Escola de Ciências da Saúde e da Vida lança nova pós-graduação em Radiofarmácia/ Foto: Divulgação

Com o avanço tecnológico e científico em todas as áreas da medicina, em especial na oncologia, cardiologia e neurologia, a demanda por profissionais com conhecimento em Radiofarmácia tem aumentado a cada dia. Para suprir essa necessidade, a PUCRS, por meio da Escola de Ciências da Saúde e da Vida, está lançando o primeiro curso de pós-graduação na área oferecido por universidade privada no Brasil. 

“Dentro de um curto espaço de tempo, os profissionais que forem atuar em Radiofarmácia deverão ter um certificado de especialista ou apresentar comprovação de atuação na área nos últimos anos”, afirma a professora Cristina Jeckel, coordenadora do curso. 

Nessa linha, o curso oferece uma capacitação aprofundada e inédita com foco prático na fabricação de radioisótopos de uso médico, incluindo a realização de um estágio no Instituto do Cérebro da PUCRS (InsCer). Referência nas áreas de Medicina Nuclear e Radiofarmácia, o InsCer atua há mais de dez anos pesquisando, produzindo e distribuindo fármacos e especializando-se em diagnósticos mais precisos de diversas doenças através de seu Centro de Imagem Molecular. 

Sobre a Radiofarmácia 

O produto desta especialidade farmacêutica é o radiofármaco, um medicamento formado por uma molécula ligada a um elemento radioativo. Conforme o tipo de radiação emitida, os medicamentos podem ter função diagnóstica ou terapêutica.  

Na Medicina Nuclear, os radiofármacos são essenciais para a realização dos exames PET/CT e SPECT, que geram imagens metabólicas do corpo humano. A partir da injeção do medicamento, os aparelhos otimizam, junto ao radiofármaco, a localização das células associadas à patologia, permitindo uma possível detecção precoce de diversas doenças, além de auxiliarem no diagnóstico de casos clínicos oncológicos e neurodegenerativos. “No futuro, a Radiofarmácia terá uma projeção cada vez maior. Além da detecção precoce, os métodos de investigação e de terapia são não invasivos, gerando mais segurança e conforto para os pacientes”, aponta Cristina. 

Por que estudar Radiofarmácia na PUCRS? 

InsCer oferece oportunidade de estágio aos alunos do curso/ Foto: Divulgação

Aulas com professores/as que são profissionais atuantes na área de Radiofarmácia com alta qualificação acadêmica e acumulam experiências tanto na rotina quanto na pesquisa, fatores que impactam no nível das atividades ministradas. Compõem o time profissionais de renome que fazem parte de institutos, centros de pesquisa e corporações, como a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), o Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear (CDTN), o Instituto do Câncer – RJ (INCA), o Laboratório de Medicina Nuclear da Faculdade de Medicina da USP (LIM43- FMUSP) e a University Medical Center Groningen, na Holanda; 

“O curso é um grande diferencial na carreira de qualquer profissional da Radiofarmácia. Estamos comprometidos em formar profissionais que estejam aptos às atividades práticas que o mercado de trabalho exige nos dias de hoje”, informa Frederico Werlang, coordenador de produção de Radiofármacos do InsCer. 

Sobre o Instituto do Cérebro  

Por meio do Centro de Produção de Radiofármacos (CPR), o InsCer desenvolve, produz e distribui fármacos altamente especializados para o diagnóstico de câncer e, de forma pioneira, para o diagnóstico de doença de Alzheimer. Estes radiofármacos são enviados para toda a região Sul do Brasil e alguns grandes polos do país, como São Paulo e Rio de Janeiro, além da utilização para os exames de imagem realizados no Centro de Imagem Molecular (CIM), do próprio Instituto. 

O Centro de Produção de Radiofármacos do InsCer tem área aproximada de 900 m². Nele, ficam localizados os Laboratórios de Produção, de Controle de Qualidade Físico-Químico e de Controle de Qualidade Microbiológico. O CPR abriga um cíclotron, que é o acelerador de partículas responsável pela produção do material radioativo utilizado como matéria-prima para a fabricação de radiofármacos.  

“Possibilitar que alunos façam parte deste ambiente multidisciplinar no qual temos a produção dos medicamentos em cíclotron, manejo com pacientes e realização de exames são alguns dos maiores diferenciais oferecidos pelo curso”, diz Frederico.  

SAIBA MAIS

As disciplinas apresentadas no site são curriculares e obrigatórias em alguns cursos e podem ser cursadas como eletivas por estudantes de outros cursos. / Foto: Gabriel Schmidt

Os alunos/as da graduação presencial da PUCRS agora possuem uma nova ferramenta para compor sua grade curricular: o site criado especialmente para reunir o catálogo de disciplinas online dos currículos da Universidade, juntamente com a descrição do que consiste em cada uma. O objetivo da página é auxiliar na escolha dessas disciplinas, promovendo ainda mais a autonomia de cada estudante para montar seu percurso formativo. 

Para se matricular em uma disciplina online como eletiva, é necessário buscar pelo nome ou código da disciplina no Portal de Matrículas e incluí-la na sua seleção. Algumas disciplinas são liberadas automaticamente; enquanto outras necessitam do preenchimento da Justificativa da Solicitação, informando o motivo do interesse naquela área de estudo. O retorno será dado pelas notificações do próprio Portal. 

Débora Conforto, coordenadora de Graduação Online da PUCRS, explica que a motivação para a criação do site vem do crescimento significativo do número de matrículas nas disciplinas online da Graduação presencial: atualmente, são mais de 11 mil matrículas.  

“Para que essa experiência do/a estudante na modalidade online seja apoiada desde o seu processo de escolha, é preciso apresentar de forma mais qualificada o catálogo de disciplinas, de diferentes áreas do conhecimento”, pontua. 

As disciplinas apresentadas no site são curriculares e obrigatórias em alguns cursos e podem ser cursadas como eletivas por estudantes de outros cursos – uma oportunidade para que eles ampliem o conhecimento em áreas que despertem seu interesse. Para apoiar ainda mais o processo de escolha dos estudantes, cada Escola disponibiliza vídeos sobre cada disciplina gravados pelos professores. Esses vídeos são curtos e objetivos, apresentando o foco de estudo e as expectativas de aprendizagem projetadas para cada disciplina.  

O novo catálogo de disciplinas online no portal da PUCRS foi organizado para direcionar, melhor localizar e, é claro, conhecer a amplitude da oferta dessas disciplinas.  

“Nesse espaço digital, o estudante passa a ter acesso a um conjunto de informações que melhor direciona sua escolha e, assim, potencializa uma maior personalização e qualificação do percurso de aprendizagem para cada estudante. As disciplinas online materializam o objetivo estratégico de garantir espaço de exercício da autonomia e o protagonismo para todos os estudantes, aspectos valorizados e exigidos na contemporaneidade”, finaliza Débora. 

ACESSE O PORTAL DE DISCIPLINAS ONLINE 

energias renováveis, CEDER, hidrogênio verde

Há um aumento pela demanda de profissionais capacitado/as para atuar no mercado e gerenciar os projetos que irão surgir. / Foto: Bruno Todeschini

Sustentabilidade é um assunto urgente nos mais diferentes espaços da sociedade. É impossível hoje imaginar um futuro com desenvolvimento social, ambiental e econômico sem atentar para maneiras de preservar os recursos naturais e de agredir menos a Terra. Neste contexto, algumas profissões e setores se destacam ao protagonizar a mudança, entre elas a de engenheiro/a de energias renováveis. O Brasil é hoje o segundo país que mais emprega no setor, inclusive nas áreas de energia eólica e hidráulica, ficando atrás apenas da China.  

Para apoiar quem tem interesse em Engenharias e considera essa carreira uma possibilidade, preparamos este artigo que explica um pouco mais sobre o trabalho deste profissional e suas funções no dia a dia. Continue a leitura e entenda mais sobre o tema! 

Leia também: Cursos para o futuro: conheça as profissões para ficar de olho 

O QUE FAZ UM PROFISSIONAL DE ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS? 

Para começar a entender o que faz um engenheiro de energias renováveis, primeiro é preciso aprender sobre o conceito de energias renováveis: fontes de energia derivadas de processos naturais regenerativos, capazes de se reabastecer constantemente. Diferentemente das fontes tradicionais de energia, como combustíveis fósseis, as energias renováveis são extraídas de elementos naturais como sol, vento, água e biomassa, que são inesgotáveis e se renovam naturalmente. 

