff, Eduardo Pellanda e Luis Vilwock. Também teve contribuições de profissionais reconhecidos, entre eles, o médico Gabriel Dalla Costa (HCOR de São Paulo), Cristina Bonorino (UFCSPA), Luciana Bazanella (White Rabbit) e Cláudia Costin (World Bank Group). A gestão da curadoria é de Carlo Franzato (Aliança para Inovação) e de Cesar Paz (POA Inquieta e Ecosys).

Confira atividades com representantes da PUCRS:

4 de dezembro

5 de dezembro

Durante o Warmup com os alunos / Reprodução Zoom

Estudantes da UFRGS, PUCRS, Unisinos e UFSCAR participaram de um Warm Up do programa Moving the Cities 2020, na última quarta-feira, dia 11 de novembro. A iniciativa é idealizada pela Unisinos em parceria com o UAS7 e a FH-Münster para promover o desenvolvimento de soluções através da cooperação internacional e intercultural entre ciência, empreendedorismo, inovação, tecnologia e sociedade. O programa ocorre do dia 20 a 29 de novembro, de forma totalmente virtual. Essa ação está em pleno acordo com o contexto da Aliança para Inovação, uma articulação entre UFRGS, PUCRS e Unisinos para potencializar iniciativas de alto impacto em prol do avanço do ecossistema de inovação e do desenvolvimento. O Moving the Cities conta com apoio das três Universidades e seus parques tecnológicos, Zenit/UFRGS, Tecnosinos/Unisinos e Tecnopuc/PUCRS.

Os participantes das três universidades se apresentaram com o desafio de falar uma palavra que representasse seu momento. Coragem, organização, tecnologia, conexão, protagonismo e curiosidade foram algumas que apareceram, e que representam muito o contexto do programa.

Luiz Carlos, coordenador do Pacto Alegre, explica: “Estamos nesse programa como Aliança, e não como três Universidades. Estamos no século da colaboração, da convergência. Porto Alegre e o Rio Grande do Sul estão vivendo um movimento muito importante nessa lógica. Estamos caminhando para estarmos sincronizados e fazermos melhor juntos. Trabalhar em um time internacional, com línguas e culturas diferentes, é uma super experiência”.

Tatiana Rocha, da Unisinos e coordenadora do evento, contou mais sobre o Moving the Cities e os desafios dos alunos durante o evento. “Com o digital, conseguimos expandir ainda mais. Esse ano, além de Brasil, Chile e Alemanha, teremos Colômbia, Estados Unidos e Inglaterra! Cada vez mais precisamos estar trabalhando de forma global”, explicou Tatiana.

Fernando Lemos, Agente de Inovação da Escola Politécnica da PUCRS, iniciou a conversa explicando que as três universidades estão realizando um trabalho intenso para que os alunos desenvolvam habilidades e competências que complementem a formação acadêmica. “O foco é o desenvolvimento de competências em inovação e empreendedorismo, com desafios na área da saúde, mobilidade, educação e muitas outras. São oportunidades para aprender entre vocês, da equipe Brasil, mas principalmente aprender com colegas de outros países. Aproveitem muito!”, disse Lemos.

Nesta sexta-feira, dia 13 de novembro, os alunos participaram de outro Warm Up, desta vez com estudantes de todos os países participantes. Na próxima semana, os estudantes poderão assistir webinars sobre design thinking, Canvas, pitch, para depois aplicarem na semana do evento.

