Inovação

InsCer: cuidado com a vida, inovação e pesquisa

sexta-feira, 30 de outubro | 2020

InsCer, fase II, Instituto do Cérebro

Projeto da fachada norte do InsCer

Ter como missão o cuidado com a vida, atuando por meio da pesquisa, assistência e inovaçãoEsse é o objetivo do Instituto do Cérebro do Rio Grande do Sul (InsCer)entidade filantrópica que reúne pesquisadores e pesquisadoras para o desenvolvimento de estudos multidisciplinares e soluções na área da neurociência. Localizado no Campus da Saúde da PUCRS, o InsCer inaugura a obra de ampliação no início de novembro, reforçando e expandindo a atuação do Instituto em benefício da sociedade.

Vivemos momentos de despertar e de esperança. Despertar para novos conhecimentos, novas possibilidades e esperança em novas descobertas e em possíveis curas. Queremos levar cada vez mais para a sociedade os nossos estudos e pesquisas. O InsCer se legitima na sua determinação de atender às expectativas de sua comunidade e no comprometimento de buscar o conhecimento e descobertas que aliviem o sofrimento dos pacientes”, destaca o vice-reitor da PUCRS e diretor do InsCer, Jaderson Costa da Costa. 

Leia também: Campus da Saúde: a vida no centro de tudo 

Um ambiente de inovação e pesquisas que oferece respostas qualificadas à sociedade

Entre os estudos mais recentes realizados no Instituto está a pesquisa Estresse, trauma e percepção de risco durante e após a pandemia, que busca entender o impacto traumático da pandemia do novo coronavírus na população brasileira. Outra pesquisaliderada pela vice-diretora do Instituto do Cérebro e professora na Escola de Medicina da PUCRSMagda Lahorgue Nunes, está analisando os efeitos do confinamento domiciliar na qualidade do sono de adultos e de seus filhos/as. Os estudos são resultados da força-tarefa multidisciplinar criada pela PUCRS, que conta com a participação do InsCer, na busca de soluções para as diferentes questões que envolvem a Covid-19.

No Instituto do Cérebro do RS também foram desenvolvidas pesquisas como o projeto Superidosos, que estudou o cérebro de idosos acima de 80 anos para descobrir as razões pelas quais algumas pessoas conseguem atingir idades longevas sem ter nenhum comprometimento neurológico; e o estudo sobre Zika Vírus, que acompanhou crianças com microcefalia cujas mães foram infectadas pelo Zika durante a gestação. Todas as pesquisas têm em comum o objetivo primeiro de desenvolver uma base científica em prol da população.

Estudantes de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado da PUCRS também podem desenvolver seus projetos de pesquisa nos laboratórios do Instituto do Cérebro dedicados às pesquisas pré-clínica e clínica.

Novas estruturas associam tecnologia e cuidado

A nova estrutura do InsCer conta com modernos equipamentos e melhorias no Centro de Pesquisa e Investigação Clínica e no Centro de Imagem Molecular, duplicando os exames já tradicionais feitos na Instituição.

A recepção foi ampliada e conta com um bistrô de alimentação, além de um auditório moderno para uso da comunidade científica, acadêmica e da população. O Centro de Produção de Radiofármacos também teve sua capacidade de desenvolvimento ampliada e agora todo o processo de produção destas novas substâncias vai ocorrer dentro do InsCer, desde a pesquisa básica para descobrir novos biomarcadores, até a aplicação em pacientes.

No dia 9 de novembro, data em que a PUCRS completa 72 anos, o espaço será inaugurado com a presença da comunidade acadêmica e autoridades. Saiba mais sobre o evento clicando aqui. 

Mais recentes