Além disso, são ambientalmente mais sustentáveis, pois sua geração e uso resultam em emissões mínimas ou nulas de gases de efeito estufa e outros poluentes, reduzindo o impacto ambiental em comparação com as fontes de energia convencionais. Tendo isso em mente, o engenheiro de energias renováveis se dedica ao desenvolvimento e implementação de tecnologias que aproveitem essas fontes limpas e sustentáveis. Quando formado, ele poderá atuar em diferentes frentes, seja como pesquisador da área, seja como um funcionário de uma empresa específica responsável por implementar projetos ou até mesmo fazendo a gestão de  sustentabilidade da marca.  

Quais são os tipos de energias renováveis? 

Estudante da PUCRS Rodrigo Garcia escolheu cursar Engenharia de Energias Renováveis para fazer a diferença no mundo. / Foto: Giordano Toldo

Atualmente, são conhecidos 5 tipos de energias renováveis, cada uma obtida de um tipo de material. São elas: 

Como se destacar como engenheiro de energias renováveis?

A atuação do profissional de energia renovável é muito ampla, mesmo que possa não parecer. Em geral, ele atua em diferentes frentes visando aumentar a sustentabilidade de algum lugar, seja este lugar uma única empresa ou até mesmo, o mundo. No primeiro caso, ele pode atuar em indústrias e em sua estratégia sustentável. Nesse contexto, ele é responsável por aumentar as medidas sustentáveis de determinada marca.  

No segundo, seria um trabalho voltado mais à pesquisa, a buscar novos meios de produzir energia renovável, além de criar mecanismos que apoiem a aplicação destas fontes de energia. Também é preciso entender que existem empresas privadas que pesquisam por esses temas, visando encontrar novas ferramentas que não prejudiquem o meio ambiente. Um bom exemplo disso são os carros elétricos. Para ter ideia, a venda desse tipo de veículo cresceu 76% no Brasil em 2023 se comparado ao mesmo período em 2022. Esses carros não utilizam combustível fóssil, gerando uma pegada de carbono menor .  

Importância do aprendizado contínuo

Dada a complexidade e a rápida evolução do campo de energias renováveis, os profissionais frequentemente buscam aprimoramento além da graduação, optando por especializações e pós-graduações. Essa formação adicional não só aprofunda seus conhecimentos técnicos e habilidades práticas, mas também abre portas para oportunidades de emprego mais qualificadas. 

A PUCRS conta com painéis solares instalados no Centro de Demonstração em Energias Renováveis, e o espaço é destinado a capacitação de estudantes. / Foto: Bruno Todeschini

Se você tem interesse nesse passo extra, a PUCRS oferece, por exemplo, o curso de Pós-Graduação em Energias Renováveis. Nele, o/a aluno/a aprofunda conhecimentos sobre fontes renováveis com o objetivo de analisar, planejar e projetar unidades integradas de processos na área. Ele é voltado para arquitetos, engenheiros, administradores e demais profissionais interessados no setor. 

Quais as perspectivas de carreiras e oportunidades neste setor em ascensão?

A sustentabilidade é uma urgência no mundo, como já citamos aqui. Para ter ideia, em 2022, seis a cada dez empresas tinham uma área dedicada ao tema e mais de 45% dos empresários disseram exigir certificados ambientais a fornecedores e parceiros. Os dados são da Confederação Nacional da Indústria (CNI).  

Além disso, estima-se que o mercado de energias renováveis deve movimentar 124 bilhões de dólares até 2040. Assim, o engenheiro de energias renováveis tem se tornado um profissional requisitado e procurado pelas empresas. Outro dado interessante: conforme a Bloomberg New Energy Finance (BNEF), empresa de pesquisa do setor, as energias renováveis advindas do sol e do vento representarão quase 50% da produção mundial de energia em 2050. E, considerando todas as energias renováveis existentes, 62% das produções energéticas serão renováveis. É evidente que o mercado das energias renováveis será, e já está sendo, promissor.  

Leia também: Estudos apontam soluções renováveis para a crise energética 

O QUE É REDUÇÃO NA PEGADA DE CARBONO E COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS? 

A pegada de carbono é o rastro de gases de efeito estufa que grande parte das atividades humanas deixam, principalmente quando se refere ao uso de energias não renováveis. Quase tudo que o ser humano faz gera uma pegada de carbono, desde como nos alimentamos, nos transportamos, até como produzimos.   

A redução da pegada de carbono é uma medida que vem sendo tomada visando diminuir esse impacto ambiental que geramos, que causa prejuízos tanto para o planeta quanto para a nossa própria vida. A pegada de carbono gerada pela vida do ser humano gera consequências irreversíveis para o planeta. Ela é responsável pelo aumento do efeito estufa, o que consequentemente gera mudanças climáticas extremamente prejudiciais para a Terra.  

Pensar e implementar maneiras alternativas de viver e utilizar recursos torna ainda mais essencial o papel do engenheiro de energias renováveis.  

QUAL É A IMPORTÂNCIA DA ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS? 

Laboratório NT-Solar, energias renováveis

Escola Politécnica conta com Núcleo de Tecnologia em Energia Solar / Foto: Bruno Todeschini

A engenharia de energias renováveis desempenha um papel fundamental na busca por soluções sustentáveis para os desafios energéticos do mundo atual. Além disso, ela impulsiona a inovação tecnológica, tornando as energias renováveis cada vez mais acessíveis e eficientes. Entenda melhor: 

1) Redução das emissões de gases de efeito estufa

O uso de energias renováveis ​​ajuda a reduzir a dependência de combustíveis fósseis, como carvão, petróleo e gás natural, que são fontes significativas de emissões de dióxido de carbono (CO2) e outros poluentes. Isso contribui para a mitigação das mudanças climáticas e a diminuição do impacto ambiental. 

2) Diversificação da matriz energética

A dependência excessiva de uma única fonte de energia pode ser arriscada para a segurança energética de um país. A engenharia de energias renováveis ​​permite a diversificação da matriz energética, tornando-a mais resiliente a interrupções no abastecimento. 

Em 2023, por exemplo, as fontes renováveis foram responsáveis por um crescimento de 3,3 gigawatts (GW) da matriz elétrica brasileira. 49,15% vieram de energia eólica, enquanto 37,19% vieram da energia solar fotovoltaica. Esses dados foram divulgados pelo Governo Federal. 

3) Criação de empregos 

A indústria de energias renováveis ​​é uma fonte significativa de empregos em todo o mundo. Desde a concepção e fabricação de equipamentos até a instalação e manutenção de sistemas, muitos postos de trabalho são criados, impulsionando a economia local e global. De acordo com relatório “Energias Renováveis e Empregos: Revisão Anual”, publicado em 2023, por exemplo, foram 13,7 milhões de empregos gerados na área de energia renovável. 

Leia também: Construção de um futuro energeticamente mais sustentável é o foco da graduação em Engenharia de Energias Renováveis da PUCRS 

COMO É O CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS? 

Energia Eólica

A energia eólica representa 12,5% da matriz energética brasileira. / Foto: Pexels

Gostou dessa perspectiva de carreira? Saiba que no curso de graduação em Engenharia de Energias Renováveis o estudante terá uma abrangente seleção de disciplinas voltadas à Física, Matemática, Química e Biologia no ciclo básico e disciplinas  mais específicas a partir do quinto semestre. 

Podemos ver, por exemplo, a grade curricular do curso da PUCRS que oferece uma formação abrangente, combinando conceitos contemporâneos de ensino com uma abordagem multidisciplinar. No início, alunos/as estudam disciplinas fundamentais como: 

À medida que avançam, são introduzidos a conteúdos mais específicos: 

Sem falar que, durante a graduação, os estudantes participam de atividades práticas em colaboração com outras áreas da Escola Politécnica. Isso inclui trabalhos de pesquisa e projetos  junto também de outras áreas do conhecimento como tecnologia da informação, proporcionando uma experiência valiosa não apenas no campo da engenharia de energias renováveis​​. 

