O Programa de Práticas Médicas Hospitalares (PMH), da Escola de Medicina da PUCRS, está com inscrições abertas para mais de 20 áreas de atuação, incluindo Psiquiatria, Neurologia, Dermatologia, entre outras. As PMH’s são destinadas tanto a médicos brasileiros como estrangeiros, e as inscrições estão abertas até o dia 30 de novembro de 2023, exclusivamente de forma online, no site da PUCRS/Educon.  

O processo seletivo envolve três etapas: prova escrita, análise curricular e entrevista. A prova escrita está agendada para o dia 11 de dezembro de 2023 e será realizada na Escola de Medicina, localizada no Prédio 12A do Campus da PUCRS. 

Para obter informações detalhadas sobre os programas oferecidos, duração, pré-requisitos e número total de vagas disponíveis, consulte o edital para seleção de alunos de especialização para o ano de 2024.  

CONFIRA O EDITAL

A PUCRS, por meio do núcleo de pesquisa Human Factors and Resilience Research (HFACTORS), iniciou um projeto com profissionais da área da saúde em Porto Alegre. O objetivo é identificar questões relacionadas a bem-estar, saúde mental e segurança a partir da percepção desses profissionais, que estão entre os que mais sofrem de esgotamento no ambiente de trabalho. 

Apesar de não haver perguntas relacionadas à pandemia de Covid-19, os resultados do estudo deverão ser impactados por esse contexto e mostrar, de alguma forma, como essa área foi afetada. A meta é que aproximadamente 500 pessoas do setor da saúde, que atuem em hospitais, respondam a questionário com uma série de variáveis, como liderança, carreira e autocuidado. A pesquisa inicia sendo aplicada com os funcionários do Ernesto Dornelles, em um segundo momento sendo aplicada no Hospital São Lucas da PUCRS e posteriormente ampliada para outras instituições hospitalares da Capital. 

“Essa pesquisa está sendo realizada justamente em um momento de pandemia que é um importante estressor. É um momento histórico que estamos vivendo, de imprevistos e de incertezas”, observa uma das pesquisadoras envolvidas Maria Isabel Barros Bellini, que é professora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da PUCRS. 

Segundo a pós-doutoranda do HFACTORS Fernanda Xavier Arena, os profissionais da saúde já têm um índice elevado de esgotamento. “A pandemia aumentou ainda mais o sofrimento”, acrescenta. 

Nesse sentido, a pesquisa também observará a presença de práticas de autocuidado, as quais servem de estratégia para lidar com o estresse causado pelo trabalho. Uma revisão de pesquisas sobre o assunto mostrou que atividades de lazer, esporte, atenção plena e meditação, por exemplo, reduzem o risco de desenvolvimento da síndrome de Burnout, que o esgotamento decorrente de estresse crônico no local de trabalho, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

As pesquisadoras consideram que, durante a pandemia, alguns espaços que funcionavam como locais de interação, atividades e lazer foram fechados, o que contribuiu processos de sofrimento e isolamento. “Com o agravamento dos sintomas, vem a importância do autocuidado como uma das formas de enfrentamento”, ressalta Bellini. 

De forma geral, o estudo trará um panorama, a partir de múltiplas variáveis, sobre a relação dos trabalhadores com o seu trabalho. “Queremos entender um pouco mais a relação que os trabalhadores têm com seu trabalho e sobre o próprio contexto desse ambiente e desse trabalho realizado”, explica a doutoranda Daniela Boucinha, psicóloga que também faz parte da equipe. 

A pesquisadora informou que o objetivo é também investigar a influência que a liderança exerce sobre as questões relacionadas a bem-estar, saúde mental e segurança. “Queremos saber da relação entre líderes e liderados”, disse Boucinha. 

Entre os benefícios da pesquisa, Arena, que é assistente social e tem doutorado em Psicologia, observa que, a partir do conhecimento das percepções dos trabalhadores, é possível elaborar alternativas. Segundo ela, o conhecimento das condições de trabalho auxilia no aprimoramento das práticas de autocuidado, o que também impacta na melhoria das condições de trabalho na otimização do atendimento prestado. 

