Saúde mental e emocional, pessoa dando apoio a outra

Confira dicas para cuidar da sua saúde mental. / Foto: Pexels

Cuidar do bem-estar mental é tão crucial quanto cuidar da saúde física. A iniciativa do Janeiro Branco, concebida pelo psicólogo Leonardo Abrahão em 2013 e transformada em lei em 2023, pretende conscientizar a sociedade sobre a importância da saúde mental. Em 2024, a campanha “Saúde Mental enquanto é tempo” propõe uma reflexão profunda sobre a necessidade de dedicar atenção a si e ao todo, com respeito e carinho.

No Brasil, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 86% da população sofre de algum tipo de transtorno mental, como fobias, depressão, transtornos de ansiedade e personalidade, entre outros. O país também conta o maior número de pessoas ansiosas:  9,3% da população brasileira sofre com a doença 

Para enfatizar importância da conscientização sobre o tema, a professora Rita Petrarca, do curso de Psicologia da Escola de Ciências da Saúde e da Vida da PUCRS, preparou sugestões de como começar o ano cuidando bem da mente e do emocional. Confira as dicas de como cuidar das emoções, comportamentos e da qualidade das suas relações afetivas: 

1) Tire um tempo para você

No meio das obrigações diárias, é essencial fazer uma pausa para respirar. Descanse e reserve um tempo do seu dia para desfrutar de algo que lhe dê prazer: assistir a uma série, dar um passeio, ler um livro interessante, dançar. O importante é que a atividade seja agradável.

2) Busque o equilíbrio 

Tente manter uma organização na realização das tarefas de aula e trabalho, equilibrando as responsabilidades com as atividades de lazer e descanso. Utilizar plataformas de organização e métodos de gestão do tempo podem te ajudar.  

3) Cuide do corpo 

Praticar atividades físicas ajuda na liberação de substâncias no organismo que causam as sensações de bem-estar, conforto e melhoram o humor, além de fazer bem à saúde. Lembre-se de dormir bem para descansar o corpo e a mente, além de se hidratar e manter uma alimentação equilibrada. Antes de dormir, evite usar o celular e aparelhos eletrônicos para ter uma noite mais tranquila.  

4) Mantenha boas relações 

Busque estar próximo das pessoas que você ama e te fazem bem, como família, amigos e amigas, mesmo que virtualmente. Os bons relacionamentos são fundamentais para a saúde mental e ajudam a fazer com que a vida tenha sentido. 

5) Procure ajuda

Preste atenção em você. Se estiver com dificuldades em lidar com as suas emoções, com a realidade desse momento ou com frustrações, procure uma ajuda profissional. Existem diferentes alternativas de profissionais e serviços de psicologia que podem lhe auxiliar a lidar com os momentos difíceis da vida. Lembre-se que é importante falar sobre saúde mental de janeiro a janeiro. Ninguém precisar estar só.   

Saiba onde procurar ajuda 

Alguns serviços que oferecem ajuda são o Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo telefone 188 ou no chat do site, e o Núcleo de Apoio Psicossocial do Centro de Apoio Discente da PUCRS, para a comunidade acadêmica. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3320-3703 ou no e-mail [email protected]. 

Leia também:  

Foto: Giordano Toldo

Muitas vezes a sociedade impõe normas as quais fazem parecer que é proibido sofrer, ter dificuldades e inseguranças, sentir ansiedade ou ser diferente – quando, na verdade, somos todos igualmente diferentes. Apesar dos preconceitos em torno do tema, identificar o momento de pedir apoio é essencial para se desenvolver integralmente e ter saúde em diferentes aspectos da vida. Se você entende a importância de respeitar o seu tempo, sua forma de aprender e o momento de compartilhar dúvidas, sentimentos e emoções, os serviços do Centro de Apoio Discente da PUCRS podem te ajudar.  

Simone Martins, coordenadora do Centro de Apoio Discente, explica que o espaço é constituído pelo Núcleo de Apoio Psicossocial, o Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva e o Núcleo de Apoio à Aprendizagem. Os Núcleos são formados por profissionais especializados que articulam conhecimentos e saberes específicos de cada área e as integram. Segundo a professora, isso é possível a partir do momento que a comunidade acadêmica se reconhece como inclusiva, plural e criativa. 