Entendeu o que é a Engenharia de Energias Renováveis e por que ela é tão importante? Com ela, podemos garantir novos meios para a diminuição dos impactos ambientais causados pelo ser humano, melhorando nossa vida na Terra. Gostou do artigo e quer conhecer mais sobre esse curso?  

ESTUDE ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS NA PUCRS 

novo semestre, volta às aulas presenciais

Volta às aulas terá programação especial para calouros e veteranos. / Foto: Igor Bandera

Um Campus cheio de possibilidades: é isso que calouros e veteranos irão encontrar ao chegar na PUCRS na próxima segunda-feira (26). O início das aulas do primeiro semestre de 2024 marca um momento especial para encontros, reencontros e descobertas. Listamos todas as informações necessárias para iniciar essa trajetória na PUCRS. 

Cronograma de Volta às Aulas

Para o retorno das aulas, a PUCRS preparou uma programação especial, com talks acadêmicos e de carreira, exposições culturais, aulas de violão para iniciantes, oficinas de meditação e mindfulness, e muito mais. Confira aqui!

Carteirinhas de estudante

Item essencial do/a aluno/a PUCRS! A entrega das carteirinhas será realizada na Coordenadoria de Atendimento ao Aluno (CRA), no prédio 15.

Cadernos PUCRS

O caderno desse ano foi pensado para você conhecer um pouco mais as possibilidades que a PUCRS oferece, além de trazer aquele toque de personalidade única que você poderá colocar nele!

Anote na agenda:

 Onde retirar: balcão de atendimento do Living (prédio 15) – em frente à PUCRS Store​

 Quando retirar: a partir de segunda, dia 26/2 até 29/3​

 O que preciso para retirar: carteirinha de estudante PUCRS ou número de ID de estudante para comprovação

 Quem pode retirar: alunos da graduação, mestrado e doutorado. Alunos de lato senso presencial irão receber o caderno nas Escolas.

Primeiros passos  

Busque os canais da sua Escola para a programação completa relacionada ao seu curso. / Foto: Igor Bandera

Calouro, não sabe como se achar no primeiro dia de aula? A gente te ajuda! No nosso site, na aba Sou Aluno, você encontra todas as informações sobre a Universidade, como o mapa do Campus, o calendário acadêmico, o Portal do Aluno e a plataforma Moodle, por exemplo. Você pode acessar clicando aqui.   

Veja a programação da sua Escola   

A PUCRS conta com sete Escolas diferentes e cada uma delas terá um cronograma específico de integração, que você pode conferir no site. Para mais informações a respeito de eventos estudantis, oportunidades acadêmicas e anúncios, o principal ponto de contato é a sua Escola. Acompanhe:  

Vai vir de carro?  

Para acessar o estacionamento da PUCRS, alunas e alunos precisam utilizar a carteirinha da Universidade, e o pagamento acontece mediante saldo disponível na própria carteirinha. A PUCRS conta com terminais de pagamento e recarga para adicionar saldo no cartão, além da possibilidade de recarga online – neste link. Lembre-se: estudantes credenciados pagam menos.   

O estacionamento pode ser acessado pela Av. Ipiranga (portões 1, 14, 16), Rua Professor Cristiano Fischer (4, 11), Av. Bento Gonçalves (9) e Rua Nelson Duarte Brochado (10). Acesse aqui mais informações sobre o estacionamento ou entre em contato com a Indigo pelo telefone (51) 3353-6331.   

Conheça os serviços PUCRS  

novo semestre

Foto: Igor Bandera

A PUCRS conta uma das maiores bibliotecas da América Latina. Com 14 andares e um acervo de 1,5 milhão de materiais, o espaço pode ser acessado também remotamente. Você encontra mais informações sobre a biblioteca aqui. 

O Campus também possui diversas opções de cafés, hambúrgueres, pizzas, sushis, lanches e buffet. Além do Restaurante Universitário que pode ser acessado exclusivamente por alunos/as e colaboradores mediante a apresentação da carteirinha. 

Leia também: Para além da sala de aula: conheça os serviços do Centro de Apoio Discente da PUCRS 

Conheça o espaço da ediPUCRS   

A editora da PUCRS fica localizada na sala 206, no prédio 5. Além da publicação de periódicos científicos, a ediPUCRS publica livros científicos e de literatura, nos formatos POD (print-on-demand) e digital, e também relatórios, anais de eventos e cartilhas. Não esquecendo que alunos/as da PUCRS tem 30% de desconto nos produtos da EdiPUCRS    

Orientações gerais de retorno ao campus  

Informações sobre matrícula, troca de curso, solicitação de documento, mensalidades, financiamento estudantil, ProUni, entre outros assuntos, fale com a Central de Atendimento ao Aluno. A Central fica no térreo do Living 360° (Prédio 15), e funciona das 8h às 21h; ou entre em contato pelo WhatasApp (51) 98443-0788.  

Precisa de alguma coisa?   

O Centro de Apoio Discente conta com serviços disponíveis a todos os alunos da Graduação e Pós-Graduação, nos turnos manhã, tarde e noite, de segunda a sexta-feira. Se você entende a importância de respeitar o seu tempo, sua forma de aprender e o momento de compartilhar dúvidas, sentimentos e emoções, estes serviços são para você.

O Centro pode ser acessado presencialmente, no prédio 15 (Living 360°), 3º andar, sala 302; pelo telefone 051-3353-6036; pelo e-mail [email protected] e/ou Instagram: @apoiodiscentepucrs. 

Além disso, a PUCRS conta com uma estrutura para atender as principais demandas dos estudantes e colaboradores, como bancos, caixas eletrônicos, livrarias e papelaria, farmácias e armazém. Acesse!   

SAIBA TUDO SOBRE A VOLTA ÀS AULAS

Georges Hilal está no último semestre do curso de Psicologia da PUCRS/ Foto: Giordano Toldo

Georges Hilal, de 22 anos, é de Sant’anna do Livramento, e sempre teve o desejo de escutar e compreender o funcionamento da mente humana. Já Ketlin Costa, de 26 anos e natural de Viamão, tinha um objetivo mais específico: aprender sobre como se dão as relações étnico-raciais no contexto brasileiro e os efeitos psicossociais causados pelo racismo, principalmente na população negra. O interesse e a curiosidade pelas particularidades das relações humanas os levaram a um lugar em comum: atualmente, ambos estão no último semestre do curso de Psicologia da PUCRS. 

Para eles, a graduação em Psicologia da PUCRS é um privilégio e um diferencial e tanto na carreira. Georges destaca a excelência do ensino, que o fez escolher estudar na Universidade:  

“Escolhi a PUCRS pela excelência no ensino e reconhecimento no mercado de trabalho, sendo uma das mais renomadas no Brasil e nas Américas. Aqui temos uma experiência completa: das salas de aula bem equipadas aos espaços de lazer, da maior biblioteca da América Latina aos eventos culturais na Rua da Cultura. Além disso, a possibilidade de internacionalização é mais um atrativo. Tudo é pensado para a realização de um futuro promissor.” 

Ketlin descreve a experiência de cursar Psicologia na PUCRS como gratificante e transformadora: 

“Considero a PUCRS uma Universidade incrível, que proporciona vivências plurais e diversas ao longo do curso. Os serviços e ações dentro do campus e articulações fora dele são um diferencial transformador na formação profissional. Sinto-me muito alegre e grata por estudar aqui.” 

Pluralidade de oportunidades e experiências levaram Ketlin Costa a escolher cursar Psicologia na PUCRS/ Foto: Giordano Toldo

Nos últimos anos, a preocupação com a saúde mental vem aumentando cada vez mais, juntamente com o número de pessoas atingidas por transtornos psicológicos. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com mais pessoas com ansiedade e o quinto com mais diagnósticos de depressão. Nesse contexto, é essencial a formação de profissionais para cuidar da saúde mental da população e para a promoção da saúde.

Em vista disso, o curso de Psicologia da PUCRS tem como principal foco formar psicólogos/as generalistas, teórica e tecnicamente embasados/as para atuar em diferentes cenários socioculturais e profissionais; capazes de compreender os sujeitos e seus processos de subjetivação de forma integral, empenhados/as no desenvolvimento profissional, na atuação ética, na transformação social e na promoção da saúde. 