A pesquisa conta ainda com a professora de Psicologia da PUCRS Manoela Ziebell de Oliveira e com a pós-doutoranda Lidiany de Lima Cavalcante e tem característica interdisciplinar. O grupo de trabalho se ampara na experiência de projetos desenvolvidos desde 2014 com abordagem de Fatores Humanos e Engenharia de Resiliência no setor de óleo e gás. Por demanda externa, agora expande sua atuação para o segmento da saúde. 

Sobre o HFACTORS 

O Human Factors and Resilience Research (HFACTORS) é núcleo vinculado à Escola Politécnica da PUCRS, em parceria com a Escola de Negócios, formado por profissionais de diferentes formações, como Engenharia de Resiliência, Sociologia, Serviço Social, Psicologia, Engenharia, Mídia e Gestão do Conhecimento. A equipe estuda e desenvolvendo soluções, principalmente de segurança, em sistemas sociotécnicos complexos. O que vincula todos os pesquisadores do núcleo é a abordagem de Fatores Humanos a qual observa a interação do homem com o ambiente de trabalho, incluindo os fatores ambientais e organizacionais. A Coordenação Geral do HFACTORS está sob a responsabilidade do Prof. Dr. Eduardo Giugliani.

Fabiano Ramos

Médico Fabiano Ramos assumiu a direção técnica do Hospital São Lucas da PUCRS

O médico infectologista Fabiano Ramos assumiu nesta sexta-feira, 13 de maio, como diretor técnico do Hospital São Lucas da PUCRS. A cerimônia de posse foi realizada nesta manhã no anfiteatro Ir. José Otão e contou com a presença do reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, do vice-reitor, Ir. Manuir Mentges, do diretor-geral do HSL, Leandro Firme, e de integrantes do corpo clínico do Hospital, entre médicos, coordenadores e chefes de serviço.

O infectologista assume no lugar do médico Saulo Bornhorst, que ocupava o cargo há cinco anos ao lado dos demais diretores da instituição: Saulo Mengarda, diretor administrativo; e Simone Ventura, diretora assistencial.

Ramos, além de até então coordenador do Serviço de Infectologia do HSL, teve um protagonismo frente à pandemia de Covid-19. O médico liderou, junto a demais pesquisadores, os testes da vacina Coronavac, realizados em parceria com o Instituto Butantan. É dele também a liderança dos estudos realizados para testar a primeira vacina brasileira contra a dengue, que deve ser distribuída em todo território nacional e via SUS até 2025.

Em 2021, no auge da imunização a profissionais de saúde e população em geral, o profissional foi homenageado pela reitoria da Universidade, em evento realizado para reconhecer o trabalho árduo do pesquisador nos testes da vacina contra o coronavírus.

Emocionado, Ramos afirma que este é um grande desafio de gestão e que aceitou a missão pela confiança no trabalho que já vem sendo desenvolvido. “Confio no hospital e nessa direção, assim como nos colaboradores e, em especial, no corpo clínico. Tenho certeza de que os nossos médicos vão dividir essa gestão para fazermos o HSL seguir crescendo mais e mais”.

O médico também destaca a união entre o São Lucas e a Escola de Medicina da PUCRS como um diferencial do Hospital. “É o que mantém a qualidade na assistência e a formação de profissionais cada vez melhores, além de ampliarmos cada vez mais o nosso potencial em pesquisa”, ressalta.

Leandro Firme, diretor-geral do HSL, ressalta que Ramos chega para somar ao time de gestão e é altamente qualificado para essa posição.Dono de uma competência nata, em meio a importante e estratégica fase do reposicionamento da instituição, ele se une aos esforços da qualificação das relações com os médicos do nosso hospital, integrando assistência, ensino e pesquisa e ainda fortalecendo as ações em busca contínua da qualidade e excelência dos serviços prestados. Aproveito a oportunidade para agradecer o trabalho e o legado deixado pelo doutor Saulo Bornhorst, fundamental na nossa primeira fase do nosso reposicionamento”.

O reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, ressaltou que o corpo clínico é um grande diferencial do Hospital São Lucas. “São os médicos e médicas da instituição que fazem o HSL ser o que ele é. Desejo êxito ao médico Fabiano Ramos neste novo ciclo e reforço a gratidão ao trabalho prestado pelo doutor Saulo”, comentou o reitor.