Mais sobre o Moving the Cities

Para o desenvolvimento dos projetos, são propostos desafios no contexto do desenvolvimento regional e do desenvolvimento pessoal de jovens talentos, para que os estudantes participantes, a partir de times multidisciplinares e internacionais, desenvolvam soluções para os diferentes temas postos em pauta. Durante sua realização, os times recebem mentorias sobre modelagem de negócios, inovação, mercado e tecnologia de profissionais da Alemanha, do Brasil, Chile, Estados Unidos, Inglaterra e Colômbia.

supera2O Pacto Alegre uniu iniciativas de apoio aos negócios locais e criou o Supera: uma plataforma online com serviços gratuitos de apoio aos micro e pequenos empreendedores durante a pandemia do coronavírus para a retomada econômica de Porto Alegre. O portal pode ser acessado neste link. Entre os serviços estão cursos e oficinas, mentorias em gestão, plataforma para divulgação dos empreendedores, conteúdos como podcasts e programas online, e rede de assessoria empresarial. As soluções estão categorizadas em quatro grupos de ação: quero fazer negóciosquero me atualizarquero ajudaferramentas para o empreendedor.

De acordo com o coordenador do Pacto Alegre, Luiz Carlos Pinto, a plataforma une as capacidades de várias entidades, mostrando mais uma vez como o Pacto Alegre atua conectando e facilitando a vida das pessoas para o melhor uso das poderosas forças que existem no ecossistema da capital. “O objetivo é fazer com que o esforço conjunto seja mais poderoso, reunindo o que as Universidades e entidades estão fazendo com a preocupação comum de apoiar e qualificar os negócios. Não só fazer com que sobrevivam a crise, mas que se qualifiquem e possam ser ainda melhores no pós pandemia. É um portal para que os empresários conheçam as possibilidades e tenham acesso a apoios e soluções ofertadas pelos vários setores do nosso ecossistema”, sintetizou.

O projeto é o resultado da integração dos esforços de Universidades, entidades e especialistas do setor para atender os micro e pequeno empreendedores. A realização é do Pacto Alegre, da Prefeitura de Porto Alegre, do Open Innovation Lab, STARTAIDEIA, Pocket, StartSe e Exohub Lia. O apoio é da UFRGS, PUCRS, Unisinos, Sindilojas Porto Alegre, SEBRAE, Sistema Fecomércio RS/ Sesc / Senac, IXL CENTER, Poa na Rua e do Grupo RBS.

O lançamento aconteceu nesta quinta-feira, dia 2 de julho, no canal do YouTube da Prefeitura de Porto Alegre. Segundo a professora da PUCRS, Frederike Mette, coordenadora do SOS PME na PUCRS, o Supera foi importante desde o primeiro dia porque aproximou ainda mais a Universidade do programa. “O engajamento está bem legal por parte dos empreendedores do Parque, professores e alunos da Escola de Negócios da PUCRS. Num curto prazo já queremos envolver outras escolas da Universidade. Acredito muito que a palavra do momento é esperança. Temos que ter esperança e nos preparar para o que está por vir. Tentar ver o que pode vir de bom para a mudança humana e social. Além disso, trazemos algumas ferramentas que o próprio Parque já tem e conteúdos da Escola. O Supera vem no momento certo para unir as ações e os agentes”, ressaltou.

Conheça as soluções que integram o Supera:

1. Quero fazer negócios

2. Quero me atualizar

3. Quero ajuda

4. Ferramentas para o empreendedor

Sobre o Pacto Alegre

O Pacto Alegre é uma proposta de movimento de articulação e eficiência na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade. O objetivo é criar condições para que a cidade se transforme em um polo de inovação, atração de investimentos e empreendedorismo. O convênio prevê o compartilhamento de recursos e parcerias com o poder público e a iniciativa privada. A ideia é unir forças da cidade, de todos os segmentos, em prol de uma agenda comum.