Ocorrida em 1953, a fundação da graduação em Psicologia da PUCRS é anterior até mesmo à regulamentação da profissão no Brasil, pela lei 4119/62. Foi o segundo curso da área a ser fundado no País, permitindo que muitos dos psicólogos que participaram da constituição da psicologia como área de prática profissional e científica fizessem sua formação na PUCRS.  

Cristiano Dal Forno, professor da Escola de Ciências da Saúde e da Vida e coordenador do curso, reitera a tradição e destaca o currículo renovado e conectado com as exigências sociais, além da localização em um campus universitário que oportuniza aos estudantes intercâmbios com as diversas áreas do saber e vivências transformadoras. 

“O curso conta com um Laboratório de Processos Psicológicos Básicos, no qual se podem realizar experimentos virtuais, além de incomparável estrutura física e humana para a realização das práticas supervisionadas, com mais de 22 salas para atendimentos individuais e de grupos, sala de espelho para atendimentos e observações e mais de dez psicólogos supervisores”, explica ele. 

Serviço-escola oferece atuação prática aos alunos 

O curso de Psicologia conta com diversos espaços de aprendizagem que fomentam o desenvolvimento acadêmico e profissional dos estudantes. O maior destaque é o Serviço Escola do Curso, destaque na área por contar com variados núcleos de estágio: psicologia social-comunitária, escolar, do trabalho, clínica psicanalítica, comportamental e sistêmica e, também, os recém implantados núcleo de avaliação psicológica e núcleo de estágios básicos.

“Como campos de práticas supervisionadas, as instalações do Hospital São Lucas e do Centro de Extensão Universitária Vila Fátima recebem muitos dos alunos do curso em estágios básicos e profissionalizantes”, acrescenta Cristiano.  

Prédio 11 abriga salas e outros espaços de aprendizagem do curso de Psicologia/ Foto: Divulgação

Além desses espaços, há ainda mais de 100 locais externos à Universidade credenciados para estágio obrigatório, em diferentes áreas de atuação: psicologia clínica (diferentes abordagens teóricas), psicologia do trabalho, jurídica, do esporte, comunitária, hospitalar. O coordenador afirma que esses espaços proporcionam aos alunos contato com o amplo campo da psicologia e do ofício do psicólogo, por meio de práticas supervisionadas por profissionais com experiências em suas áreas. 

“Um dos princípios que direcionam a formação ofertada pelo curso de Psicologia da PUCRS é a ética profissional e atenção aos Direitos Humanos, preceitos fundamentais. Em virtude disso, os espaços de aprendizagem ofertam oportunidades de práticas que colocam o estudante em contato direto com o fazer técnico, mas fomentam, em grande medida, a reflexão ética e a função cidadã da profissão.” 

Georges elogia muito a estrutura física do curso, principalmente as salas de aula, nas quais os alunos passam longas horas de estudo. Além das salas, o espaço que ele mais utiliza – e seu favorito – é o Serviço de Atendimento e Pesquisa em Psicologia (SAPP), que ele descreve como excelente e um terreno fértil para os estudantes que desejam se aventurar nas diferentes áreas da Psicologia. “Lá, inaugurei a minha escuta clínica e vivi instantes marcantes. A sala de espelhos é uma relíquia! Circular pela estrutura física do curso é um privilégio”, afirma. 

Quem também adora o SAPP e a sala de espelhos é Ketlin, que realiza seu estágio obrigatório no serviço. Além disso, ela exalta os diversos espaços do prédio 11, incluindo as secretarias, o auditório e os grupos de pesquisa do curso. Entre estes últimos, destaca a sala do grupo de pesquisa Psicologia, Saúde e Comunidades, coordenado pela professora Kátia Bones Rocha. 

O quadro docente do curso merece especial destaque: é constituído por professores com consistente formação acadêmica, possuindo pós-graduação stricto sensu, dos quais mais de 70% são doutores em suas áreas de especialidade. 

“Grande parte dos docentes estão vinculados ao mercado de trabalho da psicologia, desempenhando atividades em clínicas, empresas, consultorias e/ou escolas. Tal característica permite que os professores ofertem conteúdos e experiências em sala de aula diretamente relacionados à atualidade do fazer em psicologia, permeados por exemplos de suas próprias práticas profissionais”, destaca o professor Cristiano. 

Por que estudar Psicologia na PUCRS? 

Tradição do curso, currículo consistente e carga prática estão entre os principais diferenciais do curso/ Foto: Giordano Toldo

O aluno graduado em Psicologia pela PUCRS sai preparado para lidar com os mais diversos desafios da profissão. O histórico consolidado do curso propicia reconhecimento por parte do mercado de trabalho, sendo um diferencial competitivo para os egressos. Além disso, as disciplinas práticas e os estágios obrigatórios exercem papel fundamental na preparação dos alunos para atuar na área. “O fato de os alunos terem dois anos de prática em estágios básicos e obrigatórios os coloca diretamente em contato com o mundo do trabalho, em diferentes áreas de atuação da psicologia”, acrescenta o docente.  

Ele destaca os principais atrativos e diferenciais do curso para aqueles que pensam em seguir carreira na Psicologia: a junção da tradição com a inovação, infraestrutura atualizada e excelentes professores.  

“O estudante tem a possibilidade de ter contato com as principais linhas teóricas e áreas de atuação da Psicologia na contemporaneidade, em uma formação abrangente, atualizada e que permite a construção de diferentes trajetórias após a graduação. Além das disciplinas obrigatórias do curso, o estudante poderá acessar conhecimentos de diversas áreas por meio de disciplinas eletivas e projetos de extensão, ampliando sua visão de mundo e experiências de vida”, pontua ele. 

Além disso, há a integração da graduação com a pós, por meio do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGP). Fundado em 1987, possui avaliação nota 7 pela CAPES (maior nota que um programa de pesquisa pode atingir no país) e é referência nacional e internacional em suas áreas de concentração, mantendo convênios e parcerias com outros programas internacionais de excelência em Psicologia e áreas afins.

Por meio da integração com a graduação, os alunos podem desenvolver práticas de iniciação científica, bem como cursar disciplinas do mestrado, por meio de programas de fomento à pesquisa que a Universidade oferece. 

ESTUDE PSICOLOGIA NA PUCRS

escrita criativa

A PUCRS está com as inscrições abertas para cursos de idiomas intensivos de verão. / Foto: Bruno Todeschini

Aprender um novo idioma é uma tarefa que leva tempo e, sem dúvida, esforço. Não importa como você prefira estudar, seja por contra própria ou com um professor em um curso, é essencial ter foco e disciplina nessa jornada – e se manter motivado durante o processo. Para quem quer tornar esse aprendizado ainda mais rápido e dinâmico, o Centro de Idiomas da PUCRS (Lexis) está com inscrições abertas para os cursos intensivos de alemão, japonês, coreano, inglês, francês, libras, espanhol, italiano e russo, que iniciam no dia 15 de janeiro.   

Separamos 5 dicas para manter a motivação no estudo de um novo idioma e incrementar ainda mais o seu aprendizado. Confira: 

1. Estude pelo menos 15 minutos por dia

Todo novo conhecimento, quando adquirido, precisa ser fixado na memória. E nada melhor para memorizar novos aprendizados do que tirar um tempo do seu dia para revisar o que estudou. Os métodos de estudo variam de pessoa para pessoa: alguns conseguem um estudo efetivo apenas lendo, outros se dão melhor anotando/grifando o conteúdo, outros fazem mapas mentais, etc. Encontre o método que funciona melhor para você. 

2. Trace objetivos e metas

Outra excelente forma de se manter motivado a estudar um novo idioma é ter em mente quais são os seus objetivos nesse processo: pode ser uma viagem, um intercâmbio, uma melhor oportunidade profissional ou simplesmente a vontade de aprender algo novo. Também é importante estabelecer metas de aprendizado e se orgulhar do seu próprio progresso, tendo sempre em mente de que cada pessoa tem seu ritmo e seu tempo.  

3. Forme grupos de conversação

Tão importante quanto estudar e fixar algo na teoria é exercitá-lo na prática. Quando você está aprendendo um novo idioma, está estudando não apenas para conseguir ouvir e ler na língua em questão, mas também se expressar nela – logo, praticar a fala é fundamental. Reúna amigos que estejam estudando o mesmo idioma que você e formem um grupo de conversação – pode ser muito útil tanto para praticarem a fala quanto para vocês tirarem dúvidas e corrigirem os erros uns do outros, criando um processo de aprendizagem colaborativo.