Quem é Fabiano Ramos

Formado em Medicina pela PUCRS em 2003, Fabiano é médico infectologista e foi o primeiro residente na especialidade do HSL. É especialista em Infectologia pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). Até então, ocupava a chefia do Serviço de Infectologia do HSL e a coordenação do Serviço de Controle de Infecção da instituição. É também gestor do Serviço de Controle de Infecção e Segurança do Paciente da Unimed POA desde Junho de 2020.

Doutorando do Programa de Neurociências da PUCRS, sua trajetória como pesquisador começou muito cedo: ainda durante a graduação, participou do projeto Aderência Total, o qual prezava pela interdisciplinaridade e era realizado com pacientes portadores de HIV. O trabalho o norteou para o conceito de que a infectologia deve integrar diferentes áreas médicas. Além da sua atuação no Hospital São Lucas, possui um consultório próprio no Centro Clínico da PUCRS.

Cirurgia de Parkinson

Foto: Hospital São Lucas/Divulgação

Cerca de 1% da população acima de 65 anos possui Doença de Parkinson, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Essa condição é ocasionada por uma degeneração de células responsáveis por produzir uma substância chamada dopamina, que realiza a comunicação entre neurônios. Sua falta ocasiona os principais sintomas do Parkinson: tremores, lentidão de movimentos, rigidez muscular, desequilíbrio e alterações tanto na fala quanto na escrita. 

Pensando em melhorar a vida desses pacientes, Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) agora oferece a Deep Brain Stimulation, uma cirurgia para os portadores da doença. Nela, são implantados eletrodos para modular os estímulos elétricos nas regiões afetadas pelo Parkinson. Com isso, o paciente pode manter seu desempenho motor por mais tempo.  

Quem pode fazer a cirurgia?  

A Doença de Parkinson não possui cura, entretanto, o uso de medicamentos é capaz de manter a vida do paciente mais estável. “A maioria das pessoas responde bem aos medicamentos nos primeiros anos e depois o remédio começa a causar complicações, provocando distúrbios de movimentos em decorrência da medicação”, explica o neurocirurgião do HSL Paulo Petry Oppitz. Nesses momentos, os médicos podem precisar aumentar a dose dos medicamentos e, em alguns casos, isso já não é suficiente para controlar os sintomas de forma satisfatória: é aí que entra a cirurgia.  

De acordo com a neurologista Sheila Trentin, existem alguns critérios aos quais o paciente deve atender para estar apto a realizar o procedimento cirúrgico:  

Em relação a esse último critério, ela ainda explica que, mesmo nos casos mais graves de Parkinson, a medicação faz efeito. No entanto, o tempo de efeito do remédio diminui. “Existe, ainda, uma exceção que é o caso do tremor: esse sintoma pode não responder bem aos remédios e costuma ter excelente resposta à cirurgia. Inclusive, além dos pacientes com Parkinson, aqueles que possuem Tremor Essencial também podem ser beneficiados por esse procedimento”, complementa.  

Como funciona o atendimento no HSL? 

Para ter certeza de que o paciente está apto a realizar a cirurgia, é importante realizar uma avaliação médica com um neurologista, que o encaminhará para um neurocirurgião. Esses atendimentos são realizados pelo Ambulatório de Distúrbios do Movimento do Hospital São Lucas. O agendamento de consultas particulares ou por convênio podem ser realizadas através do telefone (51) 3320-3200, do WhatsApp (51) 98502-1128 ou do site do Hospital 

Buscando qualificar os serviços e acolhimento a milhares de pacientes com atendimento humanizado e tecnologia de ponta, o Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) realizará uma série de obras que revitalizarão mais de 17 mil metros quadrados da instituição. A cerimônia que marcou o início das ações aconteceu nesta sexta-feira, 5 de outubro, com a presença do Ministro da Saúde e de representantes da PUCRS e do HSL.

O reitor da Universidade, Ir. Evilázio Teixeira, ressaltou a relevância da ação para a instituição, que possui grande e histórica representatividade na Saúde do Estado do Rio Grande do Sul e acaba de completar 45 anos de prestação de serviços à comunidade. “Não se trata apenas de uma obra, mas de um passo a mais realizado pelo HSL em direção ao seu reposicionamento e um passo a mais para nosso Campus da Saúde. É um dia histórico, de nos alegrar e celebrar essa bela história de 45 anos de hospital que nos trouxe até aqui”.

