Pesquisa

Estudo busca alternativas para tratar bronquiolite

sexta-feira, 08 de dezembro | 2017

Bebê

Foto: Echo Grid/Unsplash

Estudo coordenado pela professora Ana Paula Duarte de Souza, da Escola de Ciências da Saúde, busca entender a relação entre uma dieta rica em fibras solúveis (prebióticos) e a severidade da bronquiolite viral aguda causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR) em crianças nos primeiros anos de vida. Alternativas naturais têm sido estudadas para prevenir esse tipo de doença. Os bebês recebem as fibras solúveis do leite materno ou das fórmulas lácteas. Elas também são encontradas na aveia, soja, ervilha, lentilha, aipim, maçã, beterraba e cenoura.

As bactérias intestinais fermentam os prebióticos, que resultam em ácidos graxos de cadeia curta (AGCCs), como acetato, propionato e butirato, que podem ser uma alternativa de baixo custo para os pacientes do Sistema Único de Saúde, reduzindo tempo de internação e demais custos.

“A grande prevalência desse vírus e a sua influência nos desfechos de doenças respiratórias pediátricas impõem grandes desafios aos profissionais de saúde e demandam mais atenção em programas estratégicos do Ministério da Saúde”, afirma Ana Paula. Atualmente não há vacina disponível contra a bronquiolite e, apesar de haver tratamento baseado no uso de Palivizumabe, as alternativas para atenuar a gravidade da doença causada por VSR são limitadas.

 

Metodologia da pesquisa

A pesquisa vai medir os níveis de ácidos graxos de cadeia curta nas fezes de 52 crianças internadas no Hospital São Lucas e avaliar os desfechos relacionados com a gravidade de bronquiolite causada pelo VSR, como tempo de internação, uso de oxigenoterapia e sibilância (ruído característico de doença respiratória). Participarão pacientes nos primeiros seis meses de vida que apresentem infecção respiratória confirmada que chegarem na emergência do Hospital. As primeiras coletas serão em abril de 2018, com a chegada do frio. Será feito um questionário com as mães que amamentam para identificar a quantidade de fibra ingerida. “Esperamos encontrar uma associação negativa entre os níveis de ácidos graxos nas fezes e a gravidade da bronquiolite, sugerindo que a suplementação com fibras possa melhorar o quadro clínico”, destaca a professora.

 

Participantes

O projeto recebe financiamento do Programa Pesquisa para o SUS. Participam a nutricionista Krist Helen Antunes e a farmacêutica Deise do Nascimento, doutorandas do Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança. Além disso, a pesquisa conta com a colaboração de pediatras e professores da Escola de Medicina (Renato Stein, Marcus Jones e Matias Epifanio) e do pesquisador da Unicamp Marco Aurélio Vinolo.

 

Saiba mais

bebê

Foto: Aditya Romansa/Unsplash

O vírus sincicial respiratório é um agente patogênico sazonal responsável pela maior percentagem de bronquiolite viral em paciente pediátricos, levando a 190 mil mortes anuais entre crianças menores de 5 anos em todo o mundo. Os custos com hospitalizações de bebês até 2 anos e com bronquiolite causada por VSR ultrapassam U$ 1,7 bilhão anuais. No Brasil, segundo o informe epidemiológico do Ministério da Saúde, até abril de 2017, existia um predomínio de VSR (80%) entre os outros vírus que não influenza na causa da síndrome respiratória aguda grave em UTI. Evidências sugerem que a infecção por VSR em bebês favorece o desenvolvimento de sibilância durante a infância tardia e asma ao longo da vida.

Fonte: Ana Paula de Souza

Mais recentes