4. Invista em autoconhecimento

Essa dica vale principalmente como um complemento para a primeira: é preciso autoconhecimento para saber qual método de estudos funciona melhor para você. Quanto mais nos conhecemos, melhor identificamos estratégias eficazes para fixar o conhecimento que adquirimos. Procure entender como é o seu jeito de aprender, o que surte efeito no seu processo de aprendizagem e o que não faz sentido.  

Leia também: 5 livros de ficção para ler nestas férias

5. Insira práticas de aprendizagem no dia a dia

Um jeito muito interessante – e eficaz – de estar fixar o aprendizado de um novo idioma é por meio da imersão pelo lazer. Ouça música prestando atenção nas palavras, use aplicativos e assista a vídeos nos idiomas que você está estudando. Ler livros na língua estudada também é uma boa opção para praticar a língua.  

Inscreva-se nos cursos intensivos de idiomas do Lexis  

Que tal começar 2024 complementando seu currículo e fazer uma imersão em uma nova cultura? As inscrições para os cursos intensivos de idiomas do Lexis vão até o dia 15 de janeiro, quando começam as aulas. Inscreva-se antecipadamente e garanta desconto! 

quero estudar um novo idioma em 2024

Georges Hilal está no último semestre do curso de Psicologia da PUCRS/ Foto: Giordano Toldo

Georges Hilal, de 22 anos, é de Sant’anna do Livramento, e sempre teve o desejo de escutar e compreender o funcionamento da mente humana. Já Ketlin Costa, de 26 anos e natural de Viamão, tinha um objetivo mais específico: aprender sobre como se dão as relações étnico-raciais no contexto brasileiro e os efeitos psicossociais causados pelo racismo, principalmente na população negra. O interesse e a curiosidade pelas particularidades das relações humanas os levaram a um lugar comum: atualmente, ambos estão no último semestre do curso de Psicologia da PUCRS. 

Para eles, a graduação em Psicologia da PUCRS é um privilégio e um diferencial e tanto na carreira. Georges destaca a excelência do ensino, que o fez escolher estudar na Universidade:  

“Escolhi a PUCRS pois ela oferece excelência no ensino e reconhecimento no mercado de trabalho, sendo uma das mais renomadas no Brasil e nas Américas. Aqui temos uma experiência completa: das salas de aula bem equipadas aos espaços de lazer, da maior biblioteca da América Latina aos eventos culturais na Rua da Cultura. Além disso, a possibilidade de internacionalização é mais um atrativo. Tudo é pensado para a realização de um futuro promissor.” 

Ketlin descreve a experiência de cursar Psicologia na PUCRS como gratificante e transformadora: 

“Considero a PUCRS uma universidade incrível, que proporciona vivências plurais e diversas ao longo do curso, devido às oportunidades da universidade dentro e fora do campus. Considero que a Universidade, com tantos serviços e ações dentro do campus e articulações fora dele, com tanta qualidade e compromisso, é um diferencial transformador na formação profissional. Sinto-me muito alegre e grata por estudar na PUCRS.” 

Pluralidade de oportunidades e experiências levaram Ketlin Costa a escolher cursar Psicologia na PUCRS/ Foto: Giordano Toldo

Nos últimos anos, a preocupação com a saúde mental vem aumentando cada vez mais, juntamente com o número de pessoas atingidas por transtornos psicológicos. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com mais pessoas com ansiedade e o quinto com mais diagnósticos de depressão. Nesse contexto, é essencial a formação de cada vez mais profissionais para cuidar da saúde mental da população e na promoção da saúde. Em vista disso, o curso de Psicologia da PUCRS tem como principal foco formar psicólogos/as generalistas, teórica e tecnicamente embasados/as para atuar em diferentes cenários socioculturais e profissionais; capazes de compreender os sujeitos e seus processos de subjetivação de forma integral, empenhados/as no desenvolvimento profissional, na atuação ética, na transformação social e na promoção da saúde. 

Ocorrida em 1953, a fundação da graduação em Psicologia da PUCRS é anterior até mesmo à regulamentação da profissão no Brasil, pela lei 4119/62. Foi o segundo curso da área a ser fundado no País, permitindo que muitos dos psicólogos que participaram da constituição da psicologia como área de prática profissional e científica fizessem sua formação na PUCRS.  

Cristiano Dal Forno, professor da Escola de Ciências da Saúde e da Vida e coordenador do curso, reitera a tradição e destaca o currículo renovado e conectado com as exigências sociais, além da localização em um campus universitário que oportuniza aos estudantes intercâmbios com as diversas áreas do saber e vivências transformadoras. 

“O curso conta com um Laboratório de Processos Psicológicos Básicos, no qual se podem realizar experimentos virtuais, além de incomparável estrutura física e humana para a realização das práticas supervisionadas, com mais de 22 salas para atendimentos individuais e de grupos, sala de espelho para atendimentos e observações e mais de dez psicólogos supervisores”, explica ele. 

Serviço-escola oferece atuação prática aos alunos 

O curso de Psicologia conta com diversos espaços de aprendizagem que fomentam o desenvolvimento acadêmico e profissional dos estudantes. O maior destaque é o Serviço Escola do Curso, destaque na área por contar com variados núcleos de estágio: psicologia social-comunitária, escolar, do trabalho, clínica psicanalítica, comportamental e sistêmica e, também, os recém implantados núcleo de avaliação psicológica e núcleo de estágios básicos.

“Como campos de práticas supervisionadas, as instalações do Hospital São Lucas e do Centro de Extensão Universitária Vila Fátima recebem muitos dos alunos do curso em estágios básicos e profissionalizantes”, acrescenta Cristiano.  

Prédio 11 abriga salas e outros espaços de aprendizagem do curso de Psicologia/ Foto: Divulgação

Além desses espaços, há ainda mais de 100 locais externos à Universidade credenciados para estágio obrigatório, em diferentes áreas de atuação: psicologia clínica (diferentes abordagens teóricas), psicologia do trabalho, jurídica, do esporte, comunitária, hospitalar. O coordenador afirma que esses espaços proporcionam aos alunos contato com o amplo campo da psicologia e do ofício do psicólogo, por meio de práticas supervisionadas por profissionais com experiências em suas áreas. 

“Um dos princípios que direcionam a formação ofertada pelo curso de Psicologia da PUCRS é a ética profissional e atenção aos Direitos Humanos, preceitos fundamentais. Em virtude disso, os espaços de aprendizagem ofertam oportunidades de práticas que colocam o estudante em contato direto com o fazer técnico, mas fomentam, em grande medida, a reflexão ética e a função cidadã da profissão.” 

Georges elogia muito a estrutura física do curso, principalmente as salas de aula, nas quais os alunos passam longas horas de estudo. Além das salas, o espaço que ele mais utiliza – e seu favorito – é o Serviço de Atendimento e Pesquisa em Psicologia (SAPP), que ele descreve como excelente e um terreno fértil para os estudantes que desejam se aventurar nas diferentes áreas da Psicologia. “Lá, inaugurei a minha escuta clínica e vivi instantes marcantes. A sala de espelhos é uma relíquia! Circular pela estrutura física do curso é um privilégio”, afirma. 

Quem também adora o SAPP e a sala de espelhos é Ketlin, que realiza seu estágio obrigatório no serviço. Além disso, ela também exalta os diversos espaços do prédio 11, incluindo as secretarias, o auditório e os grupos de pesquisa do curso. Entre estes últimos, destaca a sala do grupo de pesquisa Psicologia, Saúde e Comunidades, coordenado pela professora Kátia Bones Rocha. 

O quadro docente do curso merece especial destaque: é constituído por professores com consistente formação acadêmica, possuindo pós-graduação stricto sensu, dos quais mais de 70% são doutores em suas áreas de especialidade. 

“Quase a totalidade dos docentes estão vinculados ao mercado de trabalho da psicologia, desempenhado atividades em clínicas, empresas, consultorias e/ou escolas. Tal característica permite que os professores ofertem conteúdos e experiências em sala de aula diretamente relacionados à atualidade do fazer em psicologia, permeados por exemplos de suas próprias práticas profissionais”, destaca o professor Cristiano. 

Por que estudar Psicologia na PUCRS? 