Em sua fala, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga destacou que o Ministério da Saúde prioriza os investimentos em instituições que prestam os melhores serviços à população. Cerca de R$ 70 milhões em recursos federais foram captados para a revitalização do Parque Tecnológico, bloco cirúrgico, unidades de internação, entre outras áreas do hospital.

Por ano, mais de 320 mil diagnósticos, 75 mil tratamentos de oncologia, 1 mil atendimentos de hemodiálise, 40 mil internações, 4.300 cirurgias e 2.800 atendimentos de emergência, além de 90 mil consultas e 10 mil teleconsultas, são realizados no HSL através do Sistema Único de Saúde (SUS). Durante o pico da pandemia provocada pela Covid-19, a instituição também teve 58 leitos, entre UTI e enfermaria, referenciados para o atendimento de pacientes com o coronavírus.

“O início da revitalização e modernização tecnológica dos equipamentos médicos e das áreas, reunirão conforto, tecnologia e proporcionarão maior qualidade e segurança no atendimento aos pacientes. Este momento é motivo de alegria para nós, assim como receber a maior autoridade sanitária do País para conhecer o trabalho desenvolvido por nossas equipes”, salienta Leandro Firme, o diretor geral do Hospital São Lucas.

A gerente de Captação de Recursos e Projetos do HSL, Izadora Silveira, afirma que para além da captação de recursos e as mudanças estruturais que irão ocorrer, é importante lembrar que uma união de fatores faz o hospital acontecer: “O conjunto de recursos, a estrutura, a tecnologia de ponta, mas principalmente profissionais experientes e dedicados traduzem a nossa dedicação integral ao cuidado com a vida”.

Mais uma etapa do Campus da Saúde da PUCRS

Com cronograma que deve se estender pelos próximos anos, as obras se iniciam no bloco cirúrgico e outros setores serão impactados gradativamente. As mudanças fazem parte da consolidação do Campus da Saúde da PUCRS, uma iniciativa que tem formato inédito no País e reúne ensino, pesquisa, inovação e assistência às pessoas.

O modelo integrado e multidisciplinar foi pensado para atender o movimento de cuidado integral com a vida e promoção da saúde em todos os sentidos, conectando as atuações do HSL, do Parque Esportivo, do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer), do Centro Clínico, do Centro de Reabilitação, das Escolas de Medicina e de Ciências da Saúde e da Vida e de iniciativas de inovação como o BioHub, empreendimento do Tecnopuc que atua na geração de negócios inovadores em ciências da vida.

Leia também: Campus da Saúde: a vida no centro de tudo

covid-19, radiografias e tomografias

Foto: Shutterstock

Hospital São Lucas da PUCRS (HSL) será o primeiro hospital brasileiro a oferecer em nível clínico o Check Lung, uma inteligência artificial que possibilita o rastreamento de câncer de pulmão em estágio inicial e outras doenças. Essa tecnologia foi desenvolvida, dentro do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS, pela startup Exper. A avaliação é indicada, principalmente, para pacientes fumantes a partir de 50 anos. Os pacientes do HSL que tiverem interesse poderão submeter seus exames já realizados à tecnologia, sem a necessidade de realizar mais um teste.  

A técnica utilizada pelo Check Lung é a tomografia computadorizada de baixa dose, que já demonstrou excelentes resultados em pesquisa com protocolo semelhante nos EUA: em um estudo realizado em 2011 com ex-fumantes de até 74 anos, mais de 20% dos participantes tinham um parente de primeiro grau com câncer de pulmão e o uso da tecnologia para a identificação da doença reduziu em 20,3% a mortalidade por esse tipo de câncer, em comparação com o rastreamento por radiografia simples.  

Exame também detecta outras doenças 

Outras doenças também podem ser rastreadas pela técnica, como a calcificação arterial coronariana (que também é associado ao histórico de tabagismo e à idade avançada do paciente), a osteoporose e o aumento de gordura hepática (ou seja, no fígado).  

Segundo Bruno Hochhegger, chefe do Centro de Diagnóstico por Imagem do HSL e fundador da empresa responsável pela tecnologia, o objetivo do rastreamento é identificar pessoas assintomáticas e que ainda não tiveram as doenças diagnosticadas: “Isto significa que, ao descobrir um nódulo pulmonar em fase inicial este poderia ser tratado com intensões curativas, ao contrário de uma doença diagnosticada tardiamente”, ressalta.  