“São serviços que, por excelência, atuam na dimensão do cuidado com a vida e incidem diretamente na permanência, aprendizagem e participação nas diferentes atividades do Campus – sobretudo, nos propósitos dos alunos ao acessarem a Universidade a fim de contribuírem para a transformação da sociedade”, ressalta. 

Atenção para si e para os sinais da mente 

O Núcleo de Apoio Psicossocial integra a rede de atendimento aos estudantes e é um serviço de acolhimento e escuta qualificada no que se refere à prevenção, intervenção e mediação nas questões de saúde mental e aspectos de vulnerabilidade socioeconômica. Esses aspectos estão relacionados com o cuidado humano e impactam os processos de ensino e aprendizagem. 

Para isso, foi constituída uma equipe multidisciplinar de profissionais da Psicologia, Serviço Social e Psiquiatria. Esses profissionais atuam principalmente na prevenção da saúde mental e questões que envolvem a condição humana por meio de: 

centro de apoio discente

Serviço do Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva da PUCRS auxilia estudantes durante a formação / Foto: Camila Cunha

Os estudantes podem procurar o Núcleo de Apoio Psicossocial para atendimentos relacionados a: 

Todas as pessoas têm necessidades diferentes   

O Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva é o espaço onde são elaboradas e executadas as ações que promovem o acesso e a permanência de estudantes com transtornos de aprendizagem (dislexia, TDAH, entre outros); deficiência(s); Transtorno do Espectro Autista (TEA); Altas Habilidades/Superdotação e outras necessidades educacionais especiais ao longo da formação. O serviço disponibiliza acessibilidade arquitetônica, de comunicação, pedagógica e na confecção e adaptação de materiais acessíveis. 

Quando estava nos ensinos fundamental e médio, Renato Brum já percebia que precisava de uma abordagem diferente para realizar algumas tarefas escolares. Formado em Engenharia do Controle e Automação pela PUCRS, ele, que é diagnosticado com o Transtorno do Espectro Autista, relembra que, entre as dificuldades da época da escola, estavam a necessidade de ter mais tempo para fazer provas e o maior esforço para se concentrar.   

O Colégio Marista Rosário, onde estudou, foi o lugar no qual encontrou uma primeira ajuda. Ao ingressar na graduação, na PUCRS, recebeu apoio, criou laços e se sentiu ainda mais acolhido:   

“Eu não ia lá só para fazer as atividades, eu me sentia bem sabendo que tinha gente em quem confiava ao redor e que poderia tirar dúvidas. A equipe e os professores eram legais, e hoje eu ainda tenho contato com alguns deles.”  

Assim como o apoio de colegas e professores/as, a participação da família também ajuda no processo de formação. No caso de Renato, isso aconteceu do início ao fim da graduação:  

“O acompanhamento do Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva foi fundamental para o desenvolvimento do Renato dentro da PUCRS. A engenharia é um mundo fechado, e sem essa ajuda seria difícil de ele entrar neste ambiente devido às dificuldades dele na comunicação com as pessoas. Essa intermediação fez toda a diferença”, explica sua mãe, Flávia Borba.  

centro de apoio discente

Renato Borba, formado em Engenharia do Controle e Automação pela PUCRS, utilizou o serviço do Centro de Apoio Discente da PUCRS durante a graduação / Foto: Arquivo pessoal

Para o pai, Ruy Brum, “através desta equipe, nós, os pais, pudemos entender melhor os momentos que Renato passava e, assim, auxiliá-lo ao longo dos anos. Uma universidade é uma porta de entrada para o mundo real. E na realidade todos temos medos e questões diferentes”.   

Segundo Renato, o respeito às diferenças é muito importante. Afinal, “são elas que nos fazem grandes e incríveis”. Ele acrescenta que incluir é importante para a formação de uma geração de profissionais mais diversa, e não ter um olhar voltado para essas questões “significa perder potenciais de pessoas que, mesmo parecendo ‘menores’ às vezes, estão em outros ângulos, podendo mudar o mundo”.   

Para isso, o Núcleo dispõe de profissionais e recursos especializados, como o acompanhamento em diversas situações do cotidiano, além de orientação para a equipe de coordenação e docente sobre o processo de inclusão desses alunos e alunas no ensino superior.   

Precisa de reforço em alguma disciplina?   