covid-19, aliança para inovação, desafios, inovação

Reprodução via Zoom

Na tarde desta terça-feira, dia 19 de maio, a PUCRS, o Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc) e o Hospital São Lucas (HSL) participaram da 4ª Reunião da Mesa Diretiva do Pacto Alegre, realizada por videoconferência. Os novos desafios impostos pela crise foram discutidos por mais de 130 participantes. A reunião contou com a presença do prefeito Nelson Marchezan Júnior. A PUCRS foi representada pelo Reitor, Ir. Evilázio Teixeira; pelo Relações Institucionais, Solimar Amaro; pelo Superintendente de Inovação e Desenvolvimento, Jorge Audy; o diretor geral do HSL, Leandro Firme, e o diretor médico, Saulo Bornhost.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior apresentou os dados epidemiológicos da cidade, as medidas adotadas no enfrentamento da doença e as projeções de déficit na receita do Município em razão da queda na arrecadação e aumento de despesas. Marchezan propôs “um Pacto ainda mais atuante”, aumentando a responsabilidade das decisões conjuntas “para superar essa crise com muito mais grandeza e menos reflexos nocivos à nossa sociedade”.

Segundo Marchezan, diante dessa nova realidade é necessário reestruturar a máquina pública para ajudar especialmente a população mais vulnerável e preparar Porto Alegre para o retorno das atividades econômicas. “Nossas tomadas de decisão neste período crítico adotaram o caminho de gestão que já vinha sendo realizado na cidade – de inovação, de modernização, de desburocratização. Um exemplo é o aumento do número de leitos, que vinha de um histórico de fechamento, uma das nossas prioridades na prestação de serviços e fortalecimento da área da saúde”, afirmou.

Presente na videoconferência, o consultor espanhol Josep Piqué destaca que a partir de agora o Pacto terá que se reinventar. “Temos aprendido a trabalhar e viver pacificamente. O vírus entrou nas nossas vidas, nossas empresas e nossas universidades criando novos desafios sanitários, sociais, econômicos e governamentais. E dentro desse novo contexto vamos nos adaptar à realidade de uma vida mais digital”, declarou. Para o coordenador do Pacto Alegre, Luiz Carlos da Silva Pinto, a atuação integrada e ágil da Aliança pela Inovação pode colaborar bastante com a cidade. “A ideia é ter um conselho atuante para efetivarmos as mudanças necessárias, emergenciais e de longo prazo”, comentou.

Plataforma digital de financiamento coletivo

A presidente do Badesul, Jeanete Lontra, anunciou que a primeira entrega do Pacto Alegre durante a pandemia é a estruturação de uma plataforma digital de financiamento coletivo, conhecida como crowdfunding, que deverá ser usada para estimular startups, especialmente as da área da saúde, e incentivar o aquecimento da ‘nova economia’ neste momento atípico para a cidade. “É um projeto pioneiro e altamente inovador, que conta com a captação de recursos e de negócios, projetos e ideias em ambiente virtual”, explicou Jeanete, confirmando também o lançamento da iniciativa nos próximos dias.

O papel das universidades no combate à crise foi ressaltado pelo reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rui Carlos Oppermann. “A prefeitura tem as três universidades como parceiras na superação da pandemia. A Aliança pela Inovação tem colaborado com as ações propostas, seja na confecção de equipamentos de proteção e hospitalares, ações sociais e suspensão das atividades presenciais do ensino”, disse.

Força-tarefa da PUCRS

Mais de 50 profissionais e pesquisadores da PUCRS, incluindo docentes da Escola de Medicina, Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Escola de Humanidades, Escola Politécnica, Instituto do Cérebro do RS (InsCer), Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc) e do Hospital São Lucas estão mobilizados na busca de soluções para diferentes questões que envolvem a pandemia da Covid-19. O objetivo da iniciativa é promover um apurado posicionamento técnico e científico para o estado do Rio Grande do Sul, frente a todas as incertezas relacionadas ao comportamento da infecção e ao tratamento da patologia do novo coronavírus.

Saiba mais: Força-tarefa multidisciplinar da PUCRS é formada contra a Covid-19

2019.12.17-totens_pacto_alegre(barbara_macedo)

Entrada do prédio 99 / Foto: Bárbara Macedo

Até o dia 13 de janeiro, o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) é o local dos totens com o manifesto e as propostas do Pacto Alegre, movimento de articulação e eficiência na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade de Porto Alegre. O material está disponível na entrada do prédio 99 (Av. Ipiranga, 6681).