Ana Gellati, médica do Serviço de Oncologia do Hospital, reafirma o impacto do rastreamento precoce: “Ter acesso a essa tecnologia é extremamente relevante a doenças do pulmão e outras. Faz toda a diferença, pois isso reduz a mortalidade de uma forma geral”. 

A técnica é oferecida no Centro de Diagnóstico por Imagem do Hospital São Lucas por R$ 150,00, valor adicional ao da tomografia. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3320-3000 ou pelo WhatsApp (51) 98504-6469. 

Ar de Arte: projeto conecta pacientes em recuperação a artistas locais - Apresentações ao vivo de diferentes estilos musicais promovem o bem-estar de pessoas internadas no Hospital São Lucas da PUCRS e fomentam o mercado cultural

Rosana Hammarströn comenta que o projeto trouxe mais diversão para o seu dia a dia / Foto: Lucas Vilella

A arte está sempre presente nos mais diferentes aspectos da nossa vida, seja nos grafites nos muros da cidade, seja na música de fundo no supermercado ou até mesmo nos poemas escritos nas ruas. Muitas vezes, estamos tão habituados com a arte que ela passa despercebida. Da mesma maneira acontece com a respiração. É por isso que um projeto que vem acontecendo na Universidade recebeu o nome Ar de Arte. Ele busca lembrar que a arte é tão essencial quanto o ar para viver. 

A iniciativa é de professores e estudantes das Escolas de Medicina, Humanidades e integra as ações do projeto do CNPq Leitura, arte e prazer em espaços do Hospital São Lucas da PUCRS, e além disso, conta com o apoio da equipe do Instituto de Cultura da Universidade. Até o momento, a ação que planeja focar nos momentos em que a arte entra na vida das pessoas atenuando situações que muitas vezes parecem fora de controle – como doenças que surgem de forma inesperada -, já beneficiou pacientes das áreas da Oncologia, da Psiquiatria e da Hemodiálise do HSL.  

Além de promover o bem-estar, o entretenimento e uma recuperação mais tranquila, o projeto também valoriza a indústria cultural local, uma das áreas mais afetadas pela crise e pela instabilidade que se intensificaram na pandemia de Covid-19. O grupo de artistas que participa, com músicos de diferentes estilos, recebe um cachê para cada apresentação, que acontece semanalmente. Ou seja, todos interagem e se beneficiam. 15 tablets, pelos quais são transmitidas apresentações ao vivo por meio de videochamadas, também ficam à disposição para o acesso de playlists no YouTube com um vasto acervo que reúne vídeos de música, artes visuais, dança, curtas metragens e conversas.  

“A gente pensa mais na vida. A música traz muitas lembranças”, conta Flávia de Oliveira, uma paciente. “Traz alegria e ameniza o sofrimento. É uma forma muito gostosa de passar o tempo”, complementa Rosana Hammarströn, outra paciente. 

Um processo de resgate da identidade 

Ar de Arte: projeto conecta pacientes em recuperação a artistas locais - Apresentações ao vivo de diferentes estilos musicais promovem o bem-estar de pessoas internadas no Hospital São Lucas da PUCRS e fomentam o mercado cultural

Paciente Flávia de Oliveira aprova a ação cultural / Foto: Lucas Vilella

Isabela Bitencourt, aluna do curso de Medicina e participante do projeto, conta que teve uma das suas experiências de vida mais emocionantes. “Foi com uma paciente da UTI que eu acompanho. É um caso muito grave, ela usa máscara de oxigênio, está com hipoglicemia e mesmo com toda a fragilidade do quadro de saúde, em uma das lives, ela teve forças para conseguir cantar junto com a cantora e pedir músicas”, conta. 

Ela complementa que a paciente também se emocionou bastante e “conseguiu se reconectar com quem ela era antes de tudo isso, antes da doença. Esse resgate da dignidade é fundamental para o processo de cura ou de tratamento”. 

