Repositório institucional da Biblioteca Central Ir. José Otão abriga a pesquisa científica e acadêmica da Universidade/ Foto: Bruno Todeschini

Muito além do ensino, a pesquisa acadêmica e científica também é um dos pilares fundamentais de uma universidade. E tão importante quanto os resultados destas pesquisas é o armazenamento e a disponibilização deles para que o conhecimento produzido esteja à serviço dos mais diferentes desafios da sociedade. Para isso, a Universidade possui uma plataforma especialmente destinada a este fim: o Repositório Institucional da PUCRS. Clarissa Selbach, bibliotecária responsável pelo Setor de Tratamento da Informação da Biblioteca Central Ir. José Otão, explica que se trata de um ambiente de armazenamento digital de acesso aberto que abriga e organiza a produção acadêmica, científica e cultural gerada.  

“A ferramenta possui arquivos digitais de artigos, trabalhos em anais, livros, capítulos de livro, teses, dissertações e os documentos institucionais de cunho público produzidos e selecionados pela Administração Superior da PUCRS como, por exemplo, estatutos, anuários, relatórios, entre outros”, explica ela. 

O que um material precisa para entrar no repositório? 

O volume de conteúdo armazenado no repositório não é pouco: atualmente, a plataforma possui mais de 60 livros em texto completo, dez mil teses e dissertações defendidas nos Programas de Pós-Graduação (PPGs) da PUCRS, 500 capítulos de livros, nove mil artigos de periódicos e 3.500 trabalhos publicados em eventos. No entanto, há alguns requisitos necessários para que um material seja incluído no repositório: 

Qual a importância de um repositório institucional? 

O repositório é uma possibilidade de garantir a preservação da memória da produção acadêmica e científica da Universidade em formato digital, por tempo indeterminado. Além disso, é um ambiente seguro e controlado, independentemente de término de vínculo do autor com a instituição ou extinção da área de atuação. O software do repositório garante a estabilidade dos trabalhos, tornando a citação a ele tão confiável quanto um jornal acadêmico.  

Clarissa destaca que o repositório é fundamental para uma instituição como a PUCRS, em termos de visibilidade e acessibilidade, pois os trabalhos são disponibilizados de forma online e com acesso aberto, permitindo que sejam facilmente encontrados por meio de ferramentas de busca e bases de dados (no Google Scholar, por exemplo), contribuindo para a utilização destas informações pela comunidade. 

“Nossa ideia é fomentar esta ferramenta para que os professores e pesquisadores disponibilizem seus trabalhos em acesso aberto para que possamos incluir no Repositório. Quanto mais trabalhos publicados nele, melhor também a posição da PUCRS em rankings universitários. São diversos benefícios para a pesquisa acadêmica e a comunidade científica no geral”, pontua Clarissa. 

Leia mais 

construção da Biblioteca

Início da construção da Biblioteca em 1973 / Foto: Ana Toledo

Desde as estantes em casa até os edifícios inteiros repletos de acervos, mais do que um espaço físico onde guardam-se os livros, as bibliotecas são símbolos históricos do saber. Neste dia 29 de novembro, comemora-se o aniversário de um deles, parte essencial do campus da PUCRS e um dos espaços acadêmicos mais imponentes e completos da América Latina: a Biblioteca Ir. José Otão, que está completando 44 anos.  

Para comemorar a data e homenagear um dos espaços mais queridos da Universidade, conheça mais sobre a história da biblioteca. 

Há 44 anos no coração do Campus 

Originada a partir do acervo localizado junto ao Colégio Rosário em 1940, a Biblioteca mudou-se para o Campus Universitário em 1967. Pouco mais de uma década depois, em 1978, ela passou a ocupar uma área de 10 mil metros quadrados no centro do Campus, no atual prédio 16 da Universidade. 

Inauguração, em 1978, das instalações no prédio 16 / Foto: Ana Toledo

Em 2008, com a reinauguração das instalações, foi ampliado o espaço físico para 21 mil metros quadrados através da integração de uma torre de 14 pavimentos à estrutura antiga. Entre as inovações apresentadas durante essa reestruturação, destaca-se o Espaço Cultural. Com 360 metros quadrados, o ambiente expandiu e diversificou a atuação da biblioteca, possibilitando a contemplação e o contato, pela comunidade, com as mais variadas expressões de cultura. 

Somente nos últimos sete anos, mais de 40 exposições foram realizadas de forma gratuita e aberta ao público. Dentre elas, a mostra Leonardo da Vinci: Gênio Universal, com réplicas de pinturas e desenhos certificadas pelo Museu Leonardiano di Vinci e reproduções de algumas máquinas projetadas por ele mesmo. Destaca-se também a exposição Iret-Neferet, a Múmia Egípcia de Cerro Largo-Símbolos e Rituais de Mumificação, que apresentou ao público a cabeça de uma múmia egípcia que chegou ao Brasil na década de 50 e teve a confirmação de idade, sexo e origem em pesquisa realizada na PUCRS 

Também houve a recente exposição Alemanha, uma vez, uma seleção de 46 pinturas em aquarela que o artista Joaquim da Fonseca produziu em viagens ao país. Além disso, a vigente exposição Retratos Gaúchos – Olhares Inesperados vai até esta quarta-feira (30) e é composta por retratos do fotógrafo Eurico Salis, que percorreu mais de quarenta cidades do Rio Grande do Sul, registrando a diversidade do povo brasileiro. 