Tradição do curso, currículo consistente e carga prática estão entre os principais diferenciais do curso/ Foto: Giordano Toldo

O aluno graduado em Psicologia pela PUCRS sai preparado para lidar com os mais diversos desafios da profissão. O histórico consolidado do curso propicia reconhecimento por parte do mercado de trabalho, sendo um diferencial competitivo para os egressos. Além disso, as disciplinas práticas e os estágios obrigatórios exercem papel fundamental na preparação dos alunos para atuar na área. “O fato de os alunos terem dois anos de prática em estágios básicos e obrigatórios os coloca diretamente em contato com o mundo do trabalho, em diferentes áreas de atuação da psicologia”, acrescenta o docente.  

Ele destaca os principais atrativos e diferenciais do curso para aqueles que pensam em seguir carreira na Psicologia: a junção da tradição com a inovação, infraestrutura atualizada e excelentes professores.  

“O estudante tem a possibilidade de ter contato com as principais linhas teóricas e áreas de atuação da Psicologia na contemporaneidade, em uma formação abrangente, atualizada e que permite a construção de diferentes trajetórias após a graduação. Além das disciplinas obrigatórias do curso, o estudante poderá acessar conhecimentos de diversas áreas por meio de disciplinas eletivas e projetos de extensão, ampliando sua visão de mundo e experiências de vida”, pontua ele. 

Além disso, há a integração da graduação com a pós, por meio do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGP). Fundado em 1987, possui avaliação nota 7 pela CAPES (maior nota que um programa de pesquisa pode atingir no país) e é referência nacional e internacional em suas áreas de concentração, mantendo convênios e parcerias com outros programas internacionais de excelência em Psicologia e áreas afins. Por meio da integração com a graduação, os alunos podem desenvolver práticas de iniciação científica, bem como cursar disciplinas do mestrado, por meio de programas de fomento à pesquisa que a Universidade oferece. 

ESTUDE PSICOLOGIA NA PUCRS

Franciele Oliveira é aluna do sétimo semestre de Ciências Contábeis/ Foto: Giordano Toldo

Natural de Cachoeira do Sul, Franciele Oliveira sempre sonhou em ingressar em uma universidade. O desejo de cursar uma graduação, no entanto, precisou ser adiado: a dificuldade econômica, questão que atinge 70% dos interessados em concluir o Ensino Superior, conforme levantamento do Instituto Semesp, afetou sua trajetória acadêmica. Motivada a realizar suas metas e ciente do benefício de 80% de desconto nos cursos de graduação e pós-graduação para funcionários, Franciele começou a trabalhar na PUCRS e, hoje, está cursando o sétimo semestre de Ciências Contábeis na PUCRS. 

“Trabalhei em vários prédios da PUCRS. Mas foi quando comecei a trabalhar na reitoria, onde fica a contabilidade, que conheci pessoas que me incentivaram a retomar meus estudos.  Então, terminei o Ensino Médio, pois faltava apenas uma prova, afinal já havia feito Enem antes e tirei uma nota boa o suficiente para concluir a educação básica”, relata ela. 

Fundado na PUCRS em 1947, o curso de Ciências Contábeis é um dos mais antigos da Universidade e também uma das profissões mais antigas do mundo, tendo surgido com a necessidade de registrar transações comerciais. Contadores/as são responsáveis pelo controle patrimonial e report de informação às pequenas, médias e grandes empresas visando a sustentabilidade econômico-financeira que influenciam diretamente nos processos decisórios. Quem se forma na graduação em Ciências Contábeis da Escola de Negócios sai pronto/a para atuar nas mais diversas áreas da contabilidade como controladoria, auditoria interna e independente, consultoria, planejamento tributário, perícia, empreendedorismo, carreira acadêmica e muito mais. 

A coordenadora do curso, a professora Sandra de Vargas, destaca alguns dos principais diferenciais da graduação da PUCRS. 

“Trabalhamos com desenvolvimento de ideias e projetos inovadores dentro de disciplinas, maratonas de inovação, e programas específicos de empreendedorismo, principalmente relacionados ao Tecnopuc. Além disso, é realizado no Estúdio de Finanças, com a participação dos estudantes, atendimentos à comunidade para esclarecer dúvidas em relação ao imposto de renda pessoa física, abertura de MEI (microempreendedor individual), além de outras demandas relacionadas à legislação fiscal e tributária”, pontua a docente.

Leia mais: PUCRS é destaque no Ranking Universidades Empreendedoras

Espaços de atuação proporcionam aprendizagem na prática 

Escola de Negócios conta com diversos espaços de aprendizagem à disposição dos alunos/ Foto: Giordano Toldo

Em termos curriculares, o curso conta com um corpo docente de excelência, que é amparado pelo Núcleo de Desenvolvimento Pedagógico (NIP), que atua na formação e atualização das práticas pedagógicas. Há também o Seminário Anual de Desenvolvimento Docente da Pró-Reitora de Graduação, que atua em atualização de temáticas e tendências contemporâneas da Educação Superior.  

Além de todos os aspectos relacionados aos currículos, Sandra destaca as estruturas existentes na Escola de Negócios, que permitem a ampliação dos conhecimentos, inserção e experimentação das práticas de gestão. Entre elas, estão as ligas de estudantes, formadas a fim de proporcionar a troca de conhecimentos, validação de ideias, cocriação e o encontro com experiências além da sala de aula. Há também a Empresa Júnior Legacy, que viabiliza a prática de consultoria em projetos e organizações dos mais diversos portes e segmentos, o Laboratório de Experiência do Consumidor (Labex) e a Agência Experiencial, que proporciona aos alunos um primeiro contato com o mercado de trabalho. 

Esses espaços que proporcionam atividades práticas impactam significativamente na aprendizagem dos alunos. Para Sandra, é de suma importância que as aulas expositivas sejam complementadas por atividades práticas, como estudos de caso, simulações, projetos e estágios, que permitam aos alunos aplicarem os conceitos teóricos em situações reais e desenvolver habilidades de solução de problemas. Tais práticas proporcionam aos alunos experiências de aprendizagem autênticas e significativas. 

“Essas atividades estimulam a colaboração, a resolução de problemas em equipe, a tomada de decisões e a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, contribuindo para a formação integral do aluno. O currículo é considerado uma construção social e cultural em permanente diálogo com a sociedade, tornando explícitas as experiências de ensino e de aprendizagem vividas pela comunidade acadêmica. Os laboratórios e as ofertas imersivas cumprem esse objetivo”, acrescenta. 

Franciele conta que os laboratórios e as salas de mentoria são os espaços que ela mais utiliza. Além disso, destaca as melhorias recentes da graduação e o empenho da professora Sandra em trazer avanços para o curso. “Ela vai trazer aulas práticas das rotinas contábeis, trouxe o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF), onde fazemos Imposto de Renda para a população que não pode pagar, e também parcerias com grandes empresas, inclusive a empresa que trabalho no momento”, diz a estudante. 

Leia também: Mobilidade acadêmica e missões no exterior: por que estudar Relações Internacionais na PUCRS

Incentivo ao empreendedorismo e inovação estão entre os diferenciais do curso 

Egressos do curso saem preparados para enfrentar os mais diversos desafios do mercado de trabalho/ Foto: Giordano Toldo

Quem que se forma no curso de Ciências Contábeis da PUCRS sai, sem dúvida, preparado para os desafios do mercado – que possui várias e diversas oportunidades de atuação. A coordenadora Sandra explica que a formação do contador, em sua essência, é uma formação técnica, em que os profissionais podem aplicar seus conhecimentos em qualquer tipo e porte de organização. “Podem atuar como contadores de empresas públicas ou privadas, controllers, auditores, peritos e também como empreendedores da contabilidade ou de qualquer outra área.” 

Para aqueles que estão pensando em seguir essa carreira, a docente enumera os principais motivos para escolher cursar Ciências Contábeis na PUCRS: 

Em meio a tantas possibilidades e oportunidades que a Universidade oferece, Franciele se orgulha de ter escolhido a PUCRS para cursar sua graduação. 