Para o Superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, e membro do comitê estratégico do Pacto Alegre, é motivo de orgulho para a Universidade e para o Tecnopuc ser o primeiro ecossistema a receber as estruturas. “É um privilégio contar com todos os materiais que foram elaborados para mesa de reunião do Pacto Alegre na entrada do nosso Parque. Até o dia 13 de janeiro, poderemos ver todas as propostas, além do próprio manifesto e a equipe que está trabalhando na execução e desenvolvimento desse belo projeto”, afirmou o Superintendente.

As peças estarão na entrada do Parque por 30 dias e se dividem em tópicos com os primeiros projetos do Pacto: Blitz da Inovação; Cidadão Único; Cidade Transparente; Conecta POA – Trinova; Crowdfunding POA; Cultura Cidadã – I LOVE POA; Diretrizes Urbanas Inovadoras – Interação com o Plano Diretor; Educação Transformadora; ENGAJA POA – Open City; Formação de Agentes de Inovação – MBA em Ecossistemas de Inovação; Hands On 4D; Instituto Caldeira; Intervenções Culturais – Pintando POA; Licenciamento Expresso POA;  Marca de POA (Place Branding); Mexe com POA – do centro à periferia; Olimpíadas da Inovação POA; POA 2020; Professor Inovador; Rotas de POA;  Saúde Digital; Smart City – Todas Gerações; Start.Gov; WOnd3r – Água Maravilhosa.

Manifesto do Pacto Alegre

Somos um movimento que busca transformar Porto Alegre em uma referência como um ecossistema global de inovação de classe mundial, que potencialize nossas competências, alicerçados em valores e propósito, que retenha e atraia talentos. Temos origem na sociedade civil organizada de nossa cidade, envolvendo empresários, acadêmicos, cidadãos e atores públicos inquietos com o futuro. Alicerçamos nossa ação na criatividade, nas novas tecnologias e na inovação, tendo as pessoas como agentes de transformação da sociedade, com alto impacto social e ambiental, e dos negócios, das startups as grandes empresas. Cooperamos e atuamos JUNTOS na construção de um ambiente inspirador que contribua para a criação de um futuro melhor para nossa cidade e para as pessoas que fazem parte dela.

Foto: Joel Vargas/PMPA

Foto: Joel Vargas/PMPA

Porto Alegre está se transformando em um polo de inovação, com 24 projetos do Pacto Alegre sendo trabalhados simultaneamente pelos mais diversos setores da sociedade. Destes, 15 já tem entregas para a população. O resultado positivo foi apresentado durante esta terça-feira, dia 3 de dezembro, em evento na Nau Live Spaces, no 4º Distrito.

Entre os projetos estão o Porto Cervejeiro, que implementou um roteiro entre as microcervejarias; criação da marca de Porto Alegre, com o projeto Imagem da Cidade; capacitação de servidores públicos nas temáticas da cultura startup, novas tecnologias e ecossistemas de inovação; apresentação de filmes sobre empreendedorismo e inovação para alunos da rede municipal e convênio entre Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) e grupos de pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) para realização dos estudos que vão melhorar o gosto da água que sai das torneiras, entre outros.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior destaca que em pouco tempo a união de esforços para o Pacto Alegre já está mostrando resultados. “São entregas práticas e factíveis. Estamos aprendendo com o processo e construindo juntos uma visão coletiva de cidade. O maior objetivo é transformar o futuro com o fomento à inovação e a geração de benefícios coletivos em prol dos porto-alegrenses”, ressalta. Marchezan anunciou a criação de um Fundo de Inovação para incentivar a implantação de projetos disruptivos e a aceleração de startups que qualifiquem os serviços públicos na cidade. O fundo será lançado oficialmente nesta quarta-feira, às 11h30, no Salão Nobre do Paço Municipal.