Leia também: 5 livros disponíveis na Biblioteca da PUCRS para conhecer escritoras negras brasileiras 

Tecnologia e pioneirismo se tornaram marcas 

biblioteca

Espaço no térreo reúne dicas de leitura e o serviço de auto-empréstimo / Foto: Camila Cunha

A Biblioteca Ir. José Otão é considerada a mais avançada em termos tecnológicos da América do Sul. O reconhecimento ressalta o pioneirismo na adoção de softwares e tecnologias de rastreamento e identificação de documentos por radiofrequência, além do uso de equipamentos de autodevolução e auto–empréstimo de materiais. 

Todo o sistema permite que o público acadêmico possa usufruir de empréstimos e acessar, de forma gratuita, mais de um milhão e seiscentos mil itens de informação, abrangendo livros impressos e eletrônicos, teses e dissertações, folhetos, obras raras, materiais multimídia, bases de dados e periódicos impressos e eletrônicos. A consulta ao acervo está disponível vinte quatro horas por dia no Omnis – ferramenta de busca, através da internet. 

Entre outras inovações realizadas pela Biblioteca ao longo dos anos, destacam-se a disponibilização de vídeos tutoriais curtos para uso de recursos tecnológicos, gerenciadores de referências (que permitem reunir, organizar e formatar as referências dos documentos pesquisados) e ferramentas de apoio à pesquisa (como orientações para pesquisa bibliográfica e modelos de normas técnicas de documentação). 

Leia também: 5 dicas: como aproveitar os serviços da Biblioteca 

biblioteca

Diversos espaços estão disponíveis para pesquisa e estudo na Biblioteca da PUCRS / Foto: Bruno Todeschini

A estrutura da Biblioteca Central ainda conta com acessibilidade às pessoas com deficiência, incluindo equipamentos e softwares para pessoas com deficiência visual ou auditiva. Está à disposição da comunidade acadêmica e externa uma sala exclusiva para atendimento de pessoas com deficiência visual, localizada no 2º pavimento. No local, existem diversos recursos de tecnologia assistiva como equipamentos, softwares de leitura de tela e conversão de texto para áudio falado, além do acervo de livros falados. Também há tradução de vídeos para a Língua Brasileira de Sinais. 

Comprometida com o atendimento de qualidade, a Biblioteca Central Ir. José Otão vem promovendo e estimulando a autonomia dos seus usuários, atendendo as demandas da comunidade acadêmica e sendo um polo de pesquisa e cultura com estruturas abertas ao público em geral, destacando-se como referência nacional no âmbito das bibliotecas universitárias. 

Saiba mais sobre todos os serviços e recursos da Biblioteca clicando aqui. 

Biblioteca, biblioteca central irmão josé otão,sala de estudos, computadores, alunos, estudando, novos espaços,

Biblioteca Central Ir. José Otão / Foto: Bruno Todeschini

Considerada a mais avançada na América Latina em termos tecnológicos, a Biblioteca Central Ir. José Otão oferece diversos serviços gratuitos para a comunidade universitária e o público. Além do ambiente moderno e acolhedor, foi adotado e aprimorado, ao longo desses anos, um inovador e eficiente sistema de gerenciamento e consulta. O público acadêmico pode usufruir de empréstimos e acessar, de forma gratuita, mais de 1, 5 milhão de itens de informação pelo sistema de descoberta Omnis, que inclui livros, teses, dissertações e publicações do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), entre outros.

Item de destaque na avaliação Capes dos programas de Pós-Graduação da Universidade, a Biblioteca, que recebe em média mais de 30 mil pessoas por mês, funciona de segunda a sexta-feira, das 7h35min às 22h50min, e aos sábados, das 7h35min às 17h30min. O seu acervo, composto também por materiais multimídia, está dividido em quatro grandes áreas: Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas, localizadas no 2º andar, e Ciência e Tecnologia e Linguagens e Artes, localizadas no 3º andar. O acervo relacionado ao curso de Medicina está localizado na Biblioteca da Escola de Medicina, no 3º andar do Hospital São Lucas da PUCRS, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h35min às 20h.

Serviços
A Biblioteca Central Irmão José Otão atende à comunidade universitária – estudantes de Graduação e Pós-Graduação, alunos de cursos de extensão, professores e pesquisadores, técnicos administrativos -, assim como funcionários do Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc), Alumni PUCRS (diplomados) e à comunidade em geral. Cada categoria é abrangida com uma gama diferente de serviços gratuitos nos setores de ensino, pesquisa e extensão, cobrindo todas as áreas do conhecimento e contribuindo para a formação técnica, científica e pessoal.

Além do acervo de itens de informação, a Biblioteca ainda oferece acesso gratuito à internet, notebooks e computadores e treinamentos. Outro serviço que se destaca é o Apoio à Avaliação, Pesquisa e Publicação, localizado no 2º pavimento do prédio 16. A iniciativa tem por objetivo atender a necessidade de orientações para o desenvolvimento, a publicação e a visibilidade dos resultados de pesquisas realizadas por alunos, professores e pesquisadores da Universidade. Com essa finalidade, são oferecidas capacitações para o uso de ferramentas bibliométricas, orientações sobre onde e como publicar em revistas ou livros e o apoio no uso de métricas adotadas na produção, disseminação e uso da informação científica, entre outros.

Treinamentos e capacitações
Para orientar a comunidade sobre o uso dos serviços da Biblioteca, regularmente são oferecidos treinamentos presenciais, programados ou sob demanda, através do Programa de Capacitação de Usuários (PCU).  Também são oferecidos treinamentos on-line pelos fornecedores de bases de dados, livros eletrônicos e periódicos. Os cursos abrangem desde as normas e regulamento da Biblioteca Central até a normalização de trabalhos acadêmicos e pesquisas no Portal de Periódicos da Capes e plataforma de e-books. Os treinamentos sob demanda devem ser solicitados pelos professores através de formulário existente neste link, através do e-mail [email protected] ou pelos telefones (51) 3320.3586 ou (51) 3320-3696.