Se você precisa de ajuda em alguma disciplina ou para aprender temas específicos, o Núcleo de Apoio à Aprendizagem conta com uma equipe pronta para te auxiliar. Participam do serviço estudantes, professores de diferentes cursos de graduação e bolsistas de Iniciação Científica. Ou seja, além de contribuir com os seus estudos, a equipe também entende o que você está passando, pois estão ou já estiveram no seu lugar como estudante.  

João Martins, por exemplo, foi monitor do Núcleo na área de Estatística. Mesmo sendo aluno do curso de Psicologia, ele aceitou o desafio de ministrar oficinas e encontros de reforço para diferentes áreas. Durante os três semestres que atuou no serviço, João pode ajudar colegas do seu curso e de outros, como Administração, Relações Públicas, Farmácia, Economia, Ciências Contábeis e Engenharias.   

“Me senti feliz em ajudar colegas a superarem dúvidas e dificuldades, principalmente nas disciplinas com as maiores taxas de reprovação e evasão. Isso me agregou tanto como futuro psicólogo quanto como pessoa, justamente pelo trabalho de empatia, que é algo que precisamos cada vez mais”, acrescenta.   

Obtenha apoio da Universidade 

Gostou desse conteúdo e acha que os serviços dos Núcleos de Apoio da PUCRS podem te ajudar? Para tirar dúvidas e receber mais informações, visite o Centro de Apoio Discente. Os serviços do Centro de Apoio estão disponíveis a todos os alunos da Graduação e Pós-Graduação, nos turnos manhã, tarde e noite, de segunda a sexta-feira. Podem ser acessados presencialmente, no prédio 15 (Living 360°), 3º andar, sala 302; pelo telefone 051-3353-6036; pelo e-mail [email protected] e/ou Instagram: @apoiodiscentepucrs. 

Apoio discente

Estudantes que necessitam de apoio podem contar remotamente com a equipe multidisciplinar do Centro. Foto: Kristina Tripkovic | Unsplash

Dificuldades de aprendizagem; atendimento e acompanhamento às pessoas com deficiência, com mobilidade reduzida e com necessidades educacionais específicas; acolhimento aos estudantes que buscam orientações sobre cuidados com a saúde mental e seus impactos no processo de formação pessoal, acadêmica e profissional. Essas são as necessidades psicossociais atendidas pelo Centro de Apoio Discente da PUCRS e que, durante o período de suspensão das aulas presenciais, seguem sendo realizadas de forma remota. 

Sabemos que este é um período delicado, de muitas inseguranças e incertezas, mas nossas equipes estão disponíveis e preparadas para acolher e auxiliar os nossos estudantes para um enfrentamento saudável nesse contexto de isolamento, privação e de situações de estresse que são geradoras de diversos sintomas.”, afirma a coordenadora do Centro e professora do curso de Psicologia da Escola de Ciências da Saúde e da Vida, Vanessa Manfredini

Confira como estão operando os núcleos

Núcleo de Apoio à Educação Inclusiva 
Os estudantes que necessitam de orientações e acompanhamento podem contatar diretamente a equipe de atendimento educacional especializada e o psicopedagogo do núcleo pelo e-mail [email protected].

Núcleo de Apoio à Aprendizagem 
Foram criadas áreas virtuais no Moodle, onde todos os alunos das monitorias, assim com os próprios monitores, estão inseridos. Cada monitor fará atendimento semanal através de fóruns, encontros na ferramenta Zoom, além de postagens complementes para auxiliar nos estudos. Esse atendimento está sendo feito por professores e bolsistas, inicialmente para alunos matriculados nas disciplinas de Matemática, Estatística, Física, Química, Letras e Desenho. Para mais informações sobre as disciplinas que possuem monitoria online, acesse a página do núcleo ou entre em contato pelo e-mail [email protected] .

Núcleo de Apoio Psicossocial 
O acolhimento aos estudantes que buscam orientações sobre cuidados com a saúde mental e os impactos nos processos de ensino e aprendizagem está sendo feito por profissionais da Psicologia, com apoio de uma equipe multidisciplinar pelo e-mail [email protected] e pelos telefones abaixo, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h. 
(51) 98300.3778 (Carla Villwock) 
(51) 98334.6418 (Ângela Pratini Seger)