Entre os depoimentos, algumas das frases mais comuns são “assim me divirto um pouco, gosto de ver vocês”, “estou pronto para mais uma”, “hoje vou pedir música” e “legal, é rock do meu tempo”, conta Ivan Antonello, médico nefrologista no HSL, sobre as manifestações de pacientes que fazem uma ruptura no seu dia comum de diálise, presos às linhas de uma máquina: 

“Surpresos, recebem fones de ouvido e são embalados pela imagem e o som de um músico movimentando-se na telinha do computador. Lembram momentos bons de quando a música e a saúde eram parceiras. Percebem que também podem ser protagonistas ao escolherem a canção. E nós, acadêmicos, enfermagem e médicos nos alegramos com a alegria deles”.

Essa aproximação com pacientes também é uma oportunidade para a formação de estudantes: “Eles aprendem a escutar com mais atenção e nós sabemos que a doença não é tudo que o paciente traz consigo quando interna. Eles carregam sofrimentos que são particulares, individuais e têm causas próprias”, reforça. 

A cultura é o cultivo da vida 

Ar de Arte: projeto conecta pacientes em recuperação a artistas locais - Apresentações ao vivo de diferentes estilos musicais promovem o bem-estar de pessoas internadas no Hospital São Lucas da PUCRS e fomentam o mercado cultural

Ar de Arte leva mais cultura para pacientes do HSL / Foto: Lucas Vilella

Levar a arte para que as pessoas possam respirar e ter um pouco mais de paz em um momento tão difícil. Esse é um dos objetivos do projeto, afirma Ricardo Barberena, diretor do Instituto de Cultura da PUCRS. “Ele nasce da convicção de que a arte é, acima de tudo, uma forma de resistência e reexistência. A cultura é uma forma de nos humanizar, mas também de fortalecer em muitos momentos”, destaca. 

Já para Diego Lopes, um dos músicos da iniciativa, a sua participação é uma forma de devolver o bem que a música o faz. “Em cada época da minha vida eu tenho uma memória afetiva com grandes canções e isso faz parte da minha formação. Poder dividir essas memórias é uma satisfação pessoal muito grande”, reforça.  

Saiba mais sobre o projeto e conheça a equipe.  

O Centro de Pesquisa Clínica do Hospital São Lucas da PUCRS está em busca de voluntários para os testes clínicos da Fase 3 da nova vacina tetravalente contra o vírus da Influenza (gripe), em parceria com o Instituto Butantan. Os testes buscam comprovar a eficácia do imunizante para que, no próximo ano, a vacina possa ser oferecida pelo Ministério da Saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) para toda a população brasileira. Para participar dos testes, os voluntários devem ter 18 anos ou mais, ser saudáveis e realizar a inscrição neste link. 

Não estão aptos a participar gestantes, lactantes ou mulheres que desejam engravidar nos próximos três meses; portadores de doenças crônicas sem devido controle, assim como doenças e/ou com uso de medicações que comprometam o sistema imunológico; pessoas que estejam participando de quaisquer outros estudos clínicos para vacinas; e indivíduos com hipersensibilidade as proteínas do ovo ou frango. 

A equipe de profissionais do corpo técnico, administrativo e operacional designada para conduzir o estudo fará a triagem e seleção dos candidatos para o início dos testes. Todas as pessoas confirmadas a participar irão receber contato do Hospital para agendamento, checagem dos critérios e orientações gerais.  

Sobre o estudo 

O chefe do setor de infectologia do HSL e líder do estudo, Fabiano Ramos explica que a nova vacina busca a imunização a quatro tipos de vírus Influenza: H1N1, H3N2, B Victoria e B Yamagata. “Queremos comparar esse imunizante com o atual e validar essa vacina através de um estudo duplo cego, quando não sabemos o que o participante vai receber. Neste caso, no entanto, ele não recebe placebo: ou é a nova vacina ou é a trivalente”, explica 

Ramos ressalta que a nova parceria com o Instituto Butantan significa o avanço da ciência em imunizantes a partir de duas instituições brasileiras qualificadas para estudos voltados à sociedade. “Estamos juntos parta trazer uma vacina para a população brasileira já no ano que vem”. 

Para o diretor-geral do Hospital São Lucas, Leandro Firme, o novo estudo complementa e reforça o foco na pesquisa e inovação do hospital. “O cenário em que vivemos e que nos impacta há mais de um ano demonstra o quanto a ciência tem seu papel relevante na vida das pessoas. Atualmente temos mais de 200 estudos e pesquisas clínicas sendo executados em nosso Centro de Pesquisa”.  