Biblioteca, biblioteca central irmão josé otão,sala de estudos, computadores

Biblioteca Central Ir. José Otão / Foto: Gilson Oliveira

Acervo
O acervo é composto por diversos itens e informação. Além das quatro grandes áreas de conhecimento, há também os acervos especiais, literatura de lazer, literatura infantil, livros falados, normas técnicas e o acervo de Obras Raras, com mais de 5 mil títulos do século 17 ao 19.

Empréstimos e digitalizações
A Biblioteca oferece o serviço de empréstimo para uso domiciliar para a comunidade universitária, PUCRS Alumni – mediante cadastro e taxa semestral – e alunos de outras instituições, através do Empréstimo Entre Bibliotecas. A retirada de volumes as e devoluções podem ser realizadas nos equipamentos de autoatendimento ou no Balcão de Empréstimo do andar térreo da Biblioteca Central e na Biblioteca da Escola de Medicina. É possível também, para a comunidade da PUCRS, solicitar empréstimos de materiais de outras instituições, assim como a obtenção de cópias de documentos de outros estabelecimentos do Brasil e do exterior, por meio dos serviços de Comutação Bibliográfica dos quais a PUCRS participa. Além disso, é oferecido para a toda a comunidade que frequenta a Biblioteca o serviço de scanners de autoatendimento para digitalização de imagens e textos para fins acadêmicos.

Espaços diversificados
A Biblioteca dispõe de diferentes espaços, como as áreas do acervo e de leituraEspaço Cultural, lounge com dicas de leitura, espaço de pesquisa e produçãosalas de estudode vídeode treinamento e para pessoas com deficiência visual, sendo diversos deles abertos a qualquer pessoa da comunidade.

Tutoriais
No canal da PUCRS no Youtube foram criadas duas playlists produzidas pela Biblioteca. A primeira, intitulada Biblioteca Central Irmão José Otão, traz vídeos rápidos e explicativos sobre como utilizar os diversos serviços oferecidos. A segunda playlist, Biblioteca Central – Normas técnicas de documentação,  esclarece questões sobre referências, citações e apresentação de trabalhos acadêmicos nos padrões ABNT, Vancouver e APA.

Acessibilidade
A estrutura da Biblioteca Central é adaptada e acessível às pessoas com necessidades especiais, incluindo equipamentos e softwares para pessoas com deficiência visual ou auditiva. Está à disposição da comunidade acadêmica e externa uma sala exclusiva para atendimento de pessoas com deficiência visual, localizada no 2º pavimento. No local, existem diversos recursos de tecnologia assistiva como equipamentos, softwares de leitura de tela e conversão de texto para áudio falado, além do acervo de livros falados. Também há tradução de vídeos para a Língua Brasileira de Sinais.

Biblioteca, biblioteca central irmão josé otão,sala de estudos, computadores, alunos, estudando

Biblioteca Central Ir. José Otão / Foto: Gilson Oliveira

Bibliotecários
A Biblioteca possui 16 bibliotecários capacitados para auxiliar a comunidade no uso dos vários serviços ofertados, como pesquisas de livros, consultas de base de dados, documentação, normas, entre outras necessidades dos usuários.

Visitas guiadas
As visitas guiadas, disponíveis para todos os interessados, têm como objetivo apresentar a estrutura física e os serviços oferecidos pela Biblioteca Central, orientando os visitantes sobre seu funcionamento. As visitas também podem ser realizadas de forma virtual, através do link.

Acesso remoto
Alunos de graduação, pós-graduação e de Ensino à Distância vinculados a PUCRS, além de professores, técnicos administrativos e médicos residentes do Hospital São Lucas podem acessar coleções online assinadas pela PUCRS mais os conteúdos do Portal de Periódicos da Capes a partir de computadores e dispositivos fora da rede da Universidade. As orientações estão disponíveis no site.

Senhas
A utilização dos espaços e dos acervos da Biblioteca Central Ir. José Otão é feita mediante senhas pessoais. Existem duas formas de acesso, dependendo do material desejado. As informações sobre as formas de login podem ser consultadas aqui.

Agenda
Além de todos os serviços, a Biblioteca Central da PUCRS é um espaço para vivências culturais e de capacitações. Treinamentos – como Normas ABNT e ORCID –, exposições e outros eventos estão disponíveis na agenda.

As solicitações de agendamento podem ser feitas pelo e-mail [email protected] ou pelos telefones (51)3320.3586 e (51) 3320.3696.

Alunos do Colégio Champagnat recebem carteirinha de acesso à Biblioteca Central

Turmas de 3º ano do Colégio Marista Champagnat receberam carteirinha para acessar a Biblioteca Central / Foto: Bruno Todeschini

O segundo semestre do ano letivo em 2019 começou com uma novidade muito bem recebida pela comunidade do Colégio Marista Champagnat. Desde esta segunda-feira, 5 de agosto, na volta às aulas após período de recesso, os estudantes do Ensino Médio, do 1º ao 3º ano, professores e funcionários da instituição podem retirar livros e usufruir dos serviços e facilidades oferecidos pela Biblioteca Central Ir. José Otão, da PUCRS. A ação resulta da parceria com a Universidade, envolvendo duas pró-reitorias: de Graduação e Educação Continuada (Prograd); e de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex).