O coordenador do projeto e professor da Ufrgs, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, avalia como um momento positivo do Pacto. “Mostramos para a sociedade o que está sendo feito para tornar Porto Alegre uma cidade melhor para se viver”. A abertura do evento contou com a presença do secretário de Inovação do Estado do RS, Luis Lamb, do diretor de Inovação da Prefeitura Paulo Renato Ardenghi, do superintendente de Inovação e Desenvolvimento da PUCRS, Jorge Audy, e do professor Josep Piqué, que liderou a transformação da cidade de Barcelona e atua como consultor internacional do Pacto Alegre.

Foto: Joel Vargas/PMPA

Foto: Joel Vargas/PMPA

Conforme Audy, o Pacto Alegre está começando a projetar a Capital tendo a inovação, a criatividade e as pessoas como fatores centrais. “Onde a juventude queira e possa construir seu futuro pessoal e profissional. Para isso, estamos trabalhando com universidades, empresas e sociedade civil organizada”, comenta.

Para o pró-reitor Acadêmico e de Relações Internacionais da Unisinos, Alsones Balestrin, o que está acontecendo em Porto Alegre é algo muito relevante, principalmente porque em menos de 12 meses, a cidade está recebendo os primeiros resultados do Pacto. “O objetivo é colocar a Capital no mapa dos ecossistemas de inovação, do empreendedorismo, gerar oportunidades para os nossos jovens e assim reter talentos. A Unisinos fica muito orgulhosa e honrada de fazer parte desse projeto”, afirma.

Mais resultados

Uma plataforma digital reunindo informações de pessoas que procuram hospitais, públicos e privados, ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Porto Alegre para atendimento. Essa foi uma das propostas que apresentadas pelos integrantes do grupo de Saúde Digital do Pacto Alegre durante evento.  A proposta é que profissionais e instituições de saúde da capital centralizem em apenas um prontuário os dados sobre o paciente, buscando com isso um aprimoramento no atendimento à saúde da população.

O projeto conta com a adesão de oito hospitais com atendimento SUS, e toda rede própria de unidades de saúde e serviços especializados. Em fevereiro de 2020, será anunciado um hackathon para que representantes do mercado de Tecnologia da Informação (TI) pensem e executem um sistema para reunir esses dados. Desse hackathon também deverão participar professores, alunos, pesquisadores e profissionais da área de saúde para validar a qualidade dos dados coletados. Os trabalhos ocorrerão entre março e maio de 2020.

Já o incentivo financeiro para startups instaladas no Rio Grande do Sul pode vir pelas plataformas de equity-crowdfunding. Esta foi a proposta apresentada pelos integrantes do grupo de Crowdfunding do Pacto Alegre. No modelo a ser testado em Porto Alegre, o Badesul pretende garantir entre 30% e 50% da oferta de captação das startups gaúchas via plataformas de equity-crowdfunding incentivando assim tanto as startups gaúchas como a criação de novos investidores anjo. As propostas serão analisadas pelo Badesul antes de serem submetidas as plataformas o que poderá diminuir a assimetria de informação entre startups e investidores, alavancando assim os recursos investidos pelo Estado.

Sobre o Pacto Alegre

Lançado oficialmente em novembro de 2018, o Pacto Alegre é uma proposta que reúne 85 entidades dos segmentos acadêmico, empresarial, de governo e da sociedade em busca de articulação e eficiência na realização de projetos transformadores e com amplo impacto para a cidade. O objetivo dos organizadores é criar condições para que a capital gaúcha se transforme em um polo de inovação, atração de investimentos e empreendedorismo, com o compartilhamento de recursos e parcerias com o poder público e a iniciativa privada.

A iniciativa surgiu a partir da articulação da Aliança para Inovação, formada por UFRGS, PUCRS e Unisinos, em conjunto com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e entidades representativas da capital.