Firme ainda destaca que parceria com o Instituto Butatan vem de longa data e o estudo proposto levará o que há de mais moderno para a população atendida pelo SUS. “Os investimentos em pesquisa desta magnitude e relevância social reforçam o caminho a percorrer e nos motivam a continuar contribuindo com a evolução das tecnologias médicas e com a saúde da sociedade”, salienta 

O Centro de Pesquisa Clínica do HSL-PUCRS 

Há quase quinze anos, o CPC do HSL-PUCRS integra a Rede Nacional de Pesquisa Clínica, iniciativa conjunta dos ministérios da Ciência e Tecnologia e da Saúde para testar medicamentos utilizados no Sistema Único de Saúde. Cerca de 30 investigadores desenvolvem protocolos de pesquisa em 16 áreas distintas.

Para um medicamento ser aprovado para venda e aplicação, deve passar por diversas etapas, que começam com a criação de uma molécula, que é primeiro testada in vitro, em células de laboratório. Em seguida, são feitos testes em animais e, por último, em seres humanos. Avalia-se a eficácia e a segurança da substância, ou seja, se produz o efeito esperado e não causa malefícios.  

Em 2020, o CPC foi pioneiro no Rio Grande do Sul com a testagem da vacina Coronavac (Sinovac/Butantan), com outros 15 centros no Brasil.

Solução, que já impactou mais de 15 mil vidas, atenderá 5 mil leitos no HSL / Foto: Divulgação/Correio de Gravataí

A Noharm.ai, startup que integra o ecossistema do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) e o Navi, hub de inteligência artificial liderado pelo Parque e pela Wisidea Ventures, iniciou a sua operação no Hospital São Lucas da PUCRS (HSL). A iniciativa consiste em uma plataforma que auxilia a Farmácia Clínica nas tomadas de decisões por meio da inteligência artificial. 

A solução, que está presente em 13 hospitais, já impactou cerca de 15 mil vidas. Com a entrada no HSL, atenderá 5 mil leitos. “O Hospital São Lucas sempre foi uma consequência natural do desenvolvimento desse projeto dentro da PUCRS. Nossa expectativa é trazer mais eficiência para o serviço de Farmácia, avaliando 100% das prescrições no hospital, oferecendo mais segurança para os pacientes”, destaca Henrique Dias, idealizador da startup e cientista de dados. 

A plataforma atua a partir de dois algoritmos para automação da triagem farmacêutica. Enquanto um faz a priorização das prescrições fora do padrão, o outro trabalha na identificação de pacientes críticos. O sistema indica onde estão os potenciais erros de prescrição, aumentando a qualidade assistencial e a eficiência hospitalar. 

Plataforma foi desenvolvida a partir de projeto de pesquisa da Escola Politécnica 

A Noharm.ai foi desenvolvida a partir do projeto de pesquisa de Henrique durante o doutorado em Ciência da Computação, da Escola Politécnica da PUCRS. Pensada em conjunto com Ana Helena Ulbrich, farmacêutica do Grupo Hospitalar Conceição, a startup apresenta uma inteligência artificial capaz de ler 800 medicamentos e analisar 500 mil prescrições em segundos, trazendo mais agilidade e segurança na tomada de decisões farmacêuticas.  

Quando Henrique e Ana Helena idealizaram a startup, eles se juntaram a mais sete voluntários para terminar o desenvolvimento do sistema e colocar a pesquisa em prática. Os Hospitais Mãe de Deus e Santa Casa, ambos de Porto Alegre, abraçaram o projeto e decidiram implantar o sistema na rotina diária da farmácia clínica.  

Leia também: Doutorando da Escola Politécnica ganha prêmio Google pela terceira vez 

Cuidado com o paciente e resultados positivos 

A coordenadora de farmácia no HSL, Luana Pancotte, explica que o cuidado com o paciente é o foco da farmácia clínica. Para ela, isso garante o sucesso na farmacoterapia para obtenção de resultados clínicos positivos. “O uso de tecnologias na saúde vem crescendo a cada dia, e a parceria da NoHarm.ai, além de trazer diversos recursos, otimiza muito o trabalho do farmacêutico clínico através da inteligência artificial. Todas essas informações já vêm segregadas, o que antes era feito manualmente. Com essa novidade, temos ainda mais segurança e qualidade para o serviço de farmácia clínica do hospital”, afirma.  