Música e preparação para o vestibular

Alunos do Colégio Champagnat recebem carteirinha de acesso à Biblioteca Central

Nayane Gräff / Foto: Bruno Todeschini

Nayane Gräff, 17 anos, no 3º ano do Ensino Médio, revela que havia interagido pouco com o prédio 16 do Campus até receber sua carteirinha, e que era atraída especialmente pela música. “Toda vez que escuto alguém tocando piano eu entro, sento e fico escutando”. A aluna, que é violonista, se refere ao piano de cauda que fica à disposição dos presentes no saguão do térreo. Para ela, poder retirar livros é o principal benefício da parceria entre o Colégio e a Universidade. “Acho muito interessante, pois gosto de ler meus livros em casa, no meu próprio tempo, e era algo que me limitava antes. Agora, com certeza vou aproveitar mais”. Para 2020, projeta cursar Filosofia. Temas como existencialismo e jusnaturalismo, no momento, estão entre suas preferências de leitura. “Atualmente estou lendo Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir, que encaixam com o conteúdo que estamos estudando. Gosto muito de filosofia porque me faz questionar sobre a realidade social à qual eu pertenço e como as coisas no mundo funcionam”. Nayane conta que desde criança brinca de dar aulas, mas está receosa ainda em definir-se pela carreira docente.

O estudante Bruno Simionovschi, 18 anos, também terceiranista, está animado com a oportunidade. “A gente tem acesso à nossa biblioteca no Colégio, mas a Biblioteca da PUCRS traz uma quantidade de livros e um espaço muito bom para estudar. Não cheguei a experienciar muito, mas quero conhecer mais o espaço”. Em seus planos para o vestibular está o curso de Ciências Biológicas, mas ele ainda não está totalmente decidido a respeito. Enquanto isso, pretende mesclar os estudos e a literatura técnica com suas preferências para os momentos de lazer, também disponíveis no local. “Gosto bastante de ficção científica e fantasia. São leituras bem atrativas. Não que as leituras obrigatórias sejam ruins, mas é sempre bom ler algo que escolhemos ”, comenta.

Suporte pedagógico de qualidade

Alunos do Colégio Champagnat recebem carteirinha de acesso à Biblioteca Central

Bruno Simionovschi / Foto: Bruno Todeschini

O acervo da Biblioteca Central da PUCRS é considerado de bastante qualidade e de grande reconhecimento pela professora Carla Moraes, coordenadora Pedagógica do Colégio Champagnat para anos finais e Ensino Médio. Segundo ela, esse recurso disponível a partir da nova parceria “é fundamental para a complementação de estudos, combinado com os livros disponíveis na biblioteca do Colégio”, afirma. Ela recorda que o hábito de leitura é cultivado desde os primeiros anos e agora ganha um reforço importante. Além desse aspecto, Carla considera que “o Ensino Superior dentro do projeto de vida do estudante do Ensino Médio é algo novo. Esse ambiente, se é trazido para o cotidiano escolar, dá a ele a possibilidade de chegar ao Ensino Superior sabendo os caminhos a percorrer”, analisa. Ela acrescenta que existem projetos de iniciação científica que também serão enriquecidos a partir desse novo recurso disponível.

Oportunidade de aprimoramento profissional

Sobre o benefício de empréstimos aberto ao corpo docente e técnico, Carla se mostra entusiasmada com o acesso que terá aos temas de seu interesse para as práticas profissionais. “Há muita coisa, especialmente ligada à área de educação, inclusão escolar, currículo escolar. Um grande desafio para nós, da Rede Marista, é a construção de nosso novo currículo escolar. Por isso, é preciso ler muito e compreender a juventude para poder oferecer uma escola cada vez melhor”, projeta.

Alunos do Colégio Champagnat recebem carteirinha de acesso à Biblioteca Central

Simone Hahn, diretora do Colégio Champagnat (esq.) e Carla Moraes, coordenadora pedagógica do Ensino Médio / Foto: Bruno Todeschini

A diretora do Colégio Champagnat, Simone Hahn, ressalta que a formação continuada é algo incentivado de forma permanente junto aos professores e quadro técnico. “O professor que estiver preparando uma aula e precisar de algo inédito como recurso pedagógico vai ter acesso a tudo a dois passos de nosso Colégio”, afirma. Ela também recorda que a parceria é resultado de uma negociação empreendida há algum tempo e contribui para estreitar a relação dos alunos com o ambiente universitário. “Os terceiros anos já vão saboreando o que é a vida acadêmica, um mundo e possibilidades que se descortina a partir do próximo ano”. Simone acredita que quanto mais se aproximam as realidades dos ensinos Médio e Superior mais os alunos têm a chance de vivenciar os valores partilhados na Universidade.

Lembretes sobre Open Campus e Vestibular

Durante o evento de entrega das carteirinhas, ocorrido no 6º andar do prédio 16, ao apresentar a estrutura da Biblioteca Central, a diretora Acadêmico-Administrativa da Pró-Grad, professora Ana Benso, mencionou os espaços descontraídos para estudo disponíveis e os locais de concentração, com as salas de estudo. Ela lembrou que este ano o vestibular de verão serão mais cedo, em 27 de outubro, e o Open Campus está agendado para 4 de outubro. É uma oportunidade de conhecer como funciona o universo acadêmico a partir da imersão nas Escolas da PUCRS.