Quando comecei a estudar, fiquei encantada com toda a estrutura que a PUCRS oferece. Os professores são sempre superatenciosos e muito motivadores. Quando entrei na Universidade, mal sabia ligar o computador, e o Fausto, que trabalha no laboratório, me ajudou muito nesse momento. Tenho muito orgulho de estudar e de ter trabalhado em uma instituição com tanta história e oportunidades. Ficarei feliz em dizer que sou filha da PUCRS”, afirma a estudante. 

ESTUDE CIÊNCIAS CONTÁBEIS NA PUCRS

Rodrigo Garcia escolheu cursar Engenharia de Energias Renováveis para fazer a diferença no mundo/ Foto: Giordano Toldo

Fazer a diferença no mundo: esse era o objetivo principal na escolha de carreira de Rodrigo Garcia, de 24 anos – embora, inicialmente, ele não soubesse exatamente como alcançar esse objetivo. Natural de Guaíba, ele atualmente reside em Porto Alegre e está no 4º semestre do curso de Engenharia de Energias Renováveis da PUCRS. Foi nesse curso que ele se encontrou e pode colocar em prática suas aptidões e habilidades. “É um jeito de cuidar do planeta de modo que as futuras gerações possam viver em um ambiente seguro e confortável, mas sempre zelando e respeitando o meio ambiente”, diz.  

Eduardo Medeiros está cursando o mesmo semestre que Rodrigo e que escolheu cursar Engenharia de Energias Renováveis por ser uma graduação diversificada. Para ele, é fundamental que o curso aborde todos os temas necessários para formar um profissional capacitado a fazer a diferença no mercado de trabalho, atuando frente aos desafios relacionados à transição energética: “Escolhi a PUCRS por conta do seu histórico e tradição em formar grandes engenheiros”, pontua. 

O engenheiro de energias renováveis é o profissional capacitado para conduzir a produção, a engenharia e a sociedade em uma direção sustentável. Além de ser o primeiro curso de Engenharia de Energias Renováveis do Brasil e o único da região Sul, a graduação da PUCRS possui um currículo atualizado, desenvolvido por profissionais referências na área, além de ser pautado pela inovação e pelo desenvolvimento social, científico, cultural e econômico. A missão do curso é preparar os/as estudantes para atuar nas áreas de produção e uso de energia, de infraestrutura de transporte dos vetores energéticos e de gestão e comercialização de energia. 

O professor da Escola Politécnica e coordenador do curso, Odilon Duarte, destaca que, diferentemente dos outros cursos de Engenharia de Energia existentes no mercado, este é um curso voltado especificamente às energias renováveis.  

“Além das temáticas de produção, transmissão, distribuição e uso da energia, o curso possui o diferencial de possuir um direcionamento para temas inovadores envolvendo a transição energética, como redes elétricas inteligentes, mercado livre de energia, armazenamento de energia (hidrogênio e baterias) e mobilidade elétrica”, explica o docente. 

Leia também: Há 15 anos, Projeto USE gera conscientização sobre o uso de recursos energéticos 

Laboratórios do curso são pioneiros em desenvolvimento de novas formas de energia 

Tradição da Universidade e diversidade na área levaram Eduardo Medeiros a escolher o curso/ Foto: Giordano Toldo

A Escola Politécnica possui os mais diversos ambientes de aprendizagem à disposição dos alunos. Entre os principais laboratórios utilizados pelo curso de Engenharia de Energias Renováveis estão o Laboratório de Energia Eólica (Lab-Eólica), o Centro de Demonstração em Energias Renováveis (CEDER), o Laboratório de Eficiência Energética (Labee), o Laboratório Computacional da Engenharia, o Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia (LCEE) e o Laboratório de Motores e Combustíveis Alternativos (LMCA) 

Para Eduardo, esses laboratórios são fundamentais no dia-a-dia dos alunos, pois nesses espaços eles realizam simulações, pesquisas e testes, aplicando o que aprendem em sala de aula na prática.  

“Me encantam os laboratórios do curso, seja o Labee e todos os laboratórios que envolvem a energia eólica, fora o conhecimento técnico referente aos módulos fotovoltaicos da energia solar, assim temos a vivência com várias áreas das energias renováveis”, diz o estudante. 

Além desses espaços, vale o destaque para o Núcleo de Tecnologia em Energia (NT-Solar), o único centro de pesquisa e desenvolvimento na América Latina projetado para desenvolver e caracterizar células solares e módulos fotovoltaicos em escala piloto.  

“Outras universidades podem ter plantas de produção de energia com sistemas fotovoltaicos, mas somente a PUCRS tem a capacidade de fabricar e caracterizar dispositivos industriais. Os laboratórios permitem que os alunos aprendam por meio de experiências e simulações, bem como projetos que se aproximam das atividades exigidas no mercado de trabalho. Os alunos também podem participar de projetos de pesquisa com os professores nos laboratórios, sendo introduzidos na pesquisa básica e aplicada, desenvolvendo atividades com empresas e demais órgãos da sociedade civil., destaca o professor Odilon. 

Tanto a estrutura física quanto a estrutura docente da Escola Politécnica tornam singular a experiência de cursar Engenharia de Energias Renováveis na PUCRS. Os professores se mantêm constantemente atualizados em relação às tendências do mercado, realizando projetos na área de energia, participando de congressos no setor, atuando como revisores de periódicos nacionais e internacionais e realizando visitas técnicas nacionais e internacionais, entre outros. Alguns professores, além de atuarem em sala de aula, também possuem atividades profissionais em companhias, além de participarem de associações e demais atividades na área da engenharia. 

Saiba mais: Energia Solar: entenda tudo sobre o mercado de sistemas fotovoltaicos no Brasil

Alunos são os futuros profissionais da sustentabilidade 

Alunos saem do curso preparados para construir um futuro energeticamente mais sustentável/ Foto: Giordano Toldo

A graduação em Engenharia de Energias Renováveis da PUCRS forma o profissional do futuro da área de energia, que será cada vez mais demandado pelo mercado. Apesar de ser um curso novo, a maioria dos estudantes já iniciam atividades de estágio em laboratórios e em empresas nos primeiros semestres do curso. Os egressos saem preparados para o presente na área tecnológica, entendendo todos os sistemas e processos envolvidos. E, acima de tudo, estarão preparados para projetar o futuro, sendo capazes de entender as novas tecnologias como modificadoras constantes dos paradigmas do setor de energia. 

“Este é um curso único na região Sul do país, que aborda a questão energética sob um viés de transição para uma matriz mais sustentável. Não teremos engenheiros para sistemas ‘estáticos’ de energia, mas para sistema ‘evolutivos’, que se adaptam as novas situações criadas pela sociedade e preservam os recursos naturais e o ambiente”, acrescenta o coordenador. 

A visão de futuro e sociedade intrínseca ao curso foi o que atraiu Eduardo: 

“Escolhi o curso de Engenharia de Energias Renováveis pois trata de todos os assuntos necessários para formar um profissional capacitado a fazer a diferença no mercado de trabalho, ajudando nos desafios relacionados a transição energética. O grande diferencial da PUCRS é a estrutura disponível para ajudar o aluno, seja através da biblioteca, laboratórios ou professores, que agregam de várias maneiras para a formação profissional do estudante”, afirma. 

Já Rodrigo conta que conheceu a PUCRS por meio de relatos da mãe, que é socióloga formada pela Universidade. Inicialmente, iria prestar vestibular para outro curso, porém quando descobriu que a PUCRS estava ofertando a nova graduação em Engenharia de Energias Renováveis, trocou de opção. 

“Sempre gostei de Engenharia, então troquei na hora, o coração falou mais alto pela graduação em Renováveis. Minha mãe me contou como a PUCRS é uma instituição de ponta e que tem toda a estrutura para melhor experiência possível do aluno enquanto na graduação. A Universidade é incrível em termos de laboratórios, estrutura em geral para os alunos, e os professores nos acolhem desde o primeiro momento. A PUCRS cuida de seus estudantes como nenhuma outra universidade, em todos os sentidos”, finaliza. 

ESTUDE ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS NA PUCRS

Isadora Guerra conheceu o curso de Sistemas de Informação em uma Feira de Carreiras e se encantou pela área/ Foto: Giordano Toldo

Isadora Guerra sempre teve uma ligação com a área administrativa: gestão de pessoas, gestão de tempo, organização e microeconomia são alguns dos temas sobre os quais ela mais gostava de estudar. No entanto, não se sentia totalmente contemplada pela ideia de cursar Administração. Até que, quando estava no último ano do Ensino Médio, na Feira de Carreiras da PUCRS, a jovem de 20 anos foi apresentada aos cursos da área de Tecnologia da Informação (TI) da Universidade. Foi quando ela conheceu a graduação em Sistemas de Informação – o que a fez se encantar pela possibilidade de unir a área de administração e a tecnologia. 