Para Diana Jardim, coordenadora de inovação em saúde do HSL, a presença da startup agrega ao portfólio de inovação. “Ao incrementar inteligência artificial na automação de processos assistenciais, o Hospital reforça o reposicionamento em melhorar a experiência dos pacientes e corpo clínico”, destaca. 

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação recebe inscrições 

Com nota 6 na avaliação quadrienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), os cursos de mestrado e doutorado do PPG em Ciência da Computação estão com inscrições abertas até o dia 18 de junho. O programa prepara os estudantes para atuar tanto na academia quanto no desenvolvimento de aplicações de alta complexidade e de conteúdos tecnológicos relevantes para grandes organizações.

Saiba mais e inscreva-se

Conheça o novo site do HSL, com navegação intuitiva e foco na acessibilidadeNovo, moderno e intuitivo para os usuários. Essas são as características do novo site do Hospital São Lucas da PUCRS, lançado nesta segunda-feira, 17 de maio. Totalmente reformulado, o site é mais uma ação que responde às novas demandas da sociedade, a partir do reposicionamento iniciado em 2020. Com conteúdos interativos e explicativos, apresenta um layout que permite uma trafegabilidade completa por todos os serviços oferecidos na instituição.  

Nele, é possível conferir as especialidades médicas, realizar o autoagendamento de consultas e exames e acessar resultados e laudos de forma prática e segura. Um campo de busca acessível permite ainda a procura de temas por palavras-chave em todo o site. Outra novidade é o conteúdo traduzido de forma simultânea com Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) e o novo portal de processo seletivo para vagas na instituição, que contará periodicamente com novas oportunidades.  

Confira o novo site e os detalhes dos recursos implementados: 

Agendamento online de exames e consultas e tele consultas 

Com o autoagendamento, é possível marcar procedimentos no Hospital São Lucas direto do smartphone ou computador. Ao agendar a consulta, o cliente tem a possibilidade de optar pela modalidade presencial ou teleconsulta e escolher o profissional de preferência e a melhor data. A confirmação do agendamento é enviada por e-mail, para que já possa ser salva no aplicativo de calendário como um compromisso. Caso seja necessário o reagendamento ou o cancelamento, isso pode ser feito pela própria ferramenta.  

Resultado de exames online 

O Resultado de exames laboratoriais e de imagens estão unificados em uma única página em seus respectivos portais de acesso. Uma vez criado o usuário, todos os exames ficam disponíveis na plataforma, permitindo que os clientes e pacientes tenham acesso completo aos laudos. 

Conheça os Especialistas do São Lucas 

Quem tiver dúvidas sobre o profissional para consultas conta com a aba encontre o seu médico, para conhecer o perfil e as modalidades de atendimento de um dos nossos especialistas do corpo clínico. Neste canal, é possível conferir o perfil do médico e conferir todos as formas de agendamento para este profissional.  

Acessibilidade por meio de Libras 

Com foco na acessibilidade, o novo site conta com um tradutor de libras desenvolvido em parceria entre o Ministério da Economia, por meio da Secretaria de Governo Digital e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (LAVID). Ele converte todo o conteúdo digital (texto, áudio e vídeo) da página por meio de um avatar que personifica a fala. A ferramenta possibilita mais autonomia e promove a inclusão de pacientes e familiares com deficiência auditiva, que poderão utilizar a plataforma sem apoio de terceiros. 

Plataforma de recrutamento e seleção 

O Hospital São Lucas da PUCRS é uma instituição sólida e acolhedora a todos que querem fazer parte da nobre missão de salvar vidas. Com quase três mil colaboradores, conta com uma equipe integrada à filosofia de cuidar das pessoas, garantindo um ambiente acolhedor, com espírito de família e baseado no amor ao trabalho. Para que mais pessoas possam fazer parte desta missão, o novo site possui um direcionamento ao portal Kretos, com uma página exclusiva destinada a novas oportunidades no São Lucas: https://hospitalsaolucas.kretos.cc/

Leia também: 5 hábitos para alcançar a longevidade com saúde