 

biblioteca, vídeos, libras, língua brasileira de sinais, scanner, deficiente auditivo, deficiência auditiva

Marcos Felipe Gomes interage com os vídeos com legendas em Libras. /Foto: Camila Cunha

Tornar acessível a informação e promover a autonomia do usuário. A Biblioteca Central Ir. José Otão, em parceria com o Laboratório de Ensino e Atendimento a pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (Lepnee), apresentou neste mês de abril os primeiros vídeos referentes ao Projeto Informação Acessível, que inclui legendas e tradução na Língua Brasileira de Sinais (Libras). O suporte audiovisual orienta sobre a utilização dos scanners disponíveis no 2º e 3º pavimentos do prédio 16 e podem ser visualizados no canal PUCRS 360° no YouTube, de forma gratuita.

Compreender para integrar

Em março de 2019, foram iniciadas as gravações das primeiras legendas em Libras. O grupo de trabalho, com quase 30 vídeos publicados, optou por incrementar as descrições para deficientes auditivos. Dentre eles, quatro já possuem algum tipo de indicação.A iniciativa visa auxiliar com informações sobre a realização das traduções. O serviço no YouTube é opcional, e depende da habilitação no player que está sendo usado.

biblioteca, vídeos, libras, língua brasileira de sinais, scanner, deficiente auditivo, deficiência auditiva

Marcos Gomes e Adriana Andreghetti usufruem das facilidades do mecanismo / Foto: Camila Cunha

Para a professora da Escola de Humanidades e tradutora dos vídeos, Janaína Pereira Cláudio, a Biblioteca ofereceu mecanismos e suporte para a atividade. “As traduções ocorreram em uma sala com fundo mais escuro, o que facilita a visualização dos sinais nas imagens”, ressalta. Para a comunidade acadêmica em geral, o mecanismo se torna uma forma de compreensão aliada com a integração que o sistema proporciona. Para a funcionária do Lepnee, Adriana Andreghetti, o novo recurso é significativo para a acessibilidade, já que o projeto é pioneiro no âmbito acadêmico. “Vejo um instrumento de entendimento para a comunidade surda, que fomenta a integração, e deixa os usuários como no meu caso, satisfeitos e felizes”, afirma.

Os vídeos que possuem legenda encontram-se disponíveis nos links abaixo. Eles são separados em diferentes utilidades, que ensinam, de forma didática, como interagir com os mecanismos dispostos na Biblioteca.

Como utilizar o autoempréstimo [Em Libras] – Biblioteca Central PUCRS

 Como localizar materiais nas estantes [Em Libras] – Biblioteca Central PUCRS

 Como utilizar a autodevolução [Em Libras] – Biblioteca Central PUCRS

 Como utilizar o scanner [em Libras] – Biblioteca Central PUCRS

Sobre o LEPNEE

O Laboratório de Ensino Atendimento a Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (Lepnee) é o espaço que acolhe alunos com algum tipo de necessidade especial, oferecendo-lhes ferramentas de apoio e acompanhamento diferenciado, de modo a possibilitar sua acessibilidade – física, atitudinal e pedagógica –, ampliar seu bem-estar na Instituição e, assim, promover seu desempenho acadêmico. Está localizado no 3° andar do Living 360°.  Para mais informações, entre em contato pelo telefone: (51) 3353-7759 ou e-mail: [email protected].

 

 

 

Alunas observam expositor de acrílico com livros na ação Puzzle do Conhecimento, na Biblioteca Central

Foto: Bruno Todeschini

Com o objetivo de apresentar alguns dos múltiplos recursos e serviços indispensáveis à formação acadêmica dos calouros e veteranos da PUCRS, a equipe da Biblioteca Central Ir. José Otão preparou a exposição Puzzle do Conhecimento. A atração, que integra as atividades de volta às aulas, é uma forma de mostrar aos universitários de Graduação e Pós-Graduação itens que compõem o acervo de mais de 1,5 milhão de obras, dividido em quatro áreas do conhecimento: Humanas, Sociais Aplicadas, Ciências e Tecnologias, Linguagens e Artes. Também é possível que os veteranos deixem suas dicas de leitura ao longo da formação para auxiliar os calouros. A ação acontece no saguão do andar térreo até o dia 22 de março, segunda a sexta-feira, das 7h35min às 22h50min e, aos sábados, das 7h35min às 17h30min.

Além dos materiais impressos, estão disponíveis inúmeras coleções online, que podem ser acessadas nos computadores da Universidade ou por meio do Acesso Remoto. A Biblioteca Central oferece ainda locais para a pesquisa e produção de trabalhos em ambientes climatizados, salas para estudos individuais e em grupo, áreas de leitura, consulta aos acervos especiais e obras raras. Outra forma de suporte envolve o esclarecimento de dúvidas em relação às normas técnicas – para Trabalhos de Conclusão de Curso, Dissertações e Teses, por exemplo – e os treinamentos periódicos para aplicação dessas normas.  Para facilitar a retirada e entrega de livros, também há máquinas de autoempréstimo e autodevolução. Para mais informações, entre em contato: [email protected] e (51) 3320-3544.

Divulgação: Acervo Biblioteca Central

Divulgação: Acervo Biblioteca Central

Até o dia 21 de fevereiro, está disponível no saguão da Biblioteca Central da PUCRS uma exposição sobre O cinema antigo em fotos. Esta é uma coleção com fotografias de filmes, cowboys, seriados, livros, cartazes, revistas; além de registros de astros de Hollywood famosos, como, por exemplo, Marilyn Monroe e Elvis Presley. O acervo pertence à coleção especial e está armazenada no 6° andar da Biblioteca. A exposição tem entrada franca e é aberta ao público.