 “Entrei na Universidade e descobri o quanto me identifico com essa área, e gosto dos processos de criação de software, sendo a paixão pela administração um diferencial extremamente positivo, necessário e requisitado no mercado”, conta ela. 

Quem também encontrou seu caminho na PUCRS na área da TI foi a estudante Tainara Chaves. Natural de Arroio do Tigre, uma pequena cidade no centro do Estado, ela se mudou para Porto Alegre em 2019, logo após concluir o Ensino Médio. Após cursar alguns semestres de Física em outra universidade, percebeu que não era aquilo o que queria – porém, foi por meio da Física que ela teve contato com a área da TI e com a linguagem de programação, pelas quais logo se apaixonou. 

“Quando entendi que a física não era o que eu estava procurando, apesar de gostar muito, procurei o lugar que iria me oferecer a melhor estrutura durante essa jornada acadêmica. Sabendo que o mercado da tecnologia está cada vez mais amplo e com muitas oportunidades, busquei entender onde eu me encaixava nisso. Dentro dos cursos que a PUCRS disponibilizava, o curso de Sistemas de informação é o que mais se encaixou no meu perfil. Tanto por ser um curso mais voltado para a gestão e mesmo assim formar um profissional que poderá atuar em todas as áreas, costumo falar que é um ‘pouquinho’ de todos os cursos da computação”, explica Tainara. 

Tainara cursou, mas percebeu que a área de TI era sua verdadeira paixão/ Foto: Giordano Toldo

Com o avanço cada vez mais rápido da tecnologia, o mercado se mostra um terreno bastante fértil para os profissionais de TI. O curso de Sistemas de Informação da PUCRS forma profissionais especializados na identificação de soluções dessa área, capazes de apoiar os processos das organizações da melhor maneira. As disciplinas do curso abordam as áreas mais importantes da tecnologia da informação e também da administração, preparando os estudantes para atuarem na indústria de software como gerentes de tecnologia, gerentes de projetos, analistas de teste, desenvolvedores de software, entre outros. 

Alessandra Dutra, professora da Escola Politécnica e coordenadora do curso, destaca que além de grande tradição e reconhecimento no mercado, o curso conta com corpo docente altamente qualificado, integração com o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, que possui excelência internacional, e interface com o Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc) da Universidade. Entre os diversos papéis que cabem aos profissionais dessa área, estão: gerência de tecnologia, gerência de projetos, análise de testes, administração de banco de dados, desenvolvimento de software, entre outros. 

“Os egressos deste curso focam principalmente nos aspectos de desenvolvimento, aplicação e implantação de infraestrutura, sistemas, metodologias e aplicações, enquanto trata em toda a sua abrangência de questões organizacionais, de sistemas de informação e tecnologia da informação”, acrescenta a docente.

Leia mais: Engenharia de Computação: laboratórios e conexão com a indústria fazem toda a diferença na formação (pucrs.br)

Laboratórios atuam efetivamente no desenvolvimento dos estudantes 

Os alunos do curso de Sistemas de Informação contam com uma ampla gama de espaços de aprendizagem dentro da Escola Politécnica. Alguns dos principais laboratórios do curso são o Laboratório de Redes de Computadores, o Laboratório de Computação Gráfica, o Laboratório de Organização de Computadores e o Laboratório de Alto Desempenho. Além desses, há também a Agência Experimental de Engenharia de Software (AGES), um espaço inovador especialmente projetado para o desenvolvimento de atividades práticas de Engenharia de Software. 

A Agência Experimental de Engenharia de Software (AGES) é um espaço amplamente utilizado pelos Foto: Giordano Toldo

A AGES é querida por muitos alunos, como é o caso de Tainara, que, por estar realizando um projeto de pesquisa, utiliza muito o espaço. “Estou no segundo semestre do curso e participando de uma pesquisa sobre Discalculia do Desenvolvimento, na qual estou no processo de desenvolver um aplicativo de realidade mista para alunos com necessidades específicas”, conta. Além dela, Isadora também gosta muito da AGES: 

“É meu espaço preferido, por ser um ambiente colorido e super funcional, onde consigo encontrar meus amigos e fazer trabalhos em grupo. É um espaço físico dinâmico, com televisões, computadores e salas pensadas para times de TI, que podemos usufruir ao longo do curso. Acredito que essa seja a melhor estrutura física disponibilizada”, afirma ela. 

Há ainda várias outras salas, incluindo um laboratório geral aberto aos/as estudantes em tempo integral. “Este conjunto de laboratórios totalizam cerca de 500 estações de trabalho disponíveis aos alunos. A PUCRS também disponibiliza o Centro de Apoio Discente, criado para auxiliar os estudantes em questões como saúde mental, aprendizagem e inclusão, diz Alessandra. Todos esses espaços e laboratórios são fundamentais para a aprendizagem dos/as alunos/as, pois possibilitam que adquiram e dominem conceitos básicos e avançados. Estes conceitos habilitam os estudantes a atuarem no mercado, desenvolvendo soluções tecnológicas que envolvam todas as áreas de tecnologia. 

Leia também: 11 cursos da PUCRS recebem nota máxima do Guia da Faculdade do Estadão

Por que estudar Sistemas de Informação na PUCRS? 

A tecnologia, e com ela a sociedade, estão em constante evolução: interconexão maciça dos mais diversos tipos de dispositivos eletrônicos usados por todos e em todo lugar, diversos conceitos e tecnologias novas, como Internet das Coisas (IoT), cidades inteligentes, veículos autônomos, computação vestível, inteligência artificial e robótica. Em busca de atender a todas essas demandas, a PUCRS forma os profissionais de TI com o perfil mais completo possível, que os habilita a atuar em todas as áreas que necessitem de soluções inovadoras envolvendo hardware e software. 

Outro ponto forte do curso, além dos espaços, é o corpo docente, que se mantém constantemente atualizado em relação às tendências do mercado. 

Corpo docente qualificado e estrutura excepcional estão entre as qualidades que tornam diferenciado o curso de Sistemas de Informação da PUCRS/ Foto: Giordano Toldo

Os docentes estão comprometidos em se manter atualizados por meio de diversas estratégias, como participação ativa em eventos científicos e sociais, envolvimento em pesquisas, networking profissional, formação continuada e colaboração direta com a indústria. Muitos destes docentes são participantes de empresas e startups de escopo nacional e internacional. Essas estratégias permitem que eles propiciem aos alunos uma educação de qualidade, alinhada com as últimas tendências e necessidades do mercado global”, explica a professora. 

A conexão com o mercado e a inovação foram os principais fatores que levaram Isadora a escolher a PUCRS: 

“Além da PUCRS ter um dos melhores desempenhos do país no curso de Sistemas de Informação, acomoda o 4º maior ecossistema de inovação do mundo, o Tecnopuc, que oferece inúmeros projetos e oportunidades para os estudantes. Tive a oportunidade de participar da Hackatona de Engenharia de Software organizada pela Universidade, evento conhecido e patrocinado por grandes empresas do País, o que me deu visibilidade e abriu portas para cursos e até mesmo para meu primeiro estágio, sendo esse dentro do próprio Tecnopuc”, relata a estudante. 

Já Tainara conta que, por ter estudado em outra instituição antes da PUCRS, percebe a diferença da Universidade em relação às outras, desde aspectos estruturais até os mais humanos: 

“A PUCRS tem me surpreendido positivamente. Ter estudado em outra instituição me concede o direito de poder comparar as duas e saber que é muito discrepante. Desde o primeiro semestre fui muito bem recebida pela Universidade e pela coordenação do curso. A profa. Alessandra foi muito simpática e ofereceu a oportunidade para os alunos dos primeiros semestres criando um grupo de estudos, onde desde o início do curso desenvolvemos projetos e aprendemos linguagens como Javascript, CSS e HTML – até a comunicação com os professores é diferente. Desde que cheguei na PUCRS, me senti abraçada.” 

ESTUDE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA PUCRS