Os registros fazem parte da coleção de Henrique Padjem, que foi arquiteto e design de interiores, e que como hobby, iniciou sua primeira coleção de história em quadrinhos com oito anos de idade.

 Curiosidades sobre as fotografias  

As peças colecionadas começaram a ser compradas por Henrique por volta dos anos de 1930 e são consideradas raras e importantes por virem de outros países. Dentre elas, tem especial relevância a coleção da Revista Scena Muda, principal periódico de cinema do Brasil, que circulou entre 1921 e 1955 e que contém alguns dos arquivos do colecionador. No repositório de fotografias e cartazes cinematográficos encontra-se uma extensa fonte para a pesquisa iconográfica.

 Sobre o acervo

O espaço está disponível a toda comunidade, apenas para consulta local. Não é permitido empréstimo, fotocópia e nem digitalização das obras, visando a conservação das mesmas. A pesquisa é realizada com acompanhamento de funcionários da Biblioteca Central. O local fica aberto até o dia 18 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. De 21 de janeiro a 22 de fevereiro, de segunda a sexta, das 8h às 19h, sem abrir aos sábados.

bibliocineEntre os dias 3 e 14 de dezembro, a Biblioteca Central Ir. José Otão promove a segunda edição do Bibliocine: mostra de filmes na biblioteca. Desta vez, serão projetados filmes mudos, de 16mm e curta duração, produzidos pelos alunos dos cursos de Jornalismo e Produção Audiovisual da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos. A seleção inclui produções experimentais de 2003, 2004, 2006 e 2011. Pianistas amadores e profissionais, que tradicionalmente utilizam o instrumento disponível no saguão do prédio 16, estão convidados a fazerem ao vivo a trilha das obras. Durante a primeira semana, o piano estará disponível para uso entre das 18h20min e 19h20min, enquanto ocorre a exibição. Na segunda semana, o horário será das 12h às 13h. A atividade é gratuita e aberta ao público, sem necessidade de inscrições.

Programação Bibliocine:

De 3 a 7 de dezembro: das 18h20min às 19h20min (Piano liberado, exceto dia 7/12);

De 10 a 12 de dezembro: das 12h às 13h (Piano liberado).

Sobre o Bibliocine

A primeira edição do Bibliocine ocorreu entre 20 e 24 de agosto de 2018, com a exibição do filme O Palhaço (2011), dirigido, co-escrito e estrelado por Selton Mello, além de uma exposição de cartazes de cinema da Coleção Paulo Fontoura Gastal (P.F Gastal), escritor e jornalista cujo acervo está abrigado na Biblioteca.

Biblioteca, biblioteca central irmão josé otão, entrada,

Foto: Bruno Todeschini

Na semana em que a PUCRS completa 70 anos, a Biblioteca Central Ir. José Otão celebra seu 40º aniversário. Considerada a mais avançada da América Latina em termos tecnológicos, dispõe de um acervo superior a 1,5 milhão de itens, atendimento e capacitações para as mais diversas necessidades da comunidade acadêmica, eventos culturais e um ambiente acolhedor e inovador para responder aos desafios do mundo acadêmico. Para marcar a passagem da data, foi preparada uma programação especial, com atividades que acontecem entre os dias 5 e 30 de novembro. As ações são gratuitas e abertas ao público, sem necessidade de inscrição prévia.

Programação dos 40 anos da Biblioteca Central

De 5 a 30 de novembro

Ação: Exposição Biblioteca Central da PUCRS: 40 anos promovendo acesso à informação
Local: Saguão da Biblioteca Central

Ação: Libretto – café especial elaborado em parceria com o Canal Café
Local: Canal Café da ATL House e Canal Café container (junto à entrada do Tecnopuc)

Até 23 de novembro

Ação: Campanha de arrecadação de livros e gibis infantis para doação ao Centro Social Marista Ir. Antônio Bortolini.
Pontos de coleta: Recepção da Biblioteca Central e Biblioteca da Escola de Medicina

28 de novembro

Ação: Pegue & Leve – Seleção de livros de literatura e de outras áreas para doação
Local: Saguão da Biblioteca Central

29 de novembro
12h10min: Missa em Ação de Graças pelos 40 anos da Biblioteca Central
Local: Igreja Universitária Cristo Mestre

18h30min: Celebração ecumênica
Local: Saguão da Biblioteca Central

Saiba mais sobre os principais serviços

A Biblioteca Central Irmão José Otão atende à comunidade universitária – estudantes de Graduação e Pós-Graduação, alunos de extensão, professores e pesquisadores, técnicos administrativos -, assim como funcionários do Parque Científico e Tecnológico (Tecnopuc), PUCRS Alumni (diplomados) e à comunidade em geral. Cada categoria é abrangida com uma gama diferente de serviços gratuitos nos setores de ensino, pesquisa e extensão, cobrindo todas as áreas do conhecimento e contribuindo para a formação técnica, científica e pessoal. Além do acervo de itens de informação, a Biblioteca ainda oferece acesso gratuito à internet, notebooks e computadores e treinamentos, entre outros serviços.

Treinamentos e capacitações

Para orientar a comunidade sobre o uso dos serviços da Biblioteca, regularmente são oferecidos treinamentos presenciais, programados ou sob demanda, através do Programa de Capacitação de Usuários (PCU).  Também são oferecidos treinamentos on-line pelos fornecedores de bases de dados, livros eletrônicos e periódicos. Os cursos abrangem desde as normas e regulamento da Biblioteca Central até a normalização de trabalhos acadêmicos e pesquisas no Portal de Periódicos da Capes e plataforma de e-books.

A estudante de mestrado em Ciências Criminais e diplomada em Direito pela Escola de Direito, Maria Alice Severo, conta que realizou alguns pequenos cursos para qualificar a sua busca por conteúdo. “É tanto material que as vezes a gente fica perdido, e quer achar algo mais específico. As pessoas que trabalham ali são muito bem capacitadas e te ensinam os detalhes para a pesquisa ficar mais refinada”, comenta a mestranda. Os treinamentos sob demanda devem ser solicitados pelos professores através de formulário existente neste link, através do e-mail [email protected] ou pelos telefones (51) 3320.3586 ou (51) 3320-3696.

Acervo

Biblioteca, livros, estante

Foto: Gilson Oliveira

O acervo é composto por diversos itens e informação. Além das quatro grandes áreas de conhecimento, há também os acervos especiais, literatura de lazer, literatura infantil, livros falados, normas técnicas e o acervo de Obras Raras, com mais de 5 mil títulos do século 17 ao 19.

Empréstimos e digitalizações

A Biblioteca oferece o serviço de empréstimo para uso domiciliar para a comunidade universitária, PUCRS Alumni – mediante cadastro e taxa semestral – e alunos de outras instituições, através do Empréstimo Entre Bibliotecas. A retirada de volumes as e devoluções podem ser realizadas nos equipamentos de autoatendimento ou no Balcão de Empréstimo do andar térreo da Biblioteca Central e na Biblioteca da Escola de Medicina. É possível também, para a comunidade da PUCRS, solicitar empréstimos de materiais de outras instituições, assim como a obtenção de cópias de documentos de outros estabelecimentos do Brasil e do exterior, por meio dos serviços de Comutação Bibliográfica dos quais a PUCRS participa. Além disso, é oferecido para a toda a comunidade que frequenta a Biblioteca o serviço de scanners de autoatendimento para digitalização de imagens e textos para fins acadêmicos.

Apesar do crescente uso de materiais digitalizados para leitura, alguns cursos demonstram mais interesse pelas versões físicas, como é o caso do Direito. “Sou uma pessoa muito clássica, gosto de papel, e a maioria das pessoas do Direito também, então se eu puder, vou sempre optar por um livro físico”, explica Maria Alice. A mestranda ressalta também a possibilidade de solicitar a compra de livros físicos que não constam no acervo. ” Às vezes é extremamente rápido, é questão de uma semana, dez dias. Então isso é maravilhoso para nós, do Direito, porque fazemos a maior parte da pesquisa em bibliografia, e em determinadas sitauções precisamos de uma versão mais atualizada ou uma muito antiga”, afirma.

Espaços diversificados

A Biblioteca dispõe de diferentes espaços, como as áreas do acervo e de leituraEspaço Cultural, lounge com dicas de leitura, espaço de pesquisa e produçãosalas de estudode vídeode treinamento e para pessoas com deficiência visual, sendo diversos deles abertos a qualquer pessoa da comunidade. A estudante de Engenharia Civil Gabriela Zorzo explica que, apesar das várias mesas para estudo disponíveis no saguão do prédio 30, prefere a tranquilidade das salas de estudo localizadas no 3º e 8º andares do prédio 16. “Na Biblioteca as salas são silenciosas, o que facilita muito a concentração, principalmente quando tu tens que fazer muitos cálculos”, ela explica.  Além disso, enquanto estuda nesses espaços, a aluna aproveita a possibilidade de consultar bibliografias extras e materiais de apoio com mais facilidade, sem precisar retirá-los.

Setor de Apoio à Avaliação, Pesquisa e Publicação

Em junho, a Biblioteca Central inaugurou mais um espaço com novos serviços para a comunidade acadêmica. O Setor de Apoio à Avaliação, Pesquisa e Publicação, localizado no 2º pavimento do prédio 16, tem por objetivo atender a necessidade de orientações para o desenvolvimento, a publicação e a visibilidade dos resultados de pesquisas realizadas por alunos, professores e pesquisadores da Universidade. Com essa finalidade, são oferecidos serviços com a capacitação do uso de ferramentas bibliométricas, orientações sobre onde e como publicar em revistas ou livros e o apoio no uso de métricas adotadas na produção, disseminação e uso da informação científica, entre outros.

Acessibilidade

Biblioteca, biblioteca central irmão josé otão,sala de estudos, computadores, alunos, estudando, livros, visitas guiadas,

Visitas guiadas são realizadas para apresentar a estrutura e serviços oferecidos / Foto: Bruno Todeschini

A estrutura da Biblioteca Central é adaptada e acessível às pessoas com necessidades especiais, incluindo equipamentos e softwares para pessoas com deficiência visual. Também está à disposição da comunidade acadêmica e externa uma sala exclusiva para atendimento de pessoas com deficiência visual, localizada no 2º pavimento. No local, existem diversos recursos de tecnologia assistiva como equipamentos, softwares de leitura de tela e conversão de texto para áudio falado, além do acervo de livros falados.

Tutoriais

No canal da PUCRS no Youtube foram criadas duas playlists produzidas pela Biblioteca. A primeira, intitulada Biblioteca Central Irmão José Otão, traz vídeos rápidos e explicativos sobre como utilizar os diversos serviços oferecidos. A segunda playlist, Biblioteca Central – Normas técnicas de documentação,  esclarece questões sobre referências, citações e apresentação de trabalhos acadêmicos nos padrões ABNT, Vancouver e APA.

Bibliotecários

A Biblioteca possui 17 bibliotecários capacitados para auxiliar a comunidade no uso dos vários serviços ofertados, como pesquisas de livros, consultas de base de dados, documentação, normas, entre outras necessidades dos usuários.  A mestranda em Ciências Criminais Maria Alice Severo, conta que, apesar de frequentar o local há oito anos, às vezes tem alguma dificuldade de encontrar os livros nas estantes e precisa da ajuda dos bibliotecários. “Pedimos ajuda para as pessoas que estão ali no andar e elas são super receptivas. Isso é muito bom. Gosto bastante de todo o atendimento da Biblioteca, tanto de retorno dos livros quanto de ajuda para a pesquisa”, afirma.

Visitas guiadas

As visitas guiadas, disponíveis para todos os interessados, têm como objetivo apresentar a estrutura física e os serviços oferecidos pela Biblioteca Central, orientando os visitantes sobre seu funcionamento. Em seu primeiro semestre, Maria Alice comenta, um dos professores organizou uma visita guiada para os alunos conhecerem a estrutura do espaço. “Foi disponibilizado um tour para nós com uma das responsáveis da Biblioteca para mostrar onde ficavam as estantes com os livros do Direito, com funcionam o empréstimo dos livros, reservas, como utilizar o sistema de busca.  Aquilo foi essencial para que a minha utilização fosse frequente”, afirma a estudante de Ciências Criminais.

As solicitações de agendamento podem ser feitas pelo e-mail [email protected] ou pelos telefones (51)3320.3586 e (51) 3320.3696.

exposição, deusa nimba, biblioteca, Ir. Édison Hüttner

Getúlio Lima, Klaus Hilbert, Édison Hüttner e Raquel Rech / Foto: Camila Cunha

Até o dia 31 de outubro, a escultura de uma Deusa Nimba estará exposta para toda a comunidade no saguão da Biblioteca Central da PUCRS, após as catracas. Trata-se de uma peça encontrada em Santo Ângelo, cuja identidade foi confirmada pelo coordenador do Núcleo de Estudos em Cultura Afro-brasileiro e Indígena (Neabi) da Escola de Humanidades da PUCRSÉdison Hüttner. A exposição tem entrada franca e é aberta ao público. A abertura ocorreu nesta quarta-feira, 26 de setembro, e contou com a presença do pró-reitor de Graduação e Educação Continuada, Ir. Manuir Mentges, do assessor da Reitoria Solimar Amaro, do atual proprietário da peça, Getúlio Soares Lima, e da arqueóloga do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Raquel Rech, que representou a superintendente do Iphan, Juliana Erpen.

Segundo o pesquisador, a peça em madeira foi produzida entre os séculos 18 e 19 por afrodescendentes brasileiros que conheciam a arte, escultura e rituais praticados pelo povo Baga/Nalu, da região do Oeste africano (Guiné, Guiné-Bissau). Huttner ressalta que é a primeira escultura do gênero encontrada em solo americano: “Esta descoberta indica a existência de rituais autênticos de religiosidade de afrodescendentes brasileiros”, afirma, lembrando que os rituais secretos eram realizados somente por homens, e eram proibidos pelo Governo.A peça foi localizada por um pescador na década de 80 no Rio Ijuí, após uma grande seca. Em 2016, em visita à cidade de Santo Ângelo, Hüttner obteve autorização do atual proprietário da peça, Getúlio Soares Lima, para que ela fosse estudada na PUCRS. A confirmação da origem da escultura veio após dois anos de estudos com a participação de Eder Hüttner, seu irmão, e Klaus Hilbert, coordenador do Laboratório de Arqueologia da Universidade. A estátua passou inclusive por uma tomografia no Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (Inscer).

Deusa Nimba

Klaus Hilbert, Édison Hüttner e Éder Hüttner
Foto: Camila Cunha

Curiosidades sobre a Deusa Nimba

– A escultura tem 46,4 cm e 3,70 kg. Segundo os pesquisadores, estava presa em algum local para ser cultuada;

– Os estudos revelaram que a escultura foi esculpida num único troco de madeira por um artista afrodescendente que conhecia a tradição dos povos Baga ou Nalu da Guiné, Guiné Bissau, do Oeste da África;

– A Deusa Nimba era cultuada pela Sociedade Secreta Cimo, nas festas da semeadora e colheita do arroz vermelho (Oryza Glaberrima). Este arroz foi plantado no Maranhão e Bahia;

– Nimba é considerada a deusa da fertilidade e significa “alma grande”;

 Cada Nimba é uma peça única, com características que revelam a originalidade, a mão do artista e seu contexto. Portanto, a Nimba não é uma cópia idêntica de outra Nimba, não é uma réplica.

– A madeira esculpida é da árvore Guajuvira.

Origem da peça

Segundo os pesquisadores, são diversas as hipóteses de como a estátua pode ter chegado até o rio Ijuí. Conheça algumas delas:

-Em 1756, o exército português permanece acampado por oito meses em Santo Ângelo, com a presença de 190 escravos;

-Já em 1765, uma leva de negros da Guiné chega ao RS, vindos da Bahia;

-Mais tarde, em 1784, cerca de 13 mil escravos da Guiné vão para Buenos Aires pelos tratados de comércio entre as coroas ibéricas;

– Em 1814 havia nos Sete Povos Missioneiros 250 negros;

– Durante a Revolução Farroupilha – havia na Villa de Cruz Alta (RS) um quilombo. Na época a região das missões, inclusive Santo Ângelo (RS) pertencia a Cruz Alta. Havia quilombos no RS – com escravos